A Gru Sinfônica estreou com regência do maestro João Carlos Martins

Maestro João Carlos Martins regendo a Orquestra Sinfônica de Guarulhos - Fotos: Fábio Nunes Teixeira
 

Um grande público acorreu ao Bosque Maia na noite de domingo, 8 de dezembro, aniversário da cidade, quando foi inaugurada a árvore de Natal e, às 20h, na apresentação da Orquestra Jovem de Guarulhos, tendo, na sequência, a estreia da GRU Sinfônica.

A Orquestra Jovem, sob regência do maestro Emiliano Patarra, executou três peças de Heitor Villa-Lobos e levantou a plateia quando tocou “Aquarela do Brasil”, de Ari Barroso.

Ao final, o maestro pediu a presença do prefeito Guti, a quem agradeceu pelo apoio dado ao evento. Guti elogiou a performance dos jovens e anunciou que a partir de agora Guarulhos passa a contar com duas orquestras, pois em seguida aconteceria o lançamento da Gru sinfônica, que lhe foi sugerida pelo maestro João Carlos Martins, precursor do Projeto Guri, que espalhou orquestras por todo o Brasil.

Orquestra Jovem, sob regência do maestro Emiliano Patarra – Foto: Fabio Nunes Teixeira/PMG

Em seguida, Patarra apresentou a Gru Sinfônica, afirmou que o trabalho da Orquestra Jovem continuará e que ambas participarão de eventos nos mais diversos bairros da cidade. Regeu a primeira música e, logo depois, anunciou a presença de Martins, que comentou ter sugerido a criação da orquestra profissional porque Guarulhos é uma cidade muito importante no cenário nacional. Agradeceu por ter sido escolhido como patrono da Gru Sinfônica e afirmou acreditar que ela poderá elevar o nome de Guarulhos como polo de cultura.

As músicas seguintes foram executadas sob a regência de João Carlos Martins. Pelo telão, as pessoas observavam, admiradas, o rosto do maestro e suas expressões, “sentindo” a melodia.

Aos 79 anos, ele citou alguns fatos de sua vida, antecipou que irá comemorar os 80 anos junto com os 60 anos de sua estreia no Carneggie Hall, nos Estados Unidos. Contou que, depois de 50 anos tocando piano, foi diagnosticado com uma enfermidade nas mãos e que, apesar de diversas cirurgias a que se submeteu, foi-lhe dito que não poderia mais tocar piano profissionalmente. Ainda assim, insiste em fazê-lo, utilizando apenas os dois polegares. Concluiu com “La Casa de Papel”, arrancando aplausos entusiasmados do público.

Maestro João Carlos Martins regendo a Orquestra Sinfônica de Guarulhos – Foto: Fábio Nunes Teixeira/PMG

O ponto alto do evento foi quando ele anunciou que tocaria piano, junto com a Gru Sinfônica, regida pelo maestro Emiliano Patarra, a quem Martins chamou de “extraordinário”. As imagens transmitidas pelo telão, focalizando suas mãos (foto no destaque), encantaram as pessoas. João Carlos Martins dá exemplo de garra e resiliência, de superação de obstáculos, demonstrando que faz da música sua razão de viver.

Foi um espetáculo maravilhoso. Um valoroso presente de aniversário que Guarulhos ganhou.

Valdir Carleto

Agradecimento aos internautas Paulo Martins, Rosinha Martins, Ceneide Santos e Nólia Gonçalves pela cessão de fotos