Usuários da UBS Morros fazem queixas; Secretaria da Saúde responde

O portal Click Guarulhos recebeu queixas de moradores do Jardim Adriana, região do Cocaia, sobre precariedade no atendimento da Unidade Básica de Saúde do Bairro dos Morros. As reclamações foram enviadas à Secretaria da Saúde, que respondeu, cada um dos itens, por intermédio da Assessoria de Imprensa:

“Moradores do Jardim Adriana relatam que a UBS Morros está sem médico clínico geral desde dezembro. Estava prevista a posse de um substituto em 4.1, o que não ocorreu.Segundo informações, a dra. Carmen era excelente, mas acumulava funções em outra UBS, para a qual foi transferida.”

R.: A UBS Morros tem um médico clínico no período da manhã, que se ausentou da unidade por uns dias para a realização de uma cirurgia no olho. Enquanto isso, uma médica da Equipe Multiprofissional de Atenção Domiciliar (EMAD) deu suporte nos casos prioritários, apoio que ainda está se mantendo. Quanto à Dra Carmem, ela foi transferida para a UBS Taboão a pedido dela.

A gerente Regiane está em férias. Reunião do conselho gestor local e populares, na tarde de ontem, terça, teve a participação da supervisora Giovanna, que não apontou soluções para as queixas.

R.: No momento, a gerente da unidade é a Edilene, que estava em férias na data da reunião do conselho. Na ausência da gerente, o supervisor assume a reunião. As reuniões de conselho têm a seguinte estrutura: recapitulação da reunião anterior, informes da unidade, abertura de pautas dos conselheiros e dúvidas dos outros participantes. Sendo assim, a reunião de janeiro seguiu com coleta de solicitações da população. Quanto às soluções para a falta de médicos, todos os participantes foram orientados com relação ao acolhimento que está sendo realizado na unidade para a verificação das prioridades, assim como sobre os encaminhamentos efetuados para a UBS vizinha, Jovaia, dos casos de maior necessidade.

Uma reclamante afirma que viu duas usuárias esperando atendimento desde antes da UBS abrir. Alegaram que haviam chegado de madrugada, mas até as 15h não haviam sido atendidas. Uma delas era gestante e aguardava um exame Papanicolau agendado; outra estava com uma criança, sem se alimentar até aquele horário.

R.: As senhas são distribuídas a partir das 7 horas, horário em que a UBS começa a funcionar. O atendimento de senhas segue conforme volume até o final do expediente às 17 horas. Os exames papanicolau são agendados e realizados no período da tarde e o paciente apenas precisa chegar 15 minutos antes do mesmo. Os retornos de consulta são agendados diretamente em guichê especifico, e a gestante pode realizar seus agendamentos no mesmo. Dependendo do volume de pessoas, o agendamento também é realizado na gerencia ou no guichê de retorno, de acordo com as necessidades dos pacientes.

O posto abre às 7h e são distribuídas 100 senhas, o que é considerado pouco diante do volume de residentes na região atendida, prevista em 60 mil prontuários.

R.: As senhas são distribuídas conforme o fluxo de pacientes, sendo que a quantidade varia diariamente de acordo com as necessidades.

Na tarde de ontem, ao fim da reunião, chegou uma senhora de 73 anos, os servidores estavam sem atividade e se recusaram a atendê-la porque as senhas haviam acabado. Moradores que presenciaram a atitude entendem que, estando dentro do horário de expediente, os funcionários deveriam atender a idosa.

R.: A referida paciente foi acolhida pela supervisora e atendida normalmente. No período da tarde, os funcionários da recepção se dividem em funções administrativas (digitação de produção, separação de prontuários para o dia seguinte, organização e arquivo de exames) e de atendimento direto (retorno das consultas agendadas, informações, cartão SUS), além do revezamento de horário de almoço. Devido a pedido dos conselheiros em reunião, os guichês já estão realizando atendimentos em livre demanda conforme volume dos pacientes.

Há muitos pacientes dependendo da presença de um médico para renovar receitas para uso de medicamentos para hipertensão, tireóide e diabetes.

R.: No momento, a UBS está realizando o acolhimento de todos os pacientes que procuram a unidade e agendando consulta para os casos necessários, como os de pacientes que fazem uso de medicação controlada, hipertensos e diabéticos de acordo com a disponibilidade nas unidades vizinhas.

Outro fator que preocupa os usuários é a informação que para atendimento agora será exigido RG + cartão SUS + cartão da UBS e que aqueles que não tiverem um dos cartões pegarão fila para que seja confeccionado. Na opinião dos queixosos, se há falta de funcionários e alguns deles estarão ocupados nessa função burocrática, ficará ainda mais precário o atendimento.

R.: Não há alterações sobre os documentos exigidos para atendimento na unidade. A UBS pediu apoio aos conselheiros e demais participantes da última reunião, para a divulgação dos documentos que já são utilizados: RG e cartão SUS, para todos os atendimentos e cartão do posto nos agendamentos de consulta e no dia da consulta e/ou exame. Vale destacar que os casos urgentes são atendidos independentemente da apresentação dos documentos e que nos demais casos eles são necessários devido à mudança de sistema com a implantação do sistema integrado (SISS Online), o que vai proporcionar agilidade no atendimento.