Manifestações de lamento pela perda do professor Luiz Flávio Gomes

 

Faleceu na madrugada de 1 de abril o advogado, professor e deputado federal Luiz Flávio Gomes, aos 62 anos. Eleito em 2018, pelo PSB, ele havia se afastado do Parlamento em setembro de 2019, para se tratar de uma leucemia.

Mestre em Direito Penal pela USP e doutor pela Universidade Cumpletense, de Madrid, Espanha, fundou a rede LFG em 2003, a primeira rede de ensino telepresencial da América Latina. Seus cursos chegaram a ser transmitidos para cerca de 220 cidades brasileiras, distribuídos em mais de 420 unidades. 

Em 2008, concluiu uma negociação em que vendeu a LFG à Anhanguera Educacional por 78 milhões de dólares. Entre outros cargos, foi policial civil, delegado de polícia, em 1980, promotor de Justiça e juiz de direito em São Paulo. Aposentou-se aos 40 anos de idade. Em 2016, ao lado do senador Álvaro Dias (Podemos-PR), fundou o movimento de combate à corrupção “Quero um Brasil Ético”. Apoiador da Operação Lava-Jato, escreveu artigos para inúmeros jornais e divulgou muitos vídeos, defendendo a apuração de todos os casos de corrupção no País, o que o tornou conhecido também em públicos além do ramo do Direito.

Seu precoce falecimento enlutou a classe jurídica de todo o Brasil. O Click Guarulhos reuniu algumas manifestações nas redes sociais:

“Com pesar e tristeza a OAB SP e a CAASP cumprem o dever de comunicar o falecimento precoce, aos 63 anos, do jurista, professor de Direito e deputado federal por São Paulo, Luiz Flávio Gomes”
Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil


“Meu mais profundo pesar pela morte do deputado federal Luiz Flávio Gomes, referenciado como um dos grandes juristas brasileiros, que lutou bravamente contra uma leucemia. Seu legado inclui mais de 60 obras literárias na área jurídica e inestimável contribuição ao ensino jurídico no País com a rede LFG”.
Deputado estadual Márcio Nakashima(PDT)

“Hoje o Brasil perde um de seus maiores homens: Luiz Flávio Gomes.
O inesquecível “Professor LFG”, como era conhecido por seus alunos, além de grande jurista, foi responsável pela democratização do ensino jurídico no Brasil, tendo contribuído diretamente para a aprovação de milhares ocupantes de cargos públicos – dentre os quis me incluo”.
Gustavo Mesquita Galvão Bueno, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de S.Paulo

“Faleceu hoje o jurista e Deputado Federal Luiz Flávio Gomes. Dias antes de se descobrir doente, estivemos juntos em São Paulo buscando emendas para Guarulhos. Uma perda lamentável. Nossas condolências à família”.
Airton Trevisan, secretário de Justiça de Guarulhos


“Deixa uma lacuna no Direito pátrio e no ensino jurídico. Triste notícia.”
Clóvis Brasil Pereira, advogado e professor de Direito


“É triste e lamentável!!! O Brasil perde um grande jurista e nós um amigo… Que Deus console a sua querida família.”
Reverendo Bruno Ribas – ONG Remar Brasil

“O mundo jurídico e a sociedade brasileira perdem um cidadão que muito contribuiu com o país, tendo como uma de suas principais bandeiras de luta o combate à corrupção.
Luiz Cabral, advogado

“Com o coração entristecido que me despeço de vc; guardarei na memória vossos ensinamentos e otimismo. Descanse em paz; Deus o receba de braços abertos e conforte os familiares e amigos.”
Rosemeire Duran, advogada


“Esse verdadeiro Mestre nos deixou hoje, precocemente. Me ensinou muita coisa, muitas lições e seus estudos me ajudaram na graduação, no dia a dia e principalmente para escrever meus livros na área de Penal!!
Vai com Deus, Mestre LFG! Obrigado pelos ensinamentos!”.
Sandro Nogueira, advogado (foi aluno de LFG no curso Damásio de Jesus, em 1998)


Mensagem do professor LFG às vésperas da partida

No dia 30 de março, o professor Luiz Flávio Gomes postou nas redes sociais uma mensagem criticando o comportamento do presidente Jair Bolsonaro, no que diz respeito às medidas contra o novo coronavírus. Reproduzimos:

#TemosQueIsolarBolsonaro – Sou pelo imediato isolamento de Bolsonaro. Várias infrações contra a humanidade, de improbidade, de responsabilidade foram cometidas, porque ignoram o valor da vida, que tem prioridade absoluta.
Além disso, posicionamentos de Bolsonaro destoam completamente da ciência. Nova Zelândia fez a melhor política de isolamento. Nenhuma morte até agora. Itália, Nova York, Espanha demoraram muito. Inúmeras mortes estão ocorrendo.
Precisamos de políticas públicas urgentes para isolamento de todos, obviamente com o amparo imediato das pessoas que não podem se manter nesse período em primeiro lugar, com medidas imediatas para preservar os empregos e para que as empresas não fechem as portas na pós-epidemia. Não basta o isolamento da classe alta (20%). Políticas públicas têm que isolar também os demais 80%. Isso significa que o neoliberalismo egoísta chegou ao seu esgotamento.
Temos que trocar o capitalismo selvagem pelo capitalismo solidário, que pressupõe a inclusão de todos (pobres e ricos). Pelo capitalismo solidário!


Quem tiver interesse em seu artigo sobre Capitalismo Solidário pode acessar por este link: https://www.professorluizflaviogomes.com.br/chegou-a-hora-…/