Coluna do Carleto especial, só com boas notícias

 

Na quarta-feira, postei no Facebook o link de uma notícia da Folha de S.Paulo/UOL, que alertava que o número de contaminados e de mortes por coronavírus pode ser muito maior do que os dados oficiais, pois há cerca de 200 falecimentos a apurar e milhares de resultados de exames ainda pendentes.

Vários internautas questionaram a fonte da informação, dando a entender que a Folha e seu portal, o UOL, não seriam dignos de confiança, pois estariam empenhados em criticar o governo Bolsonaro e teriam, portanto, interesse de mostrar a situação pior do que a real.

Em outra postagem, eu indaguei por que a maioria das pessoas não gosta de boas notícias, pois verifiquei que as informações sobre fatos positivos vêm tendo pouquíssima repercussão e mínimos comentários. Vários internautas alegaram que gostam de boas notícias.

Navegando hoje pelo UOL, observei que muitas das notícias publicadas referem-se a fatos positivos. Resolvi reuni-los, pois podem ter passado despercebidos pela maioria dos internautas:

1) Bebê de 50 dias recupera-se de covid-19 na Itália;
Leonardo, da cidade de Corbetta, virou símbolo de esperança para o povo italiano

2) Vacina contra covid-19 está perto de ser testada em humanos em Israel; perspectiva é para 1o. de junho

3) Ventilador pulmonar mecânico barato está sendo desenvolvido pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra, da Universidade Federal do Rio de Janeiro

4) William Lapschies, idoso de 104 anos dos Estados Unidos, recupera-se da contaminação pelo coronavírus

5) Potencial vacina contra covid-19 mostra resultados positivos em ratos

6) Isolados em casa, músicos franceses tocam o Bolero de Ravel e postam vídeo

7) Medicina da USP desenvolve máscara de R$ 1 contra dispersão de coronavírus

8) Cerca de 40 locais do mundo não tiveram casos confirmados de contaminação

9) Fechamento das agências do INSS causa redução na fila de espera por benefícios: 17 mil pessoas estão analisando os pedidos

10) Mandetta anuncia compra de 8 mil respiradores

11) Incubadora portátil desenvolvida na Universidade de Stanford (EUA) já salvou 300 mil bebês no mundo

Se o internauta souber de ações de solidariedade e outras informações de fatos positivos que mereçam ser compartilhados, coloque nos comentários. Vamos promover juntos uma corrente de boas notícias, para minorar o clima de tristeza e preocupação que está dominando o mundo atual.

Valdir Carleto