sexta-feira, 20 maio 2022
- PUBLICIDADE -
InícioDESTAQUEGilmar Mendes nega pedido contra prorrogação da CPMI das Fake News

Gilmar Mendes nega pedido contra prorrogação da CPMI das Fake News

 

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, rejeitou hoje (30) um pedido do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para que fosse suspensa a prorrogação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News.

A CPMI investiga a criação de perfis falsos e ataques cibernéticos contra a democracia e o debate público, incluindo atos para influenciar as eleições de 2018.

“Essas investigações são de vital importância para o desvendamento da atuação de verdadeiras quadrilhas organizadas que, por meio de mecanismos ocultos de financiamento, impulsionam estratégias de desinformação, atuam como milícias digitais, que manipulam o debate público e violam a ordem democrática”, destacou Mendes na decisão.

No início do mês, os parlamentares decidiram prorrogar por 180 dias a CPMI, que foi instalada em 4 de setembro. Para a prorrogação, foi preciso colher as assinaturas de 209 deputados e 34 senadores. O prazo original dos trabalhos terminaria em 14 de abril, mas a contagem está suspensa devido às medidas de distanciamento social decorrentes da pandemia do novo coronavírus.

Mandado de segurança

Ao pedir para o STF suspender a prorrogação, em um mandado de segurança, Eduardo Bolsonaro afirmou que os trabalhos da CPMI foram desvirtuados de seu propósito original com o objetivo de atingir parlamentares aliados ao governo e o próprio presidente Jair Bolsonaro, bem como “deslegitimar o processo eleitoral”.

Eduardo disse que a continuidade da CPMI ameaça seus direitos políticos, ante o caráter tendencioso e parcial da comissão, que teria como meta atacá-lo politicamente. O deputado havia pedido ainda a anulação de depoimento prestado pela deputada Joice Hasselman (PSL-SP), ante a demonstração de parcialidade dos integrantes do colegiado ao inquiri-la.

Ao rejeitar o pedido, Gilmar Mendes afirmou que não identificou qualquer ameaça aos direitos políticos de Eduardo Bolsonaro, tampouco viu desvio na finalidade da CPMI.

O ministro destacou que “ao contrário do alegado pelo impetrante, a investigação da utilização de perfis falsos para influenciar os resultados das eleições 2018 constitui um dos objetos principais da referida CPMI, e não mera questão acessória”.

*Com informações da Agência Brasil

Prefeitura de Guarulhos
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,565SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Guarulhos vacina 80 pessoas em situação de rua contra a Covid-19 e a gripe

Oitenta moradores de rua foram vacinados no último domingo (15) contra a Covid-19 e a gripe pelas equipes da Rede de Atenção aos Direitos...

Aumento do teto do Simples Nacional mobiliza Associações Comerciais

Por conta da defasagem no limite de faturamento para enquadramento no Simples Nacional – sistema de tributação criado em 1996 para facilitar o recolhimento...

Inaugurado o Instituto Peçanha, maior Centro Odontológico de Guarulhos

O Instituto Peçanha é o maior Centro Odontológico na cidade de Guarulhos e referência em odontologia avançada. Os idealizadores, Ana Paula e Junior Peçanha,...

Alunos da rede pública municipal recebem treinamento de robótica no ENIAC

O ENIAC - instituição referência em inovação e tecnologia do ensino básico ao superior – cedeu sua estrutura para que alunos de escolas públicas...

Temperaturas sobem um pouco, mas frio permanece no fim de semana

A massa de ar frio que afeta o centro-sul do país continua influenciando hoje (20) o clima em boa parte do Brasil. Com o...