Presidente da ACE comenta sobre queda do comércio na Páscoa e Dia das Mães

 

O presidente da ACE (Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos), Silvio Alves, divulgou artigo, no qual comenta sobre a queda nas vendas do comércio em duas datas importantes para o Comércio, em decorrência das medidas restritivas devidas à pandemia:

“Meu primeiro ano à frente da Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos não poderia ser mais desafiador. As prioridades definidas para o crescimento da entidade precisaram ser rapidamente redefinidas, para uma atuação de socorro aos comerciantes, prestadores de serviço, profissionais liberais e industriais associados à ACE. Tudo por conta da pandemia do novo coronavírus, que tem deixado um rastro de destruição na saúde pública e prejudicado a economia em todo o mundo.

Em Guarulhos, a situação é a mesma. Dois meses após a adoção de medidas restritivas no Brasil, sob as orientações de autoridades sanitárias como a Organização Mundial da Saúde (OMS), ainda buscamos agir para minimizar o impacto negativo no setor produtivo da cidade, afetado pelo impedimento de boa parte das atividades econômicas no nosso município. Seguimos firmes, mantendo o protagonismo e a representatividade.

Além do programa permanente de incentivo ao comércio local, o “Compre em Guarulhos”, nossa entidade implantou diversas ações com o objetivo de poupar os reflexos negativos de uma das maiores crises de todos os tempos. Porém, mesmo assim, o baque para os empresários é muito grande”.



Alguns exemplos de dificuldades enfrentadas

Sílvio Alves relata dificuldades enfrentadas por associados, que devem ser semelhantes às de muitos outros pequenos empresários:


“Tenho conversado com alguns de nossos associados para entender como a Covid-19 prejudicou os seus negócios. Estamos quase na metade de 2020 e duas datas comemorativas, Páscoa e Dia das Mães, que poderiam ter sido excelentes para o comércio, registraram quedas acentuadas nas vendas em relação ao ano anterior.

Integrante do Conselho da Mulher Empreendedora da ACE-Guarulhos, Marília Lima é empreendedora e proprietária da confeitaria Doce Pedido, localizada no Macedo. Apesar de ter aceitado encomendas online durante a Páscoa, Marília viu seu faturamento cair neste ano. ‘Infelizmente, foi uma Páscoa bastante difícil’, disse ela, que teve queda de clientes por causa da insegurança que eles estão em gastar neste momento. Nesse cenário, segundo Marília, as pessoas deixam de comprar o que não é um produto de primeira necessidade.

O depoimento de Marília vai ao encontro com o levantamento divulgado pela Boa Vista SCPC, empresa parceira da nossa associação. Segundo a entidade, na comparação com o ano passado, as vendas recuaram 33% na Páscoa em todo o Brasil.

Com o Dia das Mães – considerado o “segundo Natal”, tamanha a importância da data para o setor comercial – não foi diferente. Dono da floricultura Beatriz Flores e Decorações, na Vila Augusta, João Ferreira Filho também sentiu os impactos da quarentena. “Não vou dizer que as vendas foram ruins, mas poderiam ter sido bem melhores”, afirmou. Por causa da incerteza, nosso associado disse que não se preparou da forma adequada para atender a demanda, como havia feito nos anos anteriores. Uma pena porque o Dia das Mães é a melhor data do ano para seu setor de atividade.

São declarações tristes e preocupantes para a nossa cidade. Ainda mais depois de o jornal Folha de S. Paulo ter divulgado um dado alarmante: no dia 15 de maio, com base em números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego aumentou em todas as regiões do Brasil durante o primeiro trimestre, período em que a economia começou a sentir os impactos da chegada do novo coronavírus.

Logo mais estaremos em junho, período das tradicionais festas juninas e do Dia dos Namorados. Historicamente, seria mais um excelente momento para os comerciantes. Porém, diante da pandemia, imagino que as vendas não serão tão boas, a exemplo do que aconteceu com a Páscoa e o Dia das Mães.

Neste momento, peço ao consumidor guarulhense para incentivar o comércio local. Quem puder, compre do seu vizinho e dos estabelecimentos do seu bairro. Não deixe que os pequenos empresários fechem as portas. Aos comerciantes, coloco novamente todas as soluções da ACE-Guarulhos à disposição. Se você tiver alguma dificuldade, procure a nossa equipe. Estamos trabalhando em sistema de agendamento para amparar os associados nesse momento tão difícil.

Unidos, vamos superar todas essas dificuldades. Juntos, somos muito mais fortes!”

Silvio Alves

SOBRE A ACE-GUARULHOS
Fundada em 16 de julho de 1963 pelo empresário e empreendedor Nahim Hassan Rachid (mesma data em que se comemora o Dia do Comerciante), a Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos participa ativamente do desenvolvimento econômico, político, social e cultural de Guarulhos, acompanhando e vivenciando os fatos históricos mais marcantes. É a segunda maior Associação Comercial do Estado de São Paulo.

Mantém em seu quadro de associados, empresários de vários setores, como: comerciantes, industriais, prestadores de serviços e profissionais liberais que utilizam a maior rede de informações e proteção ao crédito do país, com mais de 150 milhões de informações comerciais imprescindíveis para a aprovação de crédito. O associado também tem acesso a outros serviços que vão desde a abertura de uma empresa até o suporte para a exportação, além de outros benefícios como convênios, descontos e parcerias.