Internauta relata que regras do Caixa Tem são cruéis com quem precisa do Auxílio

 

Internauta bem familiarizado com tecnologia, o guarulhense Wagner vem ajudando vizinhos e conhecidos a se conectar com os sistemas criados pelo governo federal para pagamento do Auxílio Emergencial e observa o que considera incoerências e contradições nas medidas que têm sido tomadas.

Segundo ele, o calendário do Auxílio Emergencial, da forma que estava funcionando em abril, ajudou muito quem precisava.  Mas, agora, com esse “novo calendário” de poder sacar ou transferir o dinheiro da conta digital somente em média 12 dias após liberado o recurso no app, isso parece a ele impiedoso. “É muito distante da finalidade do benefício”, diz.

Ele explica que, como para a grande maioria dos necessitados, o valor desse auxílio é basicamente para comprar alimento. “A permissão para usar o cartão de débito virtual gerado pelo app CaixaTem para pagamento de compras em – sites e aplicativos –  é uma afronta ao que se destina o Auxílio, bem como, não é funcional”, comenta.


Cita como exemplo alguém que esteja passado no caixa do supermercado. Relata que às vezes é necessário aguardar cerca de 15 minutos pra abrir o app. “Se a internet estiver boa”, acrescenta. Ele envia imagem de uma tentativa de uso.
(veja a imagem, onde consta demora de 16 minutos).

“Em seguida, é preciso pedir pra gerar o referido cartão virtual com o valor da compra, e aguardar código de segurança via SMS. Só após isso o operador de caixa irá começar a leitura desses dados para finalizar a compra. É demorado e nada fácil pra quem não tem boa habilidade no manuseio de app via Android”, afirma Wagner, com conhecimento de causa.

Ele diz saber que houve quem cometesse fraudes e concorda que elas tenham de ser combatidas e os infratores punidos. Mas, se fosse permitido o saque, ainda que parcial, logo após o valor ser creditado, seria muito mais útil para as famílias necessitadas. “Com a possibilidade de transferência que existia em abril, a pessoa se valia de um parente ou vizinho para transferir e sacar e, assim, poder ter logo nas mãos o valor necessário. Com um dinheiro vivo, podia comprar o pão em um lugar, a verdura e os legumes em outro, o arroz e feijão em outro. Do jeito que fizeram agora, ou a pessoa espera esses 12 dias para poder sacar ou tem de se sujeitar a essa dificuldade que é impraticável nos caixas dos supermercados”, avalia.

Esta questão será encaminhada pelo Click Guarulhos ao Ministério da Cidadania e à Caixa. Demandas anteriores que foram enviadas só foram respondidas depois de semanas. Quando vierem as respostas, serão postadas