Guarulhos deve iniciar reabertura dia 8, com horários escalonados

 

Em “live” transmitida na noite desta sexta-feira, o prefeito Guti anunciou que pretende reabrira a atividade econômica o mais rápido possível, mas precisa fazê-lo com o cuidado de que seja compatível com a capacidade de atendimento do sistema de saúde.

Adiantou que lançará novo decreto, prorrogando até 30 de junho as medidas restritivas em vigor. Porém, em diálogo com entidades empresariais e profissionais, estuda a possibilidade de começar a retomada a partir do dia 8, segunda-feira da segunda semana do mês de junho. O plano é que definir horários diferenciados de funcionamento, para que o fluxo de passageiros no transporte coletivo.

Explicou que uma das ideias é ir liberando novas atividades a cada dois ou três dias, a partir da segunda semana de junho. Mas, deixou claro que, se até lá não tiver sido possível ampliar os leitos de UTI ou adequar a disponibilidade deles às necessidades, esse faseamento pode demorar mais tempo, e até, conforme os fatos se derem, ser preciso haver um recuo, para evitar que as contaminações cresçam acima do que é possível atender, mesmo com a locação de leitos de UTI em hospitais particulares.

Guti disse, ainda, que está dialogando com os demais prefeitos da região e que todos entendem que as decisões precisam ser tomadas em bloco, para que não haja forte migração de público de uma cidade para outra. Nesse sentido, citou que o prefeito da Capital, Bruno Covas, já afirmou que não irá permitir a reabertura do comércio no dia 1o. de junho, mesmo estando autorizado pelo governo estadual a fazê-lo. Guti deu a entender que as cidades da região e São Paulo devem agir com o mesmo planejamento.

Números de covid

O secretário de Saúde, José Mário Clemente, citou os números atualizados da cidade: Guarulhos está com 2.619 casos confirmados de covid-19, com 267 mortes cujos exames apontaram para a doença e há outras 118 cujas causas ainda precisam ser apuradas.

Informou que o hospital de campanha do Cecap está com 35 pacientes na enfermaria, dez nas UTIs e três na sala vermelha. Os três hospitais municipais estão com todas as UTIs ocupadas; os estaduais, com 85%, o que dá uma média para a cidade de 92,4%, muito perto do colapso, ainda que tenha havido ligeira melhora nos últimos dias.

Das 12 mortes a mais que o total divulgado ontem, uma aconteceu em abril e ainda estava sendo investigada e as demais ocorreram todas neste mês. Oito são do sexo masculino, com idades entre 50 e 76 anos, e quatro mulheres entre 41 a 84 anos, sendo que das seis mortes de pessoas abaixo de 60 anos em pelo menos quatro delas havia informações sobre comorbidades.

Apesar do avanço da doença na cidade, a taxa de cura da Covid-19 em Guarulhos subiu de 65% para 72% da semana passada para esta, com mais de 1.700 pessoas livres da doença até o momento