Guti reclama dos critérios do governo estadual, que deixou Guarulhos fora da área amarela

 

Em “live” no fim da tarde deste sábado, o prefeito Guti reclamou dos critérios adotados pelo governo estadual, que alterou a classificação de diversas cidades da região metropolitana de S.Paulo (RMSP), incluindo a Capital, para a área amarela, o que permitirá a retomada de mais algumas atividades, como a de bares e restaurantes.

Segundo o prefeito, Guarulhos apresenta situação mais confortável do que São Paulo para a reabertura e, caso a Capital libere o funcionamento desse ramo, fatalmente guarulhenses irão se deslocar para São Paulo, aumentando a chance de contaminar-se, porque, na proporção do número de habitantes, há mais infectados na Capital do que em Guarulhos.

Com população de 12,18 milhões de habitantes, a Capital de S.Paulo tem 121.163 pessoas contaminadas: praticamente 1% da população. Se tivesse o mesmo índice de contaminação, Guarulhos teria 13.790 infectados; pelos números da Prefeitura, tem 8.440; pelos do Estado, 5.932 (número de sexta-feira, 26).

Embora a autorização do Estado fosse para que os municípios abrissem os bares e restaurantes já na segunda-feira, 29, o prefeito Bruno Covas e outros de cidades autorizadas resolveram acatar sugestão do comitê estadual e definiram o dia 6 de julho para essa retomada. Mesmo donos de estabelecimentos de São Paulo consideram, segundo pesquisa, arriscado abrir já na segunda-feira, mesmo amargando grandes prejuízos com as portas fechadas. Eles entendem que pode não compensar abrir, pois creem que frequência será pequena por enquanto, causando ainda mais prejuízo.

Guti concluiu dizendo que a decisão de reabrir ou não esse tipo de comércio dependerá de como estarão os casos da doença na cidade e o comportamento da população. Defendeu a autonomia do Município, dando a entender que pretende abrir ao mesmo tempo que São Paulo, mas afirmou que, caso a Justiça venha a ser acionada e decida contra os interesses de Guarulhos, não restará alternativa que não seja cumprir a decisão judicial.

Prefeitos de diversas outras cidades também se queixaram dos critérios do governo estadual.

Números atualizados de Guarulhos

Na “live”, o secretário-adjunto de Governo, Bruno Gersósimo, atualizou os dados da covid-19 em Guarulhos: 8.440 casos, 582 óbitos confirmados; outros 45 em investigação. No hospital de campanha do Parque Cecap (3C-Gru), estão internadas 59 pessoas, das quais 19 em UTI, 39 em enfermaria e uma em observação. Na média, a taxa de ocupação do município é de 65,3% em UTIs e de 67% em enfermarias. Tanto ele quanto o prefeito explicaram que houve um aumento de 811 casos, mas que não aconteceram em 24 horas, e sim decorrentes de represamento de outros dias.

Pelos dados do Estado, o número de casos confirmados de Guarulhos é de 5.932 e os óbitos, 656.

O Click Guarulhos publicou na sexta-feira, 26, as explicações das duas esferas de governo sobre essa disparidade. De certa forma, ambas reafirmaram ter rigor na elaboração dos boletins, atribuindo a diferença a demora na checagem de informações.