Greve dos Correios: plataforma calcula fretes para lojistas virtuais

Categoria busca impedir redução de salários, benefícios e é contra a privatização da estatal - Marcelo Camargo/ABr
 

Foi definida pela Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios, Telégrafos e Similares) a deflagração de greve dos funcionários dos Correios, a partir desta terça-feira, 18/8. Segundo a entidade, o Acordo Coletivo que estava em vigor foi rompido unilateralmente pela empresa, suprimindo direitos dos trabalhadores. Entre outros motivos para a greve estaria também a possibilidade de privatização dos Correios. A Fentect aponta que não conseguiu diálogo com a direção e afirma que a greve é por prazo indeterminado, até que sejam atendidas as reivindicações.

Os efeitos são incalculáveis na vida da população e, principalmente, de inúmeros micro e pequenos empreendedores. Uma pesquisa da plataforma de e-commerce Loja Integrada mostrou que 86% dos pequenos e médios e-commerces usam os Correios como principal forma de envio seguido por transportadoras e motoboys. 

Por isso, neste momento é preciso estar atento e adaptar-se às diversas possibilidades que o mercado de logística oferece. Uma das principais saídas é a parceria com empresas que contam com diferentes tipos de integrações para entrega. É o caso do “Melhor Envio”, plataforma de gestão de fretes que ajuda empreendedores a otimizarem tempo, ganharem competitividade com fretes mais baratos, integrações e rastreamentos automatizados. 

Entre as funcionalidades da plataforma, a calculadora de fretes é que mais chama a atenção e neste momento pode ser usada com a funcionalidade de entender e usar novos caminhos para não parar as entregas durante a greve, se ela realmente se efetivar. Com o uso da calculadora, é possível inserir o tamanho do pacote, peso e destinatário. Em segundos, o resultado aparece com uma tabela com valores e diversos meios de envio, o que facilitará para o empreendedor a escolha do melhor caminho para as suas encomendas. Tudo isso sem precisar dos servidores das transportadoras, ou seja, mesmo que a demanda esteja alta e o sistema de alguma delas caia, as lojas integradas à plataforma continuarão com suas cotações funcionando normalmente.

“Nossa startup conta com cinco transportadoras integradas ao sistema. Dessa forma, conseguimos oferecer geração de fretes, monitoramento em tempo real, sem mensalidade para o e-commerce, pagando apenas pelo envio gerado na plataforma”, explica Éder Medeiros – CEO da plataforma.

O especialista em fretes dá algumas dicas que podem ajudar neste momento e no futuro para que o seu e-commerce continue em alta.

1)  Ajuste os prazos de entrega

Em seu e-commerce, aumente os prazos de entrega informados aos clientes. Dessa forma, o consumidor ao fazer a compra ficará ciente sobre o tempo de entrega do produto.

2)  Ofereça diversas opções de frete

Nunca dependa de apenas uma opção de entrega. Use um mix de transportadoras ou meios de frete, para oferecer outras alternativas, com fretes mais baratos e mais rápidos.

3)  Avise seus clientes

Neste momento é preciso oferecer total transparência. Portanto, avise sobre o possível problema e explique que talvez a demanda para entrega demore mais do que o esperado.

4)  Utilize transportadoras privadas

Com o Melhor Envio, o empreendedor pode utilizar transportadoras privadas com descontos exclusivos, vantagem essa que pode ser repassada para o seu consumidor final. As transportadoras privadas correm menor risco de paralisação.

5)  Atente-se às novidades e à normalização

Aproveite o momento para se aproximar do cliente, tenha um pós-venda proativo e que passe informações sobre a greve e a possível normalização dos serviços. Seja uma fonte confiável neste momento tão delicado. Isso mostrará o seu interesse em ajudar o seu consumidor.