Quase 14% dos paulistanos já foram contaminados pelo novo coronavírus

 

Cerca de 1,64 milhão de pessoas na cidade de São Paulo – 13,9% da população total – já foram infectadas pelo novo coronavírus. Este foi o resultado da quinta fase do inquérito sorológico feito pela prefeitura, que testou 5,7 mil pessoas adultas em todo o município.

O estudo mostrou que a contaminação é seis vezes maior entre os mais pobres que entre os mais ricos. Entre as classes D e E, o percentual de contaminação ficou em 18,7% e, nas classes A e B, em 3,1%. A contaminação é também acima da média entre os negros (17,4%). Entre as pessoas brancas, o percentual é de 10,7%.

Apesar da grande diferença, foi constatado aumento do índice de pessoas que tiveram contato com o vírus na parte centro-oeste da cidade, onde ficam alguns dos bairros mais ricos do município. O percentual subiu de 5,2%, na etapa anterior da pesquisa, para 10,3%. O extremo leste tem, no entanto, o maior percentual de contaminados (19,6%), seguido pelo extremo sul (15,1%).

A possibilidade de trabalhar em casa apareceu como uma forma de proteção em relação ao vírus. Entre os que ficaram em regime de teletrabalho, o percentual de contaminação ficou em 7,2% e, entre os que tiveram que sair para trabalhar, em 18,9%. Os desempregados apresentaram percentual de 14,9% de contaminação pelo vírus.

A maioria das pessoas que teve contato com o vírus, mesmo tendo anticorpos, não apresentou sintomas, totalizando 61,8% de assintomáticos.

O último boletim divulgado pela prefeitura da capital paulista registra 18,9 mil mortes suspeitas ou confirmadas por covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus.

*Com informações da Agência Brasil