Guti – PSD – 55

 

Perguntas comuns a todos os candidatos

1) Qual sua profissão ou seu meio de sobrevivência? (se atualmente ocupa um cargo eletivo, qual era anteriormente?)

Estou no cargo de prefeito municipal de Guarulhos, e anteriormente cumpri dois mandatos como vereador. Porém, também administrei um colégio na cidade e fui representante de algumas marcas.

2) Qual a solução, em seu entendimento, para os moradores em situação de rua, que perambulam pelas praças, espalham detritos e passam uma imagem ruim da cidade?

Avançamos no acolhimento aos moradores em situação de rua, ampliando vagas e serviços para melhorar a qualidade de vida desta população. Temos novos equipamentos voltados às pessoas em situação de rua: o Serviço de Acolhimento Institucional Adulto Masculino Centro, o Serviço de Acolhimento Feminino, no Vila Carmela, e o Se-Pop (Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua), na região central, com espaço para carroças e para cães. O Centro Pop Vila Progresso ganhou nova instalação.

Em períodos de temperaturas mais baixas, o Serviço de Abordagem Social foi intensificado. Também focamos em tratar o problema a fundo, muitas pessoas acabam vivendo nas ruas por por problemas financeiros ou familiares, portanto, precisam de alternativas. Lançamos cursos gratuitos, acolhimento para mulheres em situação de violência/vulnerabilidade, ampliação do atendimento de programas sociais e o Cuidando, de zeladoria social que oferece bolsa-auxílio para desempregados/situação de vulnerabilidade.

3) Outras cidades ao longo da via Dutra têm diversas travessias de um lado para outro da rodovia e em Guarulhos não. Há como resolver isso?

Em minha visão, há como otimizar muito mais a malha viária da cidade. Por exemplo, a rodovia Presidente Dutra é utilizada como “avenida” em Guarulhos pelo fato dela cortar a cidade, então precisamos fazer as ligações através dela. Nosso time estuda a realização de quatro passagens subterrâneas ao longo da rodovia no trecho guarulhense. Também iremos criar novos corredores, faixas exclusivas para o transporte público para a cidade ter mais mobilidade, novo modelo de transporte viário para ter mais acessos aos bairros. Queremos duplicar algumas avenidas e incentivar o ciclismo.

Não é apenas um plano de Governo, é também de ação, eu conversei recentemente com o Governo Federal sobre o tema e teremos apoio para isso.

4) Todos criticam o excesso de cargos comissionados na Prefeitura, mas sucessivos prefeitos os utilizam para formar base de apoio no Legislativo. Como será sua posição quanto a isso, se for eleito?

Este mandato tornou possível a economia de mais de R$ 230 milhões apenas com a redução de cerca de 40% do número de comissionados, que somava 1941 cargos na antiga gestão. Investimos numa equipe técnica compromissada na resolução de problemas nas mais diferentes esferas. O enxugamento da máquina administrativa, que passou também pela diminuição no número de imóveis alugados, contribuiu muito para que nós conseguíssemos melhorar a eficiência administrativa e a diminuição da dívida do Município.

5) Enquanto há milhares de famílias sem uma moradia digna, há inúmeros imóveis desocupados sem cumprir função social e boa parte deles com dívidas de impostos. O que pretende fazer nesse sentido?

Sabemos que existem imóveis desocupados e que há muitos também em débito com os impostos municipais, mas não é tão simples para a Prefeitura ocupá-los. É preciso que haja uma conjunção de fatores previstos no artigo 1.276 do Código Civil Brasileiro, antes que a administração se aposse de algum bem. “O imóvel urbano que o proprietário abandonar, com a intenção de não mais o conservar em seu patrimônio, e que se não encontrar na posse de outrem, poderá ser arrecadado, como bem vago, e passar, três anos depois, à propriedade do Município, se se achar nas respectivas circunscrições.”

Segundo a Lei Municipal nº 7.804/19, de Regularização Fundiária, para que a Prefeitura se aposse de uma propriedade precisa atestar que o imóvel está abandonado e devendo os impostos. Só a partir daí poderá requerer sua retomada. Investimos em regularização fundiária com a entrega de títulos definitivos de posse aos moradores. Nesta gestão já foram entregues quase 2 mil e esperamos atingir 40 mil famílias.

6) A população queixa-se de falta de médicos nas diversas unidades de Saúde. Sucessivos prefeitos atribuem que muitos médicos só aceitam trabalhar no serviço público enquanto não obtêm algo melhor. Como pretende resolver essa questão?

Nos últimos anos, contratamos mais de 230 médicos, porém, aprimoramos o controle de horários, exigindo que cumprissem a carga horária. Isso fez com que muitos médicos deixassem os quadros da Prefeitura.

Para os próximos anos, vamos reestruturar as ações, fortalecendo o potencial de atendimento básico; ajustar e reorganizar as instalações de UBS para maximizar a capacidade de atendimento; ampliar as UBSs tradicionais mistas, atendendo o Programa de Saúde da Família, fortalecendo o atendimento primário; modernizar toda a área; construir o novo Hospital da Criança a partir do Programa de Parcerias e Investimentos do Governo Federal; colocar em funcionamento dois andares nunca ocupados no Hospital Pimentas-Bonsucesso; além de viabilizar a conclusão do Hospital da Mulher. Deveremos implantar, já no início de 2021, novas formas de contratação de médicos para atuarem diretamente na atenção básica.

Perguntas específicas para Guti – PSD – 55

1) Boa parte dos eleitores que lhe confiaram seu voto em 2016 o acusam de ter mantido hábitos antigos, como a barganha de apoio na Câmara por cargos comissionados, ao invés de implantar a prometida “nova política”. O que diz sobre isso?

Jamais cedi a nenhuma vaidade política, todo o meu time deve trabalhar como qualquer trabalhador. Se trabalho 14, 16, 18 horas é porque sei que na cidade que vivemos outros trabalham assim por seus objetivos, por sua família, pelo desenvolvimento do país.

Minha prioridade sempre foi a cidade e transparência com a população. É por isso que não viram obras faraônicas, a velha política teria feito dívidas sobre dívidas, obras gigantes e maquiado a verdade.

É por deixar o velho pensamento populista de lado que temos agora uma cidade governável, diferente daquela que não tinha contas aprovadas por cerca de 15 anos, nome sujo, dívidas com fornecedores de medicamentos e água, não tratava o esgoto, não regularizou as áreas, não podia receber verbas estaduais e federais, mas tinha a vaidade nas obras paradas.

Então, todo mundo que entra pro meu time tem que trabalhar para que a próxima geração também possa trazer mais qualidade de vida porque não encontrará barreiras assim.

2) Por que, em vez de montar um hospital de campanha, não utilizou os recursos para construir um novo equipamento ou para concluir o Hospital Pimentas-Bonsucesso, que continuariam servindo a população após a pandemia?

Quando a pandemia chegou, não havia receita de como proceder. Tínhamos que agir rápido. Era necessário ter um equipamento em um curto espaço de tempo. Concluir os dois andares abandonados pela gestão do PT por 10 anos demoraria mais de seis meses. Baseados nas experiências de outros países atingidos pela pandemia, optamos pelo hospital de campanha para garantir a distância social das pessoas infectadas com as demais. Em uma semana, abrimos o Centro de Combate ao Coronavírus de maneira bastante assertiva. Nenhum paciente morreu na fila de espera, como chegou a ocorrer em países desenvolvidos como a Itália, e até em outras cidades brasileiras. Mais de 600 pessoas foram salvas no prazo de cinco meses. O investimento realizado não foi alto se comparado com outros municípios. Fizemos um pacto pela vida e cada vida salva não tem preço. Provavelmente aqueles que atacam o êxito do hospital de campanha não precisaram de atendimento público. Cumprimos muito bem a missão que nos foi dada.


Quem é candidato a vice

Jesus Roque de Freitas, mais conhecido como Professor Jesus (28 de outubro de 1971), é professor, evangelista e vereador na cidade de Guarulhos, filiado ao Republicanos. Atualmente, é candidato a vice-prefeito na chapa com Guti (PSD). 

Formado em Letras e pós graduado em Língua e Literatura, ministrou aulas de português e literatura em diversas instituições de ensino em Guarulhos, tanto públicas como privadas. Em diversos momentos trabalhava em mais de um local por dia. Além disso, também chegou a coordenar o curso de teologia da Faculdade Evangélica de São Paulo (Faesp) em Guarulhos.

Em 2012, foi eleito vereador de Guarulhos com 4.670 votos. Em 2016, como fruto do trabalho exercido no primeiro mandato e contando novamente com a confiança do seu eleitorado, foi reeleito com 5.828 votos. Além disso, Jesus foi presidente da Câmara Municipal por duas vezes (2015/2016 e 2019/2020).