SP atinge 40.564 óbitos atribuídos à covid; pacientes internados são 7.726

 

O Estado de São Paulo registra neste domingo (15) 40.564 óbitos e 1.168.640 casos confirmados do novo coronavírus. Os dados ainda sofrem o impacto das falhas do sistema federal SIVEP, onde são notificados os casos graves e óbitos. Em seis dos últimos nove dias, houve dificuldade tanto na notificação por parte dos municípios quanto na extração de dados pela Secretaria de Estado da Saúde. Isso afetou diretamente a contabilização dos números das semanas epidemiológicas 45 e 46 (passada e atual). Com a retomada do sistema no sábado (14), é esperado que as prefeituras notifiquem estes dados “represados” durante o período de falha no SIVEP, o que pode gerar uma falsa ideia de alta nos próximos dias. 

Entre o total de casos diagnosticados de COVID-19, 1.063.018 pessoas estão recuperadas, sendo que 127.327 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 46,3% na Grande São Paulo e 41,9% no Estado. O número de pacientes internados é de 7.726, sendo 4.430 em enfermaria e 3.296 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 11h deste domingo.

Todos os 645 municípios têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 594 com um ou mais óbitos. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada em: www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais estão 23.347 (57,6%) homens e 17.217 (42,4%) mulheres. Os óbitos permanecem concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 76,5% das mortes.

Observando faixas etárias, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (10.458), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (9.577) e 80 e 89 anos (8.305). Entre as demais faixas estão os: menores de 10 anos (52), 10 a 19 anos (72), 20 a 29 anos (334), 30 a 39 anos (1.148), 40 a 49 anos (2.638), 50 a 59 anos (5.264) e maiores de 90 anos (2.716).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,9% dos óbitos), diabetes mellitus (43,3%), doenças neurológicas (10,9%), renal (9,5%), pneumopatia (8,4%). Outros fatores identificados são obesidade (8,2%), imunodepressão (5,5%), asma (3%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,7%), Síndrome de Down (0,5%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 32.648 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,5%).

Perfil dos casos

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus estão 544.509 homens e 617.943 mulheres. Não consta informação de sexo para 6.188 casos.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (275.282). As demais são: menores de 10 anos (29.680), 10 a 19 (56.996), 20 a 29 (198.776), 40 a 49 (240.036), 50 a 59 (174.755), 60 a 69 (106.201), 70 a 79 (53.816), 80 a 89 (25.238) e maiores de 90 (7.184). Não consta faixa etária para outros 676 casos.