São Paulo e Rio de Janeiro registram maior abstenção no primeiro turno

Movimentação dos eleitores durante eleições municipais de 2020, na 4ª zona eleitoral, no CIEP do bairro do Humaíta
 

Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro apresentaram os maiores índices de abstenção de eleitores no primeiro turno das eleições municipais. O número de eleitores faltosos foi 27,3% e 28%, respectivamente. A abstenção em todo o país foi de 23,1%.  

Os estados que menos registraram abstenções foram Piauí (15,4%), Paraíba (15,7%), Ceará (16,9%) e Amazonas (19%). 

Nas eleições municipais de 2016, a abstenção foi de 17,5% do eleitorado de todo o país. No primeiro turno das eleições presidenciais de 2018, o índice foi de 20,3%. 

O resultado final da apuração também mostrou que 34,1 milhões de eleitores em todo o país não votaram. Cerca de 147 milhões estavam aptos a votar. Foram registrados 3,9 milhões de votos em branco e 7 milhões de votos nulos. 

Ontem (15), ao fazer um balanço sobre o primeiro turno, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, considerou que o índice de abstenção geral foi “um pouco superior” em relação ao pleito de 2018. 

Devido a pandemia da covid-19, Barroso esperava que o número de eleitores faltosos seria de aproximadamente 30%. 

“Queria cumprimentar o eleitorado brasileiro, que compareceu em massa, apesar das circunstâncias. Nós tivemos a preocupação de dar máxima segurança à saúde de todos”, disse. 

O segundo turno será realizado no dia 29 de novembro em 57 cidades, das quais 18 são capitais. Nessas localidades, a campanha eleitoral está autorizada a partir de hoje (16).

*Com informações da Agência Brasil