Diretores do Corinthians cobraram árbitro de partida contra o Grêmio no vestiário

 

Timão empatou com a equipe gaúcha jogando em casa

O Corinthians vive uma temporada conturbada. A proximidade com a zona de rebaixamento, as trocas de técnico e o desempenho ruim em grande parte dos jogos faz com que os nervos de atletas, comissão técnica e dirigentes estejam à flor da pele.

Esse foi o cenário visto na Neo Química Arena no domingo (24), após o empate do Corinthians diante do Grêmio, por 0 a 0. A partida foi marcada por agressões e polêmicas. Ao fim do confronto, o árbitro do confronto, Caio Max Augusto Vieira, relatou na súmula ter sido ofendido por dirigentes do Timão.

De acordo com o árbitro, os diretores adjuntos Eduardo Almgren Ferreira e Jorge Agle Kalil o chamaram de covarde no intervalo da partida. Diz a súmula (mantido o texto original do árbitro):

“Informo que no intervalo da partida enquanto a equipe de arbitragem se dirigia para o vestiário, dois diretores do S. C. Corinthians paulista que se encontravam na zona mista, identificados como os senhores, Eduardo Almgren Ferreira (…) e Jorge Agle Kalil, gritavam insistentemente em nossa direção as seguintes palavras, “vocês estão caindo na pressão deles, seus covardes”. informo que ambos foram identificados pelo delegado da partida sr. Quintino Maudonnet Neto”

O jogo foi confuso e cheio de polêmicas. O clube paulista teve dois jogadores expulsos na partida: Marllon e Otero. O primeiro levou amarelo por entrada em Matheus Henrique, mas o árbitro mudou a decisão ao ver um corte na canela do jogador gremista – e trocou o cartão para vermelho. Ele depois reviu o lance no monitor do VAR e manteve a expulsão.

O Corinthians sentiu-se prejudicado após o gremista Darlan, ainda no começo do jogo, não receber o segundo cartão amarelo após uma entrada forte. A outra polêmica da noite ficou por conta do venezuelano Otero.

O meio-campista foi expulso ao longo da segunda etapa. Dirigentes do Timão alegam que antes de o atleta cometer a falta que abreviaram sua participação em campo, ele havia sofrido falta não marcada pela arbitragem. As notícias de esportes dizem ainda que o técnico Vagner Mancini ficou furioso com a expulsão.

Após o jogo, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, deu entrevista coletiva criticando a arbitragem. O dirigente vive seus últimos momento como mandatário do clube, e já avisou que após deixar o cargo, vai se afastar também do futebol.

“Tivemos mais uma arbitragem bizarra na Neo Química Arena. Um juiz despreparado não pode apitar um jogo do tamanho de um clássico nacional como é Corinthians e Grêmio”, afirmou Andrés.

“A quantidade de erros que ele teve é inadmissível: não deu o segundo amarelo para o Darlan, expulsou o Marllon em um lance discutível e não deu pra nós a falta no lance que terminou com a expulsão do Otero. Eu achei que já tinha visto de tudo contra Sport e América, a falta de critério no pênalti, mas é pior.””

O cartola afirmou que vai à Confederação Brasileira de Futebol para dialogar sobre a escolha de árbitros para os jogos do Corinthians. “O nível é horroroso. Entraremos com ofício na CBF relatando todos estes erros. O torcedor quer respeito. Esse Caio Max Vieira não apita mais jogos do Corinthians”, disparou.

Com o empate, o Timão foi a 26 pontos, na 13ª colocação.

foto: reprodução SCCP