Butantan pede à Anvisa registro emergencial de mais 4,8 milhões de doses da vacina contra o coronavírus

 

O Governador João Doria confirmou nesta segunda-feira (18), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, que o Instituto Butantan pediu à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) o registro emergencial para um segundo lote de 4,8 milhões de novas doses da vacina contra o coronavírus desenvolvida pela instituição em parceria com a biofarmacêutica Sinovac.

“A autorização para o uso emergencial que a Anvisa concedeu ontem (17) era exclusivamente válida para as 6 milhões de doses da vacina, todos elas já distribuídas ao Ministério da Saúde. Estamos seguros que essa nova análise será feita com o mesmo critério, o mesmo cuidado e a mesma agilidade com que ontem liberaram a vacina do Butantan, a vacina do Brasil”, disse o Governador João Doria.

Segundo o Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o pedido de autorização do uso emergencial do segundo lote abrangerá um número ainda maior de doses. “A primeira partida é de 4 milhões e 800 mil já em disponibilidade, na medida em que for feita essa segunda autorização. Uma vez aprovado, daí a produção do Butantan será feita de acordo com essa autorização, isto é, não haverá a necessidade de todo o lote ser requisitado (o pedido emergencial), podendo chegar a uma produção adicional de 35 milhões de doses”, explicou.

Neste domingo (17), logo após autorização da Anvisa, o Butantan colocou à disposição do PNI (Programa Nacional de Imunização) cerca de 6 milhões de doses, das quais 1,4 milhão foi destinada ao Estado de São Paulo e 4,6 milhões para os demais Estados da federação, conforme definido em entendimentos feitos entre o instituto e o próprio Ministério da Saúde.

Novas remessas de insumos para envase deverão chegar nas próximas semanas, aguardando apenas aval do Governo da China. Das 8,7 milhões de doses previstas em contrato para entrega até 31 de janeiro, 6 milhões já foram encaminhadas. As demais devem seguir até o final deste mês. A programação prevê que até abril o Butantan entregue ao Ministério da Saúde 46 milhões de doses da vacina.

Em seu discurso, o Governador João Doria reforçou sobre o início da vacinação em cinco grandes hospitais do interior, em Campinas, Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e São José do Rio Preto, e elogiou o programa estadual de imunização. “Temos seringas, agulhas e equipamentos de proteção individual graças a um planejamento iniciado em outubro e revalidado em reuniões da Secretaria da Saúde”, lembrou.

“Com planejamento, com estrutura e com uma equipe responsável, sem nenhuma visão ideológica, partidária e política, e sim com visão técnica, de obediência à ciência, nós estamos realizando esse programa de vacinação em São Paulo”, completou o Governador João Doria.