EDP atendeu 516 ocorrências de vegetação na rede elétrica entre dezembro e janeiro

 

O verão tem como característica climática dias quentes com alta possibilidade de temporais com ventos, descargas atmosféricas e grande volume de chuva. Mas o último mês de dezembro foi o mais chuvoso em 10 anos – além de a média geral de chuvas acumuladas nas cidades de atuação da EDP durante o mês ter sido 79% maior que no ano anterior*.Com isso, as quedas de árvores ficaram mais frequentes, trazendo riscos à segurança e prejuízos à população nas cidades.

Entre dezembro e janeiro (1/12/20 a 20/01/21), a EDP atendeu 516 ocorrências relacionadas a vegetação nas redes elétricas em Guarulhos. Este acumulado é 76% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, dado que reflete a maior severidade do clima. Cidades próximas a Guarulhos como Itaquaquecetuba, Ferraz e Poá chegaram a registrar rajadas de vento de até 98 km/h no período.

As ocorrências que envolvem vegetação e rede elétrica são complexas e parte do trabalho em campo é realizado em conjunto com o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e demais órgãos municipais. Assim, o tempo para realização do serviço, que muitas vezes envolve postes quebrados, fios rompidos e equipamentos de grande porte danificados, pode se elevar, de acordo com a extensão dos danos causados ao sistema elétrico.

A queda de árvores e galhos sobre a rede é uma das principais causas de interrupção da energia, trazendo riscos à segurança e prejuízos. Por isso, pensando na harmonia entre natureza e a preservação da rede elétrica, a EDP reforça a necessidade do plantio adequado de novas árvores para que não haja interferência no fornecimento de energia a residências, comércios, indústrias e, principalmente, neste contexto de pandemia da Covid-19, para unidades de saúde, hospitais e centros médicos.

A seguir, algumas orientações sobre plantio de árvores:

  • Opte por árvores de menor porte e evite as espécies altas, como eucaliptos, palmeiras e similares, próximo ou em baixo da rede elétrica, para evitar risco de interferência no fornecimento da energia.
  • O alerta vale também para as folhagens que podem ocultar a fiação. Elas aumentam a probabilidade de contatos acidentais com a rede, por exemplo, por crianças que brincam perto da vegetação. Em zonas rurais, há ainda perigo de incêndios com a queda de árvores sobre a rede elétrica, ocasionado por plantios imprudentes.
  • Para plantar árvores em áreas urbanas é importante que a prefeitura do município seja acionada para a liberação ambiental.

Vale destacar que a poda, manutenção e conservação da vegetação nas cidades, caracterizada como limpeza urbana, é responsabilidade do governo municipal, e a solicitação do serviço deve ser realizada diretamente ao órgão competente da cidade. A EDP atua no serviço de poda quando os galhos se encontram muito próximos da rede elétrica e podem interferir no funcionamento do sistema. O trabalho de poda preventiva é feito de forma contínua, uma prática que é reforçada no período que antecede o verão.

“A EDP investe constantemente em redes de energia mais protegidas para garantir um convívio mais harmonioso da vegetação com o sistema elétrico das cidades e faz podas regulares nas árvores próximas da fiação, porém, a queda de galhos e árvores inteiras tem potencial para causar rompimento de cabos e quebra de postes, curto-circuito, além de provocar acidentes com passantes”, afirma Afonso Celso Ferreira, gestor de operação da EDP.

É importante destacar que, a qualquer momento, o consumidor pode solicitar o serviço de poda de vegetação com impacto à rede elétrica diretamente nos canais de atendimento da EDP, pelo site www.edponline.com.br ou pelo aplicativo EDP Online. O cliente pode, inclusive, inserir um registro fotográfico, facilitando a localização do local pela equipe de campo.

* Fonte: Climatempo