Músico de Guarulhos cria projeto sonoro de “banda de uma pessoa só” e lança novo EP

 

Com todos os ingredientes do Shoegaze, estilo de rock indie da Inglaterra, “The Apocalyptic Sense Of Being a Teenager” traz o caos, o barulho e a sensibilidade do estilo inglês dos anos 80 e 90 com um verniz contemporâneo, cheio de experimentações.

Feito integralmente por apenas um músico, o EP é assinado por The Lonely Man Orchestra, projeto solo do multi-instrumentista e produtor musical Dennis Ragonha, de Guarulhos. Em 2019, com o mesmo projeto, Denis lançou o álbum “Human Dancer”. Apaixonado por música desde sempre, o artista também é baixista da banda Cyanogaster, composta por outros artistas de Guarulhos: Van Romeiro (voz, violão, teclado), Guilherme Nascimento (guitarra e voz) e Ronaldo Ragonha (bateria).

Em menos de 15 minutos de faixas, “The Apocalyptic Sense Of Being a Teenager” sugere uma catarse de sentimentos. Traçando esse paralelo com as emoções da adolescência que são intensas e cíclicas, as músicas são cheias de ups and downs e juntas, se comunicam como a trilha sonora de filme com enredo adolescente, como “As Vantagens de Ser Invisível”.  “O EP é sobre essa sensação apocalíptica da juventude. Tudo é o fim do mundo e tudo é muito grande e intenso no sentido emocional”, conta o artista, que tem propriedade para falar do assunto por estar passando pela fase.

Submerso nesse momento, a intro “Things Get Harder As You Grow”, marca o caráter psicodélico do EP e convida para embarcar nessa viagem introspectiva e melacólica. O nome da faixa já dá o tom do maior tema do EP, que são os medos e as dificuldades dessa fase que antecede a maioridade e vida adulta.

Em “Voicemail”, o artista resgata os anos 80 e 90 não só na sonoridade, mas no próprio conteúdo, fazendo menção às borboletas no estômago ao deixar uma mensagem de voz no telefone da(o) crush.

Mais pra cima, “Everything Is Ending (Adultaphobia) traz um refrão envolvente e uma parada acústica no meio, seguida de referências emo e scremo. A mistura de estilos combina com a mensagem da música, repleta de dúvidas e medos.

Com sonoridade mais romântica, “I’ll Write You Back Eventually” é uma faixa com guitarra mais limpa que antecede a impactante “Youth”. Mais bem humorada, a última música do EP fecha o ciclo da dor resgatando a vibe mais enérgica da juventude. Com ritmo vivo, “Youth” encerra com sensação de respiro e pegada “tragicómica” da diversão que prevalece apesar das dores. No fim das contas, ser adolescente não é tão ruim and “I don’t feel like growing old”.

“No fim, minha música reflete a minha vontade de não ignorar o turbilhão de emoções e me permitir sentir todas essas coisas sobre o amor e o meu medo de crescer. É sobre lidar com essas questões inerentes ao humano”, conta.

► EP “The Apocalyptic Sense Of Being A Teenager”