Taxa Selic sobe para 2,75%

 
 
O Copom (Conselho de Política Monetária do Banco Central) resolveu elevar a taxa básica de juros em 0.75, na primeira alta depois das consecutivas quedas que a fizeram chegar a até 2% ao ano. Com isso, a taxa passa a 2,75% e a tendência é uma maior valorização do real ante o dólar.

O mercado também espera que a medida impacte a Bovespa positivamente, pois acena um compromisso em conter a inflação de forma mais incisiva.

Para a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), o Copom acertou ao elevar a Selic para 2,75% ao ano. “A decisão do Copom de começar o ciclo de elevação da Selic se deve à preocupação com a aceleração da inflação, embora a atividade econômica ainda esteja muito fraca. Pode-se discutir se o aumento dos juros contribuirá para desacelerar a inflação, uma vez que não existe pressão de demanda. Pelo contrário, o agravamento da pandemia e das medidas restritivas deverá enfraquecer ainda mais o consumo das famílias”, diz Marcel Solimeo, economista da ACSP. 

Ele comenta que se pode entender que o comitê quis mandar uma mensagem ao Congresso e ao Executivo sobre a necessidade e urgência de medidas de ajuste fiscal mais efetivas. “Apenas com o restabelecimento da confiança na área fiscal será possível reverter a desvalorização cambial que se constitui um dos responsáveis pela elevação dos preços. Esperamos que essa sinalização atinja seus objetivos, permitindo que as altas da Selic possam ser interrompidas ou, pelo menos, moderadas nas próximas reuniões”, completa o economista.