Lançado Projeto Cuidar para prevenção ao uso de álcool e drogas em comunidades indígenas

 

Com o objetivo de conscientizar povos tradicionais e comunidades indígenas sobre os efeitos do uso de álcool e outras drogas, os ministérios da Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) lançam nesta segunda-feira (19.04) o Projeto Cuidar. Na data em que se comemora o Dia do Índio, a iniciativa é resultado de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) e quer reforçar as ações de proteção e fortalecer o bem-estar físico, mental e social desses grupos.

O primeiro público beneficiado será o da população indígena. O início previsto das atividades é no segundo semestre deste ano, caso as condições de controle da pandemia de Covid-19 permitam. Nessa primeira fase, as ações devem ser desenvolvidas no município de Dourados (MS).

“Estamos trabalhando em conjunto, o Ministério da Cidadania e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, para atuar na prevenção do uso de drogas e de álcool nas comunidades tradicionais. Vamos trabalhar na capacitação de profissionais que possam mostrar novos caminhos e tratar diretamente com essas populações. Nós, do Ministério da Cidadania, temos muito zelo e trabalhamos com efetividade para que a gente possa cada vez mais melhorar a vida daqueles que mais precisam, as pessoas em vulnerabilidade, com uma atenção especial para nossas comunidades tradicionais”, afirmou João Roma, ministro da Cidadania.

“Com o Projeto Cuidar, o Governo Federal passará a desenvolver ações de prevenção ao uso de álcool e outras drogas, e também de recuperação de dependentes químicos, em povos e comunidades tradicionais. É extremamente importante que todos os brasileiros sejam beneficiados pelas políticas públicas do Estado”, afirma o secretário nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred) do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro. “Esse trabalho será realizado por meio de ações interministeriais e intersetoriais, levando em consideração as necessidades específicas dos povos atendidos, respeitando suas peculiaridades, com o objetivo de obter resultados efetivos, ajudando de fato as pessoas a viverem uma vida protegida do álcool e de outras drogas”, acrescenta.

Os trabalhos serão desenvolvidos pela Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SNPIR) e pela Senapred, com apoio e parceria da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) do Ministério da Saúde, da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA) e da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM), ambas do MMFDH. Os trabalhos também serão acompanhados pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

“O nosso trabalho é levar a política pública para as pessoas na ponta. Os povos e comunidades tradicionais estão sendo assistidos inclusive com a conscientização sobre o problema que as drogas e o álcool podem levar para dentro dos locais onde vivem”, explica o titular da SNPIR, Paulo Roberto.

Em função da pandemia, o Projeto Cuidar só será realizado em comunidades que foram devidamente imunizadas, e onde as condições nacionais e regionais permitam a realização das atividades propostas de modo seguro. Enquanto isso, no próximo mês os órgãos já farão as adaptações nos materiais didáticos para tornar a linguagem acessível, tanto para facilitar os trabalhos de conscientização como para auxiliar a compreensão do público-alvo.