Transportes Metropolitanos apoiam campanha para incentivar doação de sangue

 

Para estimular a doação de sangue neste momento grave que vivemos, por conta da Covid-19, EMTU, CPTM, Metrô, ViaQuatro, ViaMobilidade e Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ), empresas ligadas à Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM), participam da campanha “Doe Sangue. Salve Vidas!”, promovida pela Abrale – Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia e pela Abrasta – Associação Brasileira de Talassemia.

Estações de metrô, trem e terminais metropolitanos de ônibus vão receber cartazes com o lema da campanha: “A pandemia parou o mundo. Mas a esperança não pode parar. Doe Sangue. Salve Vidas!” Os cartazes também serão afixados em ônibus da EMTU nas regiões metropolitanas de Campinas, Vale do Paraíba e Sorocaba. Monitores em estações do Metrô e da CPTM e em trens e estações das ViaQuatro e da ViaMobilidade e também do VLT na Baixada Santista vão reproduzir um vídeo da campanha. Além disso, as empresas vão usar as redes sociais para mobilizar seus seguidores.

“Os transportes metropolitanos têm participado ativamente de campanhas para levar ao cidadão a mensagem da importância da doação de sangue, especialmente em um momento tão delicado como o que vivemos. Em 2020, levamos um hemocentro móvel para o nosso sistema. O sucesso da ação nos faz acreditar que, mais uma vez, vamos conseguir mobilizar as pessoas para irem até o hemocentro mais próximo e doar”, diz o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy. Em 2020, por causa do novo coronavírus, houve queda de aproximadamente 20% no número de doações.

“A reposição frequente dos estoques de sangue é necessária para tratar anemias crônicas, nos procedimentos de urgência, acidentes que causam hemorragias, complicações da dengue, febre amarela, tratamento de câncer e outras doenças graves. Queremos mostrar a segurança do procedimento e que há milhares de pacientes que necessitam deste ato de amor”, afirma a presidente da Abrale, Merula Steagall.

A iniciativa pretende engajar a sociedade em ações e medidas que impulsionem um esforço coletivo para o abastecimento dos bancos de sangue.
Os locais de doação estão preparados e higienizados para receber o público. Com as restrições da pandemia, há esquemas especiais para evitar aglomerações e manter distâncias seguras entre os doadores.

Quem pode doar – Para a doação, é necessário ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos. Para menores de 18 anos, é necessário o consentimento dos responsáveis. O modelo estará disponível no hemocentro. A pessoa também precisa pesar mais de 50kg e levar um documento de identidade original, com foto recente.

Atenção – É recomendado ligar no hemocentro ou ponto de coleta mais próximo e agendar um melhor horário, para evitar aglomerações.
A hematologista Sandra Loggetto, integrante do Comitê Médico da Abrasta, ressalta que uma dúvida constante é sobre a Covid-19. “Quem teve a doença pode doar sangue depois de 30 dias da cura”, afirma a médica. Algumas situações também impedem que as pessoas estejam definitivamente aptas a doar. “Quem teve hepatite depois dos 11 anos, ou aquelas pessoas que têm alguma doença transmitida pelo sangue, como hepatites B e C, HIV, doença de Chagas, doenças causadas pelos vírus HTLV 1 e 2, quem tem malária ou utiliza drogas ilícitas estão impedidas de doar”, acrescenta.

O presidente da Abrasta, Eduardo Fróes, reforça que a doação é segura e qualquer pessoa, um dia, pode precisar de uma transfusão. “Segundo a OMS, o Brasil está abaixo do número de doadores ideal para um sistema de doação saudável”, destaca.

A campanha também faz um chamado para que os doadores de sangue repliquem as informações nas redes sociais. A iniciativa pede que as pessoas vistam uma peça de roupa vermelha, tirem uma foto e postem a imagem marcando a @abraleoficial e a @abrastaoficial, além das #VistaVermelho e #DoeSangue, convidando os amigos a fazer parte da ação.

Como participar – As informações completas da ação, e sobre a doação de sangue, podem ser vistas em http://www.abrasta.org.br/campanha-doacao-de-sangue/

Sobre a Abrale – A Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) foi fundada por pacientes e familiares em 2002, com a missão de oferecer ajuda e mobilizar parceiros para que todas as pessoas com câncer do sangue no Brasil tenham acesso ao melhor tratamento. A atuação da associação é sustentada por quatro pilares: Apoio ao Paciente, Educação e Informação, Pesquisa e Monitoramento e Políticas Públicas. Mais informações em www.abrale.org.br