Usuários queixam-se do Banco Mercantil do Brasil; veja as respostas

 

Grandes filas que têm se formado diante das agências do Banco Mercantil do Brasil em Guarulhos chamam a atenção da população. Mas, quem sente na pele o problema é quem está na fila, principalmente nas datas de recebimento de benefícios do INSS e outros. São pessoas idosas, com deficiências, mães com crianças no colo e em outras situações limitantes, que chegam a ficar uma hora ou mais na fila.

Um usuário que tem 35 anos de idade reclama que, embora tenha condições de utilizar os terminais de autoatendimento, não lhe é permitida entrar na agência, sendo obrigado a permanecer na fila, junto com todos os outros que dependem dos dois únicos funcionários que auxiliam os beneficiários do INSS e de programas sociais que ali estão, na nova agência da rua Nove de Julho, Centro de Guarulhos. Há dias nos quais a fila chega à rua Felício Marcondes.

Outra questão é a falta de estacionamento. Mesmo contando com um espaço ao lado, que era utilizado por outro banco que esteve instalado no mesmo prédio, o local está fechado, o que contraria exigência das posturas municipais.

Na agência da rua João Gonçalves também são constantes as filas, mesmo fora dos períodos de pagamento de benefícios. A queixa é de que só permitem entrar duas pessoas por vez.

O Click Guarulhos enviou as reclamações à Assessoria de Imprensa do Banco Mercantil do Brasil, que respondeu:

Nota de esclarecimento

“O banco informa que investe constantemente na qualidade do atendimento, mas esclarece que eventualmente podem ocorrer picos de movimento – principalmente em dias de pagamento de benefícios – que podem alterar o padrão de qualidade. Além disso, em virtude da pandemia da covid-19, tem sido necessário seguir o protocolo de distanciamento entre os clientes, conforme exigido pela Organização Mundial da Saúde, o que, ocasionalmente, gera filas visualmente mais longas.

Para evitar esses inconvenientes, o banco orienta que os beneficiários consultem o dia específico do pagamento por meio do site www.mercantildobrasil.com.br, no recibo de saque ou no calendário afixado nas agências.

O banco mantém, ainda, diversos canais de atendimento que podem solucionar determinadas demandas do cliente sem necessidade de deslocamento até uma agência. São eles:

Alô Mercantil: 0800 7070 398 (gratuito, com demandas atendidas em até três dias úteis): Dúvidas sobre cancelamentos, datas de pagamento, cartão de débito e crédito, renegociação de dívidas e lançamentos na conta.

Ouvidoria: 0800 70 70 384

Canal para defender os direitos dos clientes. Para abrir uma ocorrência na Ouvidoria, o cliente precisa do número do protocolo fornecido pelo SAC.

O Mercantil do Brasil também lançou um hotsite (mb.b.br/coronavirus) para que os clientes possam se informar sobre as agências que estão em funcionamento, orientar sobre como realizar diversos serviços pelo aplicativo do Mercantil do Brasil e sanar dúvidas na área de “Perguntas e respostas”.

Sobre a área de autoatendimento na rua Nove de Julho

O banco esclarece que a agência em questão é razoavelmente nova e entrou em funcionamento neste ano, em um cenário atípico devido a pandemia de Covid-19. Dessa forma, o Banco Mercantil segue adequando a estrutura para melhor atender os clientes neste cenário e estudando o uso do estacionamento.

Nesta sexta-feira, está prevista uma vistoria na unidade para reavaliar a quantidade segura de pessoas que podem estar ao mesmo tempo dentro da agência, de forma que seja possível separar as filas do Autoatendimento (AA) e do atendimento interno. No momento, não há uma entrada exclusiva para o AA por questões de segurança.”