terça-feira, 15 de junho de 2021
InícioECONOMIASetor de serviços cresce 0,7% em abril, mas segue abaixo do patamar...

Setor de serviços cresce 0,7% em abril, mas segue abaixo do patamar pré-pandemia

O volume de serviços prestados no Brasil cresceu 0,7% em abril, na comparação com março, apontam os dados divulgados nesta sexta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, o setor recuperou parte do recuo de março (-3,1%), mas continua abaixo do patamar pré-pandemia.

O setor de serviços ainda se encontra 1,5% abaixo do patamar de fevereiro de 2020 e 13,1% abaixo do pico histórico, registrado em novembro de 2014, segundo o IBGE.

Na comparação com abril de 2020, o volume de serviços avançou 19,8%, segunda taxa positiva seguida e a mais intensa da série histórica, iniciada em janeiro de 2012, favorecida pela fraca base de comparação.

No acumulado de janeiro a abril, o setor tem alta de 3,7% – o maior resultado desde abril de 2014 para os 4 primeiros meses do ano.

Em 12 meses, porém, ainda está negativo, mas manteve a trajetória de recuperação iniciada em fevereiro, ao passar de -8% em março para -5,4% em abril.

O setor de serviço é o que possui o maior peso na economia brasileira e tem sido também o mais prejudicado pela pandemia do coronavírus.

Veja abaixo a variação dos subgrupos de cada uma grandes atividades:

  • Serviços prestados às famílias: 9,3%
  • Serviços de alojamento e alimentação: 9,8%
  • Outros serviços prestados às famílias: 0,9%
  • Serviços de informação e comunicação: 2,5%
  • Serviços de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC): 3,1%
  • Telecomunicações: 0,8%
  • Serviços de Tecnologia da Informação: 5,3%
  • Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias: 1,0%
  • Serviços profissionais, administrativos e complementares: -0,6%
  • Serviços técnico-profissionais: -0,1%
  • Serviços administrativos e complementares: -1,3%
  • Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio: zero
  • Transporte terrestre: -0,9%
  • Transporte aquaviário: 5,6%
  • Transporte aéreo: -15,5%
  • Armazenagem, serviços auxiliares aos transportes e correio: 0,3%
  • Outros serviços: -0,9%

Recuperação desigual

A alta de 0,7% de março para abril foi acompanhada por apenas duas das cinco atividades pesquisadas: informação e comunicação (2,5%) e serviços prestados às famílias (9,3%), liderados, principalmente, pelos restaurantes. “Esse resultado dos serviços prestados às famílias deve ser relativizado, já que em março eles caíram 28,0%, no momento em que houve decretos estaduais e municipais que restringiram o funcionamento de algumas atividades para controle da disseminação do vírus. Isso fez o consumo reduzir significativamente naquele mês, então em abril houve um crescimento maior por conta da base de comparação muito baixa”, ponderou o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo.

O setor de serviços prestados às famílias, que possui o maior peso na pesquisa, ainda está 40% abaixo do patamar pré-pandemia. Veja abaixo os segmentos com recuperação mais lenta e aqueles que já superaram o nível de antes da Covid.

Regionalmente, 13 das 27 unidades da Federação tiveram expansão em abril. As expansões mais relevantes vieram de São Paulo (0,5%), seguido pelo Distrito Federal (4,8%) e Paraná (1,5%). Por outro lado, as principais retrações vieram de Minas Gerais (-1,0%) e Mato Grosso (-2,4%).

Atividades turísticas têm queda de 0,6% em abril

O IBGE informou também que o índice de atividades turísticas recuou 0,6% frente ao mês anterior, após forte retração em março (-23,1%). O segmento de turismo ainda necessita crescer 81,9% para retornar ao patamar de fevereiro do ano passado.

Regionalmente, 6 das 12 unidades da Federação pesquisadas acompanharam o recuo nacional, com as principais influências negativas no Rio de Janeiro (-2,7%), Minas Gerais (-4,4%), Espírito Santo (-13,4%) e Bahia (-3,1%). Em sentido oposto, São Paulo (2,9%) exerceu o maior impacto positivo, seguido por Paraná (9,7%), Rio Grande do Sul (12,4%) e Santa Catarina (8,3%).

Frente a abril de 2020, houve alta de 72,6%, maior alta da série, após treze taxas negativas seguidas. No acumulado do ano, o segmento tem queda de 17,4% frente a igual período de 2020, pressionado, sobretudo, pelas reduções nas receitas dos ramos de transporte aéreo de passageiros; restaurantes; hotéis; agências de viagens; transporte rodoviário coletivo de passageiros; e serviços de bufê.

Perspectivas para o ano

Para o economista-chefe d Necton, André Perfeito, o resultado do setor de serviços em abril veio melhor que as expectativas. “Os dados são em grande medida bons e reafirmam uma leitura de alta do PIB neste ano”, avaliou.

Na semana passada, o IBGE mostrou que as vendas do varejo cresceram 1,8% em abril, acima do esperado. Já a produção industrial caiu 1,3% na comparação com março e voltou a ficar abaixo do patamar pré-pandemia.

Os analistas do mercado financeiro projetam um crescimento de 4,36% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil no ano, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central.

Os indicadores econômicos dos primeiros meses do ano têm surpreendido positivamente e a perspectiva é de melhora nos próximos meses. O Índice de Confiança Empresarial (ICE), por exemplo, subiu 7,9 pontos em maio e atingiu o maior nível desde março de 2014, último mês antes da recessão de 2014-2016.

Na véspera, o Itaú elevou a sua projeção de crescimento do PIB em 2021, de 5% para 5,5%, avaliando que o avanço da vacinação deve permitir uma volta à normalidade econômica ainda neste ano.

Analistas alertam, porém, para incertezas ainda elevadas. Entre os fatores de preocupação está a inflação elevada, o desemprego em patamar recorde, o risco de racionamento de energia e o surgimento de variantes do coronavírus.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,368SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

IBGE: indústria cai em nove dos 15 locais pesquisados em abril

Seguindo tendência nacional, a produção industrial regional recuou em nove dos 15 locais analisados pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM Regional) divulgada hoje (9) pelo...

Enem: aberto prazo para quem teve isenção de taxa de inscrição negada

Os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 que tiveram o pedido de isenção da taxa de inscrição indeferido podem entrar com...

Fundo Social finaliza a doação de kits de higiene pessoal para pacientes de serviços...

O Fundo Social de Solidariedade de Guarulhos entregou um total de 470 kits de higiene pessoal para pacientes internados em serviços de saúde municipais....

Fiocruz ajuda mães de crianças com necessidades especiais

Os 21 anos do Projeto Novos Caminhos, comemorados este ano, mostram a preocupação do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do...

Saúde recebe mais 2,7 milhões de doses de AstraZeneca

O Ministério da Saúde informou na noite dessa sexta-feira (11) que um lote de 2,7 milhões de doses da vacina AstraZeneca foi recebido. Pela...