domingo, 26 setembro 2021

Museu da Língua Portuguesa vai ser reaberto ao público em 1º de agosto

Museu da Língua Portuguesa, na estação da Luz, no Centro de São Paulo, será reaberto ao público no próximo domingo (1º) após passar 6 anos fechados depois de ter sido atingido por um incêndio. As obras de reconstrução custaram R$ 85,8 milhões.

O museu vai funcionar de terça-feira ao domingo, das 9h às 18h. O ingresso inteiro custa R$ 20 e deve ser adquirido pela internet. Aos sábados, a entrada é gratuita, mas a visitação deve ser agendada, já que há um controle de pessoas devido à pandemia de coronavírus.

O governador João Doria (PSDB) visitou as novas instalações na manhã desta quinta-feira (29) e disse estar alegre e satisfeito com a reabertura do espaço. “Não há lugar melhor pra se ter o Museu da Língua Portuguesa na cidade que é o espelho, que é o retrato do seu país, da sua língua e da sua memória”, afirmou.

A reinauguração oficial ocorre no dia 31 de julho, um dia antes da abertura para visitação. Na ocasião, estarão presentes autoridades de países que usam a língua portuguesa como o principal idioma, como o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

Os ex-presidentes do Brasil Fernando Henrique Cardoso, Michel Temer e José Sarney também confirmaram presença. Todos os demais ex-presidentes da República e o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foram convidados, mas somente Dilma Rousseff (PT) agradeceu o convite e disse que não poderá comparecer.

O museu foi completamente transformado com novos conteúdos, novas tecnologias e mais interatividade.

A organização do museu vai convidar acadêmicos, professores a participar de um trabalho que pretende transformar o museu em um centro de difusão de saber e conhecimento sobre a língua, de acordo com Sérgio Sá Leitão, secretário Estadual de Cultura.

“É um museu de informação, de educação, de entretenimento e de produção de conhecimento sobre este que é o nosso maior patrimônio cultural que é a língua portuguesa e que é também o que mais melhor nos conecta com os demais países lusófonos”, afirmou.

A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa é uma realização do Ministério do Turismo e do Governo de São Paulo, concebida e implantada pela Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador master a EDP e patrocinadores o Grupo Globo, o Grupo Itaú Unibanco e Sabesp, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Marília Bonas, diretora técnica do Museu da Língua Portuguesa, disse como será a reabertura ao público em geral. “Todas as visitas são feitas, o agendamento é feito pela internet, com grupos restritos, há um percurso unidirecional. E como o museu é muito interativo, cada um dos visitantes vão receber uma canetinha touch pra poder fazer os jogos, interagir com os vídeos. Também o uso obrigatório de máscara, distanciamento obrigatório, sinalização ostensiva e totens de álcool em gel em todos os espaços.”

Em dezembro de 2015, parte do prédio do museu foi atingido pelo fogo. O bombeiro civil do museu, Ronaldo Pereira da Cruz, morreu após sofrer uma parada cardiorespiratória.

O novo museu

O visitante é parte atuante na exposição na medida em que o museu é composto por instalações interativas, algumas totalmente novas e outras que foram preservadas e atualizadas, de acordo com a também curadora Isa Grinspum Ferraz.

“Nossa maneira de estar no mundo é através da língua portuguesa. Se a gente quer pensar em um futuro para o Brasil, a gente tem de conhecer a nossa história e a nossa língua. O museu convida o visitante a pensar a língua e a conhecê-la. Todos nós nascemos imersos na língua e não nos damos conta que ela pode ser um objeto de reflexão, pensamento, aprendizado e mesmo de descoberta. Mantivemos a alma do museu, mas ampliamos nosso olhar sobre esse tema. Cada língua é um mundo”, afirma Ferraz.

Mais segurança

A reconstrução também incorpora melhorias de infraestrutura e segurança, especialmente contra incêndios, que superam as exigências do Corpo de Bombeiros.

Entre as novas medidas, está a instalação de sprinklers (chuveiros automáticos) para reforçar o sistema de segurança contra fogo.

No caso do museu, os sprinklers não são uma exigência legal, mas foi uma recomendação dos bombeiros acatada para trazer mais segurança para o projeto.

Cerca de 85% da madeira necessária para a recuperação das esquadrias foi utilizada do material já existente no edifício, com a reutilização de madeira da cobertura original, datada de 1946.

Serviço:

Museu da Língua Portuguesa

  • Funcionamento: terças-feiras aos domingos, das 9h às 18h;
  • Ingressos podem ser adquiridos pela internet. Inteira R$ 20 e meia R$10;
  • Sábado é dia de gratuidade para todos.
  • Compra pelo site sympla.com.br.
  • A capacidade de público está restrita a 40 pessoas a cada 45 minutos. Os visitantes receberão chaveiros touchscreen para evitar toque nas telas interativas.
Foto: Bárbara Muniz Vieira
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,444SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Estudo mostra melhora na qualidade da água da Bacia do Tietê

A qualidade da água na Bacia do Rio Tietê, o maior do estado de São Paulo, apresentou melhora no período de setembro de 2020 a agosto...

Nova audiência no TRT sobre Proguaru será nesta quinta-feira

A greve dos trabalhadores da Proguaru continuou pelo terceiro dia, na busca por convencer o prefeito Guti a decidir por uma alternativa à extinção...

Covid-19: Guarulhos registra duas mortes nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira (24) a Secretaria Municipal da Saúde informou que foram contabilizadas duas mortes por Covid-19 em Guarulhos. Ao todo, a pandemia matou 4.855...

Dia da Árvore: A EDP reforça cuidados no plantio de árvores próximas à rede...

O Dia da Árvore é comemorado amanhã, 21, e a data é próxima ao início da Primavera, que chega trazendo mais vigor à vegetação....

Variante Delta já causa 95% dos casos de covid-19 em São Paulo

 A maioria dos casos de covid-19 na cidade de São Paulo é causada pela variante Delta do novo coronavírus. Segundo estudo feito pelo Instituto...