PUBLICIDADE
InícioCANAISCOMPORTAMENTOPesquisa do Seade aponta uma tendência de declínio do número médio de...

Pesquisa do Seade aponta uma tendência de declínio do número médio de habitantes por domicílio

Publicado em
PUBLICIDADE

Resultados de pesquisa do Seade mostram que a projeção do número médio de habitantes por domicílio para o estado de São Paulo mostra tendência de declínio, passando de 3,6, em 2000, para 2,5, em 2050. Isso representa aproximadamente uma pessoa a menos, em média, por moradia. Esse fenômeno está relacionado ao processo de transição demográfica, que desencadeou a queda da fecundidade, diretamente associada à redução do tamanho das famílias. Além disso, o envelhecimento populacional e as mudanças nos arranjos familiares também têm afetado essa tendência.

De acordo com o estudo, as projeções para os domicílios particulares ocupados indicam que o total atingirá 19,1 milhões de unidades em 2050, representando um adicional de 8,7 milhões desde o início do século XXI e média de 174,2 mil novos domicílios a cada ano. Comparando-se com o período de 2000 a 2020, houve incremento de 4,9 milhões de domicílios, com acréscimo médio anual de 245 mil. Dessa forma, o volume de domicílios no estado de São Paulo continuará crescendo até 2050, porém em ritmo menor.

Grandes concentrações

 

Em 2021, o panorama municipal segundo o volume de domicílios apresenta configuração que reflete as grandes concentrações populacionais na Grande São Paulo e em seus prolongamentos nas regiões de Campinas, Ribeirão Preto, São José dos Campos e Baixada Santista. Além da capital, com 4,2 milhões de domicílios, destacam-se com maior volume os municípios de Guarulhos (450,3 mil), Campinas (420,5 mil), São Bernardo do Campo (284,6 mil), Ribeirão Preto (247,5 mil), Santo André (241,9 mil) e São José dos Campos (241,5 mil).

As maiores densidades domiciliares (habitantes por domicílios) concentram-se ao sul e sudeste do estado, regiões com níveis mais altos de fecundidade e menor envelhecimento populacional. Já as menores estão nos municípios a noroeste do estado, com baixos níveis de fecundidade e elevado envelhecimento. Os menores valores encontram-se em Álvares Florence e Turiúba (2,5 hab./dom.) e os maiores em Eldorado e Buri (3,1).

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE