Presidente do TSE pede eleições livres; Bolsonaro ameaça STF em pronunciamento

(Porto Alegre - RS, 10/12/2020) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

Em publicação nas redes sociais neste 7 de setembro, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, pediu que sejam garantidas no país “eleições livres, limpas e seguras”. Barroso, que é ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu ainda que não haja “volta ao passado”. Na publicação, o presidente do TSE destacou que é preciso haver espaço para todos no país.: “Brancos, negros e indígenas. Civis e militares. Liberais, conservadores e progressistas”, escreveu.

O feriado do Dia da Independência é marcado por atos contrários e favoráveis ao governo em várias cidades brasileiras.

Em Brasília, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro reúnem-se na Esplanada dos Ministérios, enquanto opositores se concentram ao lado da Torre de TV.

Em São Paulo, grupos favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro vão se concentrar na região da Avenida Paulista, entre a Praça do Ciclistas e a Avenida Brigadeiro Luís Antônio. O ato do Grito dos Excluídos e os movimentos que vão protestar contra o governo ficarão no Vale do Anhangabaú, no centro da cidade.

No Rio de Janeiro, a manifestação favorável ao governo ocorre em Copacabana. No centro da cidade, está marcada a concentração do Grito dos Excluídos.

(com informações da Agência Brasil)



Fala de Bolsonaro

Em pronunciamento diante da multidão de apoiadores, na Esplanada dos Ministérios, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) disse que não quer brigar com outros poderes, mas que não se pode aceitar que “uma pessoa turve a água da Democracia, barbarizando nossa população, nem tire o direito à liberdade”, provavelmente fazendo referência ao ministro Alexandre de Moraes, que determinou a prisão de manifestante que publicou ameaças à sua vida e à de sua família, após saber que o ministro estaria em São Paulo no feriado.

Bolsonaro fez ameaça velada ao Supremo Tribunal Federal ao dizer: “Ou o chefe desse poder enquadra os seus ou esse poder pode sofrer aquilo que não queremos. Porque nós valorizamos e reconhecemos cada poder da República. Nós todos aqui na praça dos Três Poderes juramos respeitar a Constituição. Quem age fora dela se enquadra ou pede para sair”. Nesse momento, os manifestantes gritaram em coro “Fora, STF!”.

O presidente acrescentou que, assim como ele, o vice-presidente e o ministro da Defesa, Braga Neto, juraram dar a vida pela Pátria, todos que ali estavam devem dispor-se a oferecer a vida pela liberdade.

Concluiu citando que usará a fotografia da grande massa humana diante do palanque para chamar uma reunião do Conselho da República, sem, no entanto, informar quando haverá esse encontro, nem o que pretende ao convocá-lo.

(foto: Divulgação/Arquivo)