quinta-feira, 28 outubro 2021
- PUBLICIDADE -
InícioDESTAQUEPF faz operação na sede da Precisa por contrato da vacina Covaxin

PF faz operação na sede da Precisa por contrato da vacina Covaxin

A Polícia Federal (PF) está na sede da Precisa Medicamentos, nesta sexta-feira (17), para cumprir mandados de busca e apreensão de equipamentos e documentos referentes ao contrato para a compra de vacinas contra a Covid-19 com a Bharat Biotech, responsável pela fabricação do imunizante Covaxin.

A ação ocorre em duas cidades da Grande São Paulo – Barueri e Itapevi. A informação foi confirmada por integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid. A operação foi solicitada pela CPI e autorizada pelo ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal.

Em, a mesa diretora da CPI da Covid, formada pelos senadores Omar Aziz (presidente), Randolfe Rodrigues (vice-presidente) e Renan Calheiros (relator), informou que “buscou de todas as formas obtenção dessas informações junto à empresa e ao Ministério da Saúde, não obtendo êxito. Devido a isso, se fez necessária a utilização deste instrumento judicial”. 

A Precisa fechou um contrato de R$ 1,6 bilhão com o Ministério da Saúde para a aquisição de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin. A negociação acabou suspensa.

A Precisa informou que entregou todos os documentos à CPI e que três representantes prestaram depoimentos à CPI. A empresa também disse que prestou esclarecimentos à Polícia Federal e à Controladoria-Geral da União e forneceu a documentação ao Ministério Público Federal e ao Tribunal de Contas da União.

“Portanto, a operação de hoje é a prova mais clara dos abusos que a CPI vem cometendo, ao quebrar sigilo de testemunhas, ameaçar com prisões arbitrárias quem não responder as perguntas conforme os interesses de alguns senadores com ambições eleitorais e, agora, até ocupa o Judiciário com questões claramente políticas para provocar operações espalhafatosas e desnecessárias”, disse por nota.

Suposto lobista depõe
Em depoimento à CPI da Covid na manhã da última quarta-feira (15), o advogado Marconny Albernaz de Faria, apontado como lobista que atuava na administração pública em favor da Precisa Medicamentos, negou ser lobista da Precisa, como já era esperado pelos integrantes da CPI. O depoente, no entanto, disse que a empresa o sondou para a prestação de serviços de assessoramento em uma licitação de testes rápidos.

O advogado disse que não participou do trabalho, mas confirmou que fez um relatório. Disse que, apesar disso, não recebeu nenhum pagamento da Precisa Medicamentos. Questionado se esteve no escritório da empresa e quantas vezes, fez uso do direito de permanecer calado.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,891FãsCurtir
1,510SeguidoresSeguir
1,482SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Plano de expansão de radioterapia no SUS está próximo de 50% da meta

Entre janeiro e agosto de 2021, o Ministério da Saúde entregou 13 novos equipamentos de radioterapia a hospitais habilitados pelo Sistema Único de Saúde...

Fazenda notifica mais de 964 mil devedores do IPVA 2021

A Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo (Sefaz-SP) notifica, nesta terça-feira (26), mais uma leva de devedores do IPVA 2021....

Facebook remove live em que presidente associa vacina de covid à aids

O Facebook tirou do ar a live do presidente Jair Bolsonaro em que ele compartilha a informação sobre uma suposta relação entre as vacinas contra covid-19...

AACD lança exposição com o tema inclusão no Metrô de São Paulo

A AACD, em parceria com o Metrô de São Paulo, lançou nesta terça-feira (26/10) a exposição PCDS - Pessoas com Diferentes Sonhos, que tem como...

Afeganistão: quase 23 milhões vão sofrer insegurança alimentar aguda

Cerca de 22,8 milhões de afegãos, mais de metade da população do país, estarão neste inverno em situação de insegurança alimentar aguda, levando o...