quinta-feira, 20 janeiro 2022
InícioDESTAQUEDesemprego recua para 12,6% e atinge 13,5 milhões no 3º trimestre

Desemprego recua para 12,6% e atinge 13,5 milhões no 3º trimestre

 

O Brasil encerrou o terceiro trimestre de 2021 com 13,5 milhões de profissionais fora do mercado de trabalho, número que corresponde a 12,6% da população economicamente ativa. A taxa é 1,6 ponto percentual inferior à registrada entre os meses de abril e junho.

A informação, divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira (30), corresponde também a um recuo no nível de desemprego na comparação com o trimestre finalizado em agosto, quando 13,7 milhões (13,2% da população) estavam froa do mercado de trabalho.  

O recuo do desemprego ocorre no mesmo momento em que a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) indica para o crescimento de 4% do número de profissionais alocados no mercado de trabalho, atualmente em 93 milhões.

Diante do crescimento no número de profissionais no mercado de trabalho, o nível da ocupação, percentual de pessoas em idade de trabalhar que estão no mercado de trabalho, chegou a 54,1%. No segundo trimestre, esse percentual era de 52,1%.

O aumento na ocupação está relacionado, principalmente, com as atividades de comércio (7,5%), com 1,2 milhão de trabalhadores a mais, indústria (6,3%, ou 721 mil pessoas), construção (7,3%, ou 486 mil pessoas) e serviços domésticos (8,9%, com adição de 444 mil pessoas).

Informalidade

A pesquisa mostra ainda que a informalidade responde por 54% do crescimento da ocupação no período entre os meses de julho e setembro deste ano.

Entre as categorias de emprego que mais cresceram na comparação com o trimestre anterior aparecem os empregados do setor privado sem carteira assinada (10,2%), que somaram 11,7 milhões de pessoas.

No mesmo período, o número de trabalhadores domésticos avançou a 5,4 milhões, aumento de 9,2%. Trata-se da maior alta da série histórica do IBGE, iniciada em 2012. O contingente atual desses trabalhadores, no entanto, segue inferior ao do período pré-pandemia

Se considerados apenas os trabalhadores sem carteira, houve aumento de 10,8% da população ocupada, o que representa 396 mil pessoas fora do grupo de desocupados.

Salários

Apesar do avanço no número de pessoas ocupadas, o rendimento real recebido pelos trabalhadores no terceiro trimestre foi de R$ 2.459.

O valor representa uma queda de 4% frente aos três meses anteriores e de 11,1% em relação ao mesmo período do ano passado. A massa de rendimento (R$ 223,5 bilhões), por sua vez, ficou estável nas duas comparações.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,870FãsCurtir
2,828SeguidoresSeguir
1,503SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Governo anuncia antecipação de 1,2 mi de doses de vacina infantil

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, anunciou nesta sexta-feira (14) a antecipação de 1,2 milhão de doses de vacina contra Covid-19 para...

Saúde divulga dados epidemiológicos da Covid-19 em Guarulhos

Dados da Vigilância Epidemiológica Municipal de terça-feira (18/1/2022): Taxa de cura – 93,62% Taxa de letalidade – 5,60% Total de recuperados – 84.395 Casos confirmados – 90.149 Total de óbitos – 5.049 confirmados e quatro em investigação. Total...

Estados decidem encerrar congelamento de ICMS de combustíveis

Por maioria de votos, os governos estaduais decidiram encerrar o congelamento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os combustíveis...

Prefeitura publica edital de chamamento para o programa Faculdade Guarulhos

A Prefeitura de Guarulhos publicou na última terça-feira (11) o edital de chamamento 01.22-DLC, que trata sobre o credenciamento de instituições de ensino superior do...

Programa Antártico do Brasil completa 40 anos

Uma terra onde a ciência e a paz reinam absolutas. Nos dias de hoje, parece difícil imaginar um lugar assim no planeta. Mas ele...