terça-feira, 25 janeiro 2022
InícioDESTAQUECâmara discute passaporte sanitário da Covid-19 nesta terça

Câmara discute passaporte sanitário da Covid-19 nesta terça

 

Está marcada para esta terça-feira (7), a partir das 10h no plenário 7 da Câmara dos Deputados, uma audiência pública para debater o PL (projeto de lei) que institui o Passaporte Sanitário da Covid-19.  O PL 1.158/21 cria um documento emitido pelo Ministério da Saúde que vai ser obrigatório em todo o território nacional até que a OMS (Organização Mundial de Saúde) declare o fim da pandemia. Até lá, o certificado deverá ser apresentado no embarque ou desembarque aéreo ou terrestre e na hospedagem. Nas viagens ao exterior, porém, caberá ao país de destino a exigência ou não de testes e quarentena. 

Entre os convidados para o debate estão o presidente da ANMP (Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social), Francisco Eduardo Cardoso Alves; o procurador-geral do Ministério Público de Contas do Rio de Janeiro, Henrique Lima; e o clínico geral, alergista e imunologista Roberto Zeballos. 

Conecte SUS

O aplicativo oficial do Ministério da Saúde para celulares, Conecte SUS, já dá acesso à Carteira Nacional Digital de Vacinação de forma que o usuário tenha em mãos o acompanhamento de suas imunizações nas redes pública e privada.

Reunião cancelada

Enquanto a Câmara se prepara para discutir o passaporte sanitário, o governo federal cancelou nesta segunda-feira (6) uma reunião que faria para debater a orientação da Anvisa(Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de exigir que passageiros estrangeiros que queiram entrar no Brasil apresentem um comprovante de vacinação contra a Covid-19.

O encontro estava marcado para as 17h30 de ontem, no Palácio do Planalto, e teria, entre outros participantes, representantes da Casa Civil, dos ministérios da Saúde, Infraestrutura, Relações Exteriores e Justiça. O ministro da Justiça, Anderson Torres, disse em 25 de novembro que era contra a exigência de comprovante de vacinação da Covid-19 para que viajantes de outros países entrem no Brasil. “Não precisa. A vacina não impede a transmissão da doença. Então de que adianta?”, questionou o ministro. Quando lhe perguntaram se essa é uma posição do presidente Jair Bolsonaro, Torres respondeu: “Essa é uma posição do ministro da Justiça”.

Prazo de 48 horas

O cancelamento ocorreu horas depois de o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), ter dado ao governo um prazo de 48 horas para que se manifestasse sobre a adoção das medidas recomendadas pela Anvisa para a entrada de estrangeiros no país. 

De acordo com a decisão do ministro, a Casa Civil e os ministérios da Saúde, da Justiça e da Infraestrutura devem dar explicações sobre as recomendações. Atualmente, estrangeiros que apresentam teste negativo para o novo coronavírus podem entrar em território nacional por via aérea. O ingresso de viajantes por via terrestre, por outro lado, está proibido desde junho, com exceção da fronteira terrestre com o Paraguai.

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,870FãsCurtir
2,828SeguidoresSeguir
1,508SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Inscrição de projetos de eficiência energética da EDP entra na última semana

Até o dia 28 de janeiro é possível inscrever projetos com foco em eficiência energética na Chamada Pública da EDP, distribuidora de energia elétrica...

Governo define reajustes de benefícios e contribuições previdenciários

Portaria do Ministério do Trabalho e Previdência define os índices de reajustes dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), bem como...

Caixa paga hoje Auxílio Brasil para cadastrados com NIS terminado em 2

A Caixa Econômica Federal paga, nesta quarta-feira (19), a terceira parcela do Auxílio Brasil às famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do...

Com conta de luz mais cara, consumidores procuram novas soluções

Se os aumentos gerais nos preços em 2021 causaram problemas para o bolso do brasileiro, a perspectiva para 2022 não é muito animadora. Segundo...

EDP quer atrair mais mulheres para carreiras técnicas com campanha global #REBELSFORCHANGE

O mercado de trabalho precisa de mais 136 anos para que o mundo atinja a igualdade de gênero, estima o Fórum Económico Mundial –...