segunda-feira, 8 agosto 2022
PUBLICIDADE
InícioECONOMIAConfiança de pequenas empresas fica estável em fevereiro

Confiança de pequenas empresas fica estável em fevereiro

 

Beneficiada pela melhoria no comércio, a confiança dos donos de micro e pequenas empresas ficou estável em fevereiro. No mês passado, o Índice de Confiança de Micro e Pequenas Empresas (IC-MPE) aumentou 0,4 ponto em relação a janeiro, mantendo-se em torno de 90 pontos, após ter caído 5,1 pontos.

Na subdivisão por setores, a confiança do comércio aumentou 3,9 pontos, caiu 1,4 ponto no de serviços e caiu 2,6 pontos no de indústria de transformação. O IC-MPE é elaborado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O índice de confiança mede a avaliação atual em relação à economia. O Índice de Expectativa das Micro e Pequenas Empresas (IE-MPE) subiu 1,8 ponto, para 93,3 pontos. Em janeiro, o indicador tinha perdido 6 pontos.

O principal fator para o avanço do indicador de expectativa foi a melhora das perspectivas sobre a demanda para os próximos três meses, que subiu 1,2 ponto em fevereiro, após ter caído 9 pontos em janeiro. Para os próximos seis meses, a perspectiva de crescimento da demanda ficou estável, subindo 0,4 ponto.

Segundo o Sebrae, os dados indicam ligeira melhora nas expectativas do comércio no curtíssimo prazo. Para os próximos meses, os micro e pequenos empresários continuam com incertezas, provocadas pela crise internacional, pela evolução da pandemia de Covid-19, pelas pressões de custos e pelo calendário eleitoral.

Crédito

O indicador de crédito, que mede as exigências para concessão ou renovação de empréstimos bancários, fechou fevereiro em 96,7 pontos, 5,1 pontos abaixo do registrado em fevereiro de 2020, antes da pandemia de Covid-19. Quanto menor o indicador, maior a exigência das instituições financeiras para os pequenos negócios.

Entre os segmentos, o setor de serviços tem mais dificuldades para obter crédito, com o indicador 17,8 pontos inferior ao do período pré-pandemia. Em segundo lugar, vem o comércio, com indicador cerca de 9 pontos abaixo do de fevereiro de 2020. Apenas a indústria de transformação apresenta crescimento e tem menos exigências para a concessão e renovação de crédito, com o indicador 6,2 pontos mais alto que antes da pandemia.

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,612SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

Guarulhos tem novo número de telefone para reparos na iluminação pública

Os munícipes que necessitem solicitar manutenção de iluminação pública passam a contar com uma nova central de atendimento disponibilizada pela Prefeitura de Guarulhos. Os...

Cata-Treco atende Gopoúva e mais 23 bairros neste final de semana

A Operação Cata-Treco de retirada de inservíveis, realizada semanalmente pela Prefeitura de Guarulhos, vai atender 24 bairros neste final de semana. No sábado (6) os caminhões...

Risco de surto de pólio preocupa especialistas; prevenção é possível com vacinação

O caso de poliomielite identificado nos Estados Unidos e a queda na taxa de vacinação no Brasil reacenderam uma preocupação que havia sido sanada...

Número de eleitores que declaram ter deficiência cresce 35%, diz TSE

O total de eleitores que declaram ter algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida aumentou 35,27% em quatro anos, passando de 939.915 para 1.271.381,...
Eliana Galvão Dias

Traduzindo para leigos o que mudou no Código de Processo Civil

Eliana Galvão DiasAdvogadaMestre pela PUC/SP – Relações Sociais e Jurídicas Em 2015, houve alterações em muitos pontos do Código de Processo Civil, o que tem...