quinta-feira, 7 julho 2022
PUBLICIDADE
InícioCOMÉRCIOCom Dia das Mães, faturamento do varejo paulista deve alcançar R$ 83,1...

Com Dia das Mães, faturamento do varejo paulista deve alcançar R$ 83,1 bilhões em maio

 

No mês de maio, as vendas no comércio varejista do Estado de São Paulo devem alcançar R$ 83,1 bilhões, de acordo com estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Apesar da retração de 1,6% em comparação ao mesmo período de 2021, caso os números se concretizem, este será o segundo melhor “mês das mães” desde o início da série histórica da pesquisa, em janeiro de 2008.

O levantamento aponta, contudo, menos impacto da data no comércio, já que as vendas das atividades mais sensíveis à ocasião devem apresentar retração de 3,4%. Em termos monetários, seriam R$ 1,6 bilhão abaixo do observado no mesmo período de 2021.

Dentre as atividades que geralmente se destacam no período, apenas as lojas de vestuário, tecidos e calçados (3,2%) e de farmácias e perfumarias (0,6%) tendem a mostrar crescimento em função do Dia das Mães. Para o faturamento das lojas de eletrodomésticos e eletrônicos, estima-se queda de 17%, enquanto que para as lojas de móveis e decoração, a redução prevista é de 9,7%. Nos supermercados, por sua vez, as vendas devem diminuir 2,6%.

A previsão é que, no mês, cada família destine R$ 2.973,40 – queda de 4,7% ante maio do ano passado, quando alcançou R$ 3.120,48 – para a aquisição/o consumo nos segmentos que, historicamente, são os mais procurados na data, ou seja, assistência à saúde/beleza, eletrodomésticos e eletrônicos, mobiliários e artigos do lar, vestuário, alimentação e produtos de higiene. Dentre eles, vestuário é o único com estimativa de aumento nas vendas em tíquete médio familiar. O segmento deve alcançar R$ 404,16 – 1,7% superior ao consolidado no mesmo mês de 2021 (R$ 397,25).

Vendas em maio

Apesar da retração de 1,6% prevista para as vendas do varejo no mês de maio, de acordo com a FecomercioSP, o ritmo que estes números sinalizam é o principal fator a ser avaliado. Isso, porque é preciso considerar a base de comparação bastante positiva, já que o resultado alcançado no mesmo período do ano passado foi o maior de toda a série histórica, atingindo R$ 84,4 bilhões.

A taxa estimada para este ano pode ser um indicativo de redução no ritmo do consumo. Neste sentido, o fator mais preocupante – e o obstáculo que pode ser decisivo para a manutenção de um ciclo mais aquecido e sustentado de vendas – é a inflação, elemento de maior impacto negativo sobre o poder de compra das famílias, em especial se considerarmos o alto nível de endividamento dos consumidores.

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

SIGA/CURTA

28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,597SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever

VEJA TAMBÉM

26ª Bienal do Livro começou neste sábado (2) em São Paulo

Com início neste sábado (2), a 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo segue até dia 10 de julho. O evento, um dos...

Receita paga hoje restituição do Imposto de Renda a 4,2 milhões

Mais de 4,2 milhões de contribuintes recebem nesta quinta-feira (30) o valor correspondente ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda 2022. O...

Zoológico de Guarulhos lança enquete para escolher nome de filhote de mico-leão-preto

A equipe do Zoológico de Guarulhos lançou nesta terça-feira (5), nas páginas do parque no Instagram (@zooguarulhos) e no Facebook (zoologico.guarulhos), uma enquete para...

Conta de luz fica mais cara em 24 cidades paulistas

Consumidores de 24 cidades do estado de São Paulo, entre eles da capital paulista, vão pagar mais caro na sua conta de luz. O...

Artesp orienta sobre viagens de menores de 16 anos em ônibus rodoviários

A Artesp - Agência de Transporte do Estado de São Paulo - informa que pais e acompanhantes de crianças e de adolescentes menores de...