PUBLICIDADE
InícioCIDADESAÚDEResultados de mamografia devem ser entregues com imagens impressas

Resultados de mamografia devem ser entregues com imagens impressas

Publicado em
PUBLICIDADE

Resolução publicada pelo Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) acende as discussões em esfera federal sobre a urgência de documentar em filme impresso e específico todos os exames de mamografia realizados no Sistema Único de Saúde (SUS) e na Saúde Suplementar. Membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), a médica Rosemar Rahal destaca que há no Brasil um aumento de exames de mamografia sendo liberados para as pacientes somente com o laudo, ou seja, sem a impressão das imagens em filme. “Os resultados sem o filme podem gerar prejuízos para a avaliação e condução dos casos”, afirma. “O exame acompanhado com o número correto de imagens, sem a redução das imagens radiológicas, como já define em nível estadual a Resolução do Cremego, é fundamental para definir a conduta do profissional, que terá maior embasamento para solicitar exames complementares e indicar o melhor tratamento”, completa.

Em vigor neste mês maio, a Resolução nº 108/2023, do Cremego, determina que “o exame de mamografia deve conter o laudo emitido por médico devidamente registrado no Conselho Regional de Medicina (CRM) de sua jurisdição, como também as respectivas imagens.”

 

A partir da publicação da Resolução, a mastologista Rosemar Rahal, da SBM, ressalta que a determinação deveria valer em todo o território nacional. O Instituto Nacional de Câncer (Inca) prevê 73.610 novos casos de câncer de mama até o fim deste ano. “O número de mamografias realizadas no SUS atinge apenas 20% do público-alvo, sendo que o ideal é 70%. Esta situação, sem dúvida, corrobora para o alto índice de mortalidade de câncer no Brasil”, diz a médica.

Neste universo de apenas 20% de rastreamento mamográfico feitos no País, a especialista ressalta que a entrega dos exames de forma inadequada torna ainda mais grave a situação do câncer de mama. “A mamografia é o melhor método de detecção precoce da doença. Os filmes, que deveriam acompanhar todos os exames, poderiam contribuir para aprimorar as avaliações, e como consequência reduzir a mortalidade em programas de rastreamento”.

Diante da ausência, na esfera federal, de uma norma semelhante à Resolução nº 108/2023, a intenção da SBM, segundo a mastologista, é estender a determinação a todo território nacional, com abrangência no SUS e na Saúde Suplementar. “Além dos filmes impressos, também consideramos importante a conformidade no que se refere a dose de radiação, compressão e o respeito a todos os itens que são apontados pelo Programa Nacional de Controle de Qualidade Mamográfica (PNQM)”, afirma.

Sobre o custo financeiro com a impressão da mamografia em filme, Rosemar Rahal observa que quaisquer que forem as cifras, certamente serão inferiores aos gastos com o tratamento de uma paciente diagnosticada com câncer de mama em estágio avançado. “E estamos falando também em qualidade de vida, algo que não tem preço quando consideramos a prevenção de uma doença que faz tantas vítimas no Brasil”, finaliza.

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE