PUBLICIDADE
InícioDESTAQUEVeja como evitar ser vítima do golpe do boleto falso

Veja como evitar ser vítima do golpe do boleto falso

Publicado em
PUBLICIDADE

O golpe do boleto falso é cada vez mais comum e acumula vítimas em todo o País. Muitos recorrem ao Judiciário, mas, em diversas circunstâncias, a responsabilidade de bancos e instituições financeiras é afastada por uma simples razão: falta de cuidado de quem pagou o boleto fraudulento.

Mas, qual o procedimento correto para não ficar no prejuízo e evitar cair no golpe? Fernando Bryan Frizzarin, especialista em cibersegurança da BluePex® Cybersecurity, dá dicas que auxiliam empresas e pessoas a não caírem nas ciladas dos criminosos.

 

Bancos e instituições financeiras muitas vezes ficam isentas de responsabilidade quando se comprova que a pessoa que pagou o boleto não agiu com o zelo necessário na ocasião do pagamento do documento. A fraude propriamente dita não implica, automaticamente, na responsabilidade das instituições financeiras, havendo muitas excludentes que apontam para culpa da vítima. Em outras palavras: a falta de cautela da vítima pode ser utilizada como prova desfavorável contra ela mesma.

No início de 2023, uma decisão judicial na comarca de São Luís, no Maranhão, apontou que a responsabilidade por cair no golpe do boleto falso foi da própria vítima, que não detectou a fraude. “Houve falha da autora ao não tomar os cuidados necessários com transações via internet”, diz trecho da sentença.

O especialista da BluePex® Cybersecurity lembra que o cuidado essencial é certificar-se de que está pagando para a pessoa ou empresa correta. Com o boleto em mãos, é possível fazer as seguintes condutas:

  • 1 – É preciso estar atento se você realmente tem aquela conta para pagar. Frizzarin cita que há casos receber um boleto de uma operadora com a qual você não mantém qualquer contrato ou contato. Isso deve ser descartado de imediato.
  • 2 – Cheque se o endereço do remetente do boleto é real e da pessoa ou empresa para quem se deve pagar. Basta olhar o domínio do e-mail (o que vem depois do sinal de arroba (@), por exemplo). No caso de uma empresa, o domínio deve ser o mesmo do endereço do site.
  • 3 – Na hora do pagamento, após a leitura ou digitação do código de barras, o site ou aplicativo do banco mostra na tela os dados de quem irá receber, antes da confirmação final. É importante atentar-se para essas informações. Nesse momento, devem constar o nome da empresa e o CNPJ ou o nome da pessoa e o CPF que irá receber. Se não for o prestador de serviços para o qual você deve fazer o pagamento, cancele a operação imediatamente.
  • 4 – Fique atento a indícios de adulteração em nomes, documentos escritos errados e a falta da identificação do banco ou da empresa beneficiária, como razão social e CNPJ. A data de validade é outro indicativo sutil, ou seja, receber uma cobrança em uma data ou vencimento fora do costumeiro.
  • 5 – Se, a qualquer momento, ainda persistirem dúvidas, entre em contato com o prestador de serviços ou fornecedor para verificar se ele realmente enviou aquele boleto.

Frizzarin lembra que existe uma ação golpista em que o boleto é forjado para que a empresa vítima pague por serviços tomados pelo criminoso. Por exemplo: recebe-se o boleto de uma empresa de energia elétrica, mas, na hora de quitar, é pagamento para um serviço de internet.

“Isso confunde e faz com que seja ainda mais difícil rastrear o crime e, em última análise, detectar o golpe em si. É preciso manter a atenção para perceber essa inconsistência”, reforçou.

Segurança digital

Para evitar prejuízos com boletos falsos, as empresas devem estar com ferramentas e equipamentos de segurança em pleno funcionamento, como softwares de controle, antivírus e firewalls.

“Ter um bom antivírus instalado nos computadores e um bom serviço de anti-spam pode reduzir a incidência nas tentativas de golpes, entre eles a do boleto falso”, diz o especialista da BluePex® Cybersecurity.

A atenção não pode ficar apenas em relação às máquinas. É importante as empresas realizarem treinamentos com os funcionários, principalmente com os envolvidos com pagamentos. Como forma de contribuir para um ambiente virtual mais seguro, a BluePex® Cybersecurity disponibiliza, de forma gratuita, um guia prático de cibersegurança. Basta acessar o link a seguir para fazer o download: https://marketing.bluepex.com/guia-pratico-de-cyber-seguranca/.

Sobre a BluePex® Cybersecurity

A BluePex® Cybersecurity é uma empresa com mais de duas décadas de experiência na fabricação de tecnologia para o mercado de cibersegurança. É certificada com o selo EED – Empresa Estratégica de Defesa, do Ministério de Defesa do Brasil, e é pioneira ao receber o selo VB-100, na América Latina.

Marca de presença global que ostenta um diferencial exclusivo por ofertar suporte direto ao cliente, 24 horas por dia nos 7 dias da semana, a BluePex® possui mais de 100 mil dispositivos protegidos, mantendo um índice de satisfação de 9,8 (cuja nota máxima é 10).

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE