PUBLICIDADE
InícioCIDADEPesquisa sobre avaliação da gestão Guti gera polêmica

Pesquisa sobre avaliação da gestão Guti gera polêmica

Publicado em
PUBLICIDADE

A assessoria do deputado estadual Rafa Zimbaldi (Cidadania) divulgou pesquisa do Instituto Paraná, demonstrando que o prefeito Dário Saadi (Republicanos), de Campinas, reduto eleitoral do parlamentar, aparece em penúltimo lugar entre os chefes do Executivo das dez maiores cidades paulistas, ganhando apenas do prefeito de Guarulhos, Guti (PSD).
A Zimbaldi interessa torpedear Saadi, por disputarem o mesmo eleitorado, pois o prefeito está no primeiro mandato em Campinas e pode, portanto, disputar a reeleição. Indiretamente, porém, a divulgação feita pelo deputado atinge Guti, que tem entre os partidos da base o Cidadania, ao qual Zimbaldi está filiado. Curioso também que a assessoria de Rafa Zimbaldi também cuida dos interesses do PL Mulher, ala feminina do partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, que tem como aliado o governador Tarcísio de Freitas, do Republicanos, partido do prefeito de Campinas.

O quadro comparativo que o deputado vem divulgando mostra que a pesquisa em Campinas foi feita em maio e em Guarulhos foi em julho, ao passo que em outras cidades ocorreu desde abril até setembro. A margem de erro é de 3,7 pontos para mais ou para menos.

 


No levantamento do Instituto Paraná, em julho 2023, a gestão Guti é considerada Ótima por 6% dos eleitores ouvidos, Boa para 19%, totalizando 25%. É Péssima para 27,2% e Ruim para 12,8%, totalizando 40%. É Regular para 34,2%. Não sabe/não opinaram somaram 0,8%. No geral, a pesquisa aponta que 40,2% dos eleitores aprovam a gestão Guti, enquanto 56,5% desaprovam e 3,3% não sabem ou não opinaram.

Opositores de Guti vêm alardeando a pesquisa do Paraná, pois a eles interessa muito apontar que ele aparece em primeiro lugar de rejeição entre os prefeitos das dez maiores cidades do Estado.

Em contrapartida, defensores do prefeito de Guarulhos procuram mostrar o lado positivo: somadas as respostas Ótima, Boa e Regular, chega-se a 59,2% e a soma de Ruim e Péssima resulta em 40%.

Mesmo os 40,2% de Ótimo e Bom não sendo um índice que Guti possa festejar, seus apoiadores chamam a atenção para o aspecto positivo, comparando os resultados com levantamento de outro instituto, o Real Time Data, que fez pesquisa em outubro de 2020, divulgada pela CNN e que mostrava Guti com apenas 35% de aprovação. Assim, transcorridos nove meses, a avaliação positiva do governo atual de Guarulhos teria subido proporcionalmente 15%, saltando de 35% para 40,2%.

Como as pesquisas representam uma fotografia instantânea, é possível que os números de julho já nem sejam os mesmos, tanto podendo ter melhorado para Guti, quanto piorado. A julgar pelo andar da carruagem, a preferência de Guti para concorrer à sua sucessão é por seu secretário de Governo, o ex-vereador Edmilson Americano (Cidadania), embora haja outros pretendentes para ser o candidato da máquina, como o deputado Jorge Wilson Xerife (Republicanos), o vice-prefeito Jesus (ainda no Republicanos, mas migrando para o Podemos) e o vereador e secretário do Meio Ambiente, Tiago Surfista (PSD). Além da experiência na Secretaria de Governo, pasta fundamental para a coordenação das demais secretarias, pesa a favor de Americano a boa avaliação de suas gestões à frente da Guarucoop, cooperativa de taxistas do Aeroporto de Guarulhos. Ser o candidato da máquina, no entanto, carrega o ônus de ser situação. A pesquisa do Instituto Paraná mostra esse peso e Guti sabe muito bem que é mais fácil ser oposição do que ser governo, pois foi se firmando como “o anti-PT” que conquistou a cadeira do Bom Clima.

Os opositores, por seu turno, carregam dois estigmas: 1) seja quem for o candidato do PT (estão em disputa interna o ex-prefeito Elói Pietá, o deputado federal Alencar Santana e o vereador Maurício Brinquinho), irá responder pelos 16 anos em que o partido governou a cidade; 2) os que buscam disputar a Prefeitura como “terceira via” não têm experiência administrativa.

Resta acompanhar até que ponto o eleitorado guarulhense será influenciado pelo apoio do presidente Lula e do governador Tarcísio de Freitas e, ainda, como estará o julgamento das gestões deles à frente dos governos federal e estadual. Enfim, são muitos os aspectos que podem interferir no complicado jogo de xadrez da eleição municipal de 2024 em Guarulhos.

Valdir Carleto

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE