PUBLICIDADE
InícioCLICK GUARULHOSAvaliação periódica geriátrica: o que não deve ficar de fora?

Avaliação periódica geriátrica: o que não deve ficar de fora?

Publicado em
PUBLICIDADE

Ao longo dos anos, o corpo demanda cuidados específicos e atentos à saúde. O Dia Internacional do Idoso nos convida a refletir sobre a importância da promoção à saúde e do bem-estar das pessoas com mais de 60 anos. Afinal, a população brasileira está envelhecendo e a proporção de idosos está em constante aumento.

Dados

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) em junho deste ano, nos últimos dez anos, o percentual de idosos cresceu de 11,3% para 15,1%. Ao mesmo tempo, o número de pessoas com menos de 30 anos diminuiu de 49,9% para 43,3% entre 2012 e 2022. Além disso, a pesquisa também revela que o envelhecimento é feminino, isto é, após os 60 anos, a cada 100 mulheres encontramos 78,8 homens.

 

O IBGE mostra que a expectativa de vida do brasileiro subiu de 76,8 para 77 anos no levantamento divulgado em 2022. O índice ainda é baixo, comparado com os países de maior economia no mundo e até mesmo com países latino-americanos. O Brasil ainda está anos abaixo da expectativa de vida do Japão, por exemplo, que é de 84 anos.

O que podemos fazer para aumentar ainda mais esses indicadores nos próximos anos e desenvolver a melhora na saúde e qualidade de vida dos idosos?

O médico geriatra e gerente médico do Hospital Nipo-Brasileiro, Carlos André Uehara, conta que a prevenção é a forma ideal de evitar doenças e promover melhores condições de saúde aos idosos.

“A saúde preditiva não apenas prolonga a vida dos idosos, mas também garante qualidade de vida, permitindo que permaneçam independentes e ativos por mais tempo”.

O especialista ainda comenta:

“a realização de check-ups anuais e uma rotina regular de visitas ao geriatra e equipe multiprofissional é importante para avaliar o estado de saúde completo do idoso. Ao detectar possíveis alterações ou risco de desenvolver doenças é possível agir precocemente para garantir maior possibilidade de cura e tratamentos assertivos”.

As vacinas precisam estar em dia e existem alguns exames que não podem faltar no check-up geriátrico.

Para mulheres, que normalmente estão na pós-menopausa, as especialidades principais são Endocrinologia, Coloproctologia e Geriatria.

Os exames recomendados são:

  • Raio-X
  • Colonoscopia
  • Pesquisa de sangue oculto nas fezes
  • Densitometria óssea: análise de massa óssea (pode indicar osteoporose)
  • Dosagem hormonal: prolactina, TSH e PTH (hormônio da paratireóide)

Já para os homens, que passam pelo processo de andropausa na terceira idade (caracterizado pela diminuição da produção de testosterona), as principais especialidades recomendadas são Urologia, Coloproctologia e Geriatria.

Os exames recomendados são:

  • Raio-X
  • Exame de toque retal (exame de próstata)
  • Colonoscopia
  • Pesquisa de sangue oculto nas fezes
  • Densitometria óssea: análise de massa óssea (pode indicar osteoporose)

“Uma boa possibilidade são os check-ups médicos realizados em apenas um dia, eles contêm todos esses exames indispensáveis para as pessoas com mais de 60 anos e ainda facilitam para o idoso ao realizar todos os exames e consultas no mesmo lugar e no mesmo dia”, comenta o geriatra.

Além disso, o médico explica que boas condições de saúde, acesso à saneamento básico, lazer, cultura, educação, prática de exercícios físicos, vida sem estresse e boa alimentação fazem diferença no processo de envelhecimento. Os idosos podem se inspirar na alimentação japonesa, a dieta é rica em vegetais frescos, peixes, soja, frutas e chás e o país é conhecido por sua longevidade. O olhar atento da sociedade para o bem-estar dos idosos é crucial para um envelhecimento mais saudável e feliz.

Sobre o HNipo

O Hospital Nipo-Brasileiro, localizado no Parque Novo Mundo, foi construído em 1988 para atender, principalmente, a comunidade oriental no Brasil. Sua inauguração ocorreu no aniversário de 80 anos da imigração japonesa. Atualmente o hospital conta com mais de 240 leitos, entre apartamentos, enfermaria, UTI (neonatal e coronariana), além do Centro Cirúrgico e recebe pacientes de todas as etnias e regiões da cidade.

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE