PUBLICIDADE
InícioCIDADEProgramação do Novembro Negro inclui Festival Cara Preta no Bosque Maia

Programação do Novembro Negro inclui Festival Cara Preta no Bosque Maia

Publicado em
PUBLICIDADE

Entre a diversificada programação em torno do Dia da Consciência Negra, que se celebra em 20 de novembro, Guarulhos terá o Festival Cara Preta, realizado pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de Guarulhos, incluindo vários gêneros musicais, no Bosque Maia.

Segundo a cantora e produtora artística, Céllia Nascimento, curadora do evento, os protagonistas musicais são artistas da cidade que representam a musicalidade preta e trabalham para manter viva a identidade do povo preto, cultivando as tradições. Ela destaca que as apresentações serão no Espaço Abayomis – Encontros Preciosos, cujo significado explica: “O espaço é localizado na tenda no Bosque Maia e estará sob curadoria do produtor cultural Diego Dionísio. A palavra Abayomi tem origem iorubá, e tem como significado aquele que traz felicidade ou alegria. Abay=encontro e omi=precioso que também significa “o melhor de mim para ti”.

 

A programação tem início às 14h da segunda-feira, 20, com Bonee D. e segue com as seguintes atrações:

  • 14h30 – James C. Oficial
  • 15h10 – Samba de Roda e Capoeira
  • 16h – Oficina de Tranças e Turbantes
  • 16h40- Tribo Guaru
  • 17h – Fadas de Black- Contação de histórias
  • 17h – Wander Tok final
  • 18h10 – Abayomi Contação de historias
  • 18h40 – Grupo Mesa de Bar parte Érica Cardial
  • 19h20 – Ballroom – Vivências de vogue
  • 19h40 – Céllia Nascimento com participação de Teresa Gama e DJ Ney
  • 20h20 – Homenagens
  • 20h30 – Pegada de Gorila
  • 21h10 – Terra forte Maracatu

O Espaço Abayomi terá contações de histórias e intervenções artísiticas de: Monique Amora, Elizabethe Regina, Ariane Manzo, Janaína Reis e as casas da Vougue da cidade de Guarulhos.
Janaína Reis vem com a proposta Memórias Afrofuturistas, na qual o público negro será fotografado por profissionais negros do audiovisual.

Programação começou no dia 13 e continua até dezembro

A iniciativa da Programação do Novembro Negro GRU 2023 é da Subsecretaria da Igualdade Racial, integrante da Secretaria de Direitos Humanos. Teve início no dia 13/11, com a exposição Mulheres e Homens que Mudaram a História, no Centro de Integração da Cidadania (CIC) Pimentas (estrada do Capão Bonito, 53), Jardim Maria de Lourdes; segue até sexta-feira, 17/11, das 8h às 17h.

Nesta quinta-feira, 16/11, das 9h às 11h e das 14h às 16h (para duas turmas) – oficina de confecção de bonecas Abayomi no CIC Pimentas.

  • 17/11 (sexta-feira) – 14h – roda de conversa sobre racismo no CIC Pimentas
  • 19/11 (domingo) – 19h – espetáculo teatral gratuito Eu e Ela – Visita a Carolina Maria de Jesus, com a atriz Dirce Thomas e realização de Invasores Companhia Experimental de Teatro Negro, no Teatro Adamastor (avenida Monteiro Lobato, 734, Macedo). Classificação: livre
  • 20/11 (segunda-feira) – 9h às 13h – 18ª Marcha da Consciência Negra – concentração no Marco da Consciência Negra (na confluência das ruas Lucila, Anita Guastini Eiras e Arminda de Lima – próximo à praça dos Estudantes, no Centro)
  • 22/11 – (quarta-feira) – 14h às 17h – diálogos para a construção do Fórum Municipal de Liberdade Religiosa na 57ª Subseção OAB Guarulhos (rua Ipê, 201, Centro)
  • 28/11 (terça-feira) – 8h às 12h – visita guiada ao Sítio da Candinha (bairro Jardim Bananal) – atividade em conjunto com o Conselho Consultivo do Parque Natural Municipal da Cultura Negra Sítio da Candinha e a Secretaria de Meio Ambiente
  • 29/11 (quarta-feira) – 8h às 17h – visita monitorada ao Museu Afro, no Parque do Ibirapuera (avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº, Vila Mariana, São Paulo/SP)
  • 5/12 (terça-feira) – 14h – roda de conversa Quarto de Despejo – Carolina Maria de Jesus, na Casa Clara Maria Vila Galvão (rua Brigadeiro  Lima e Silva, 565, Vila Galvão)
  • 6/12 (quarta-feira) – 9h30 – roda de conversa: Enfrentamento ao Racismo, no Centro POP – Vila Progresso (rua Salvador Gorgone, 3,  Vila Progresso)
  • 7/12 (quinta-feira) – 9h – oficina “Quesito Raça/Cor”, na Subsecretaria de Acessibilidade e Inclusão (rua Alberto Hinoto Bento, 49, Macedo)

Peça teatral sobre Carolina Maria de Jesus será domingo, no Adamastor

O Teatro Adamastor recebe no próximo domingo (19), às 19h, o espetáculo teatral gratuito Eu e Ela – Visita a Carolina Maria de Jesus, com direção da atriz Dirce Thomaz e baseado na obra Quarto de Despejo. A apresentação é livre, aberta ao público em geral.

Encenada pelos Invasores Companhia Experimental de Teatro Negro, a peça é narrada em primeira e terceira pessoas. Dirce Thomaz personifica a vida de Carolina Maria de Jesus, escritora negra, catadora de papel e mãe de três filhos na comunidade Canindé, em São Paulo. Os ingressos devem ser retirados na bilheteria uma hora antes do início do espetáculo ou podem ser adquiridos no site da Sympla (https://bit.ly/eueelacarolina).

Marcha na segunda-feira, dia 20

O Dia da Consciência Negra (20 de novembro) tem o objetivo de desconstruir o racismo trazendo a reflexão sobre a participação e a representatividade da população negra na história da cidade e do país. Nessa data acontecerá a 18ª Marcha da Consciência Negra, com concentração a partir das 9h no Marco da Consciência Negra (na confluência das ruas Lucila, Anita Guastini Eiras e Arminda de Lima – próximo à praça dos Estudantes, no Centro).

O cortejo passará por importantes pontos históricos que marcam a presença negra no município, como a rua Nossa Senhora Mãe dos Homens (Pretos), o busto da Mãe Preta (praça Getúlio Vargas) e a rua Doutor Luiz Gama – o patrono da abolição da escravidão no Brasil, que foi advogado, abolicionista, jornalista e escritor brasileiro.

O percurso inclui também a Igreja Nossa Senhora do Rosário Mãe dos Homens Pretos e São Benedito (praça do Rosário, rua João Gonçalves) e termina na rua Dom Pedro II, onde há uma marca escura no chão construída com tijolos pretos, que recupera a história, a memória de resistência e a identidade de pretos escravizados. Esses pretos pertenciam a diversas irmandades que se reuniam na antiga igreja Nossa Senhora do Rosário, construída no primeiro quarto dos anos 1700, na qual foi instalada uma placa de metal estabelecendo esse marco histórico.

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE

Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE