PUBLICIDADE
InícioCIDADEPrefeitura afirma que IPTU congelado desde 2017 gerou economia de quase um...

Prefeitura afirma que IPTU congelado desde 2017 gerou economia de quase um ano e meio de imposto

Publicado em
PUBLICIDADE

Segundo cálculo da Prefeitura de Guarulhos, os proprietários de imóveis da cidade já economizaram um valor equivalente a um ano e meio de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) desde o congelamento do tributo em 2017, benefício que será mantido em 2024 para os munícipes que quitam os boletos em dia.

A Administração Municipal afirma que o guarulhense que desde 2017 paga, por exemplo, R$ 1.000 de IPTU, já economizou R$ 1.433,87 nos últimos sete anos. A conta leva em consideração aumentos baseados na inflação oficial do país, medida pelo IBGE por meio do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Para este ano o dado utilizado foi a prévia da inflação, de 4,75%.

 

Os moradores de São Paulo não têm esse benefício, já que o IPTU tem sido reajustado anualmente na capital paulista – em 2023, por exemplo, o aumento foi de 5,5%.

Ainda segundo a Prefeitura, o congelamento do IPTU permitiu que o guarulhense, em sete anos, tenha pagado o equivalente apenas a cinco IPTUs e meio. Informe da Prefeitura cita que, mesmo com o benefício, a Prefeitura viu sua dívida cair de R$ 7,4 bilhões no início de 2017 para cerca de R$ 1,8 bilhão atualmente, o que permite uma maior atração de investimentos para a cidade.

Aponta, ainda, que “a arrecadação menor com o IPTU não implicou o aumento do endividamento da cidade, tampouco impediu que avanços importantes sejam concretizados, como as obras de macrodrenagem do rio Baquirivu, o avanço no tratamento de esgoto, o fim do rodízio de água, a construção do Hospital Infantojuvenil de Guarulhos e o andamento do projeto do metrô, entre outras obras que transformarão radicalmente a paisagem urbana e a qualidade de vida do guarulhense”.

Reajuste passou de 175% nas gestões anteriores

Entre 2001 e 2016, as quatro gestões imediatamente anteriores à atual, houve aumento no IPTU em todos os anos em Guarulhos, com destaque para 2003, quando ele subiu 12,06%, 2016 (10,49%) e 2004 (9,25%).

Isso significa que quem pagava R$ 1.000 nesse imposto em 2001 passou a desembolsar R$ 1.690 oito anos depois e R$ 2.753 após dezesseis anos, o que representa um aumento de 175,3%.

Além disso, em 20 de dezembro de 2012, a lei 7.087, assinada pelo ex-prefeito Sebastião Almeida (PT), alterou a Planta Genérica de Valores (PGV) Imobiliários de Guarulhos, o que aumentou substancialmente os valores do IPTU. As contas descritas acima não incluem a mudança na PGV (que representou alterações variadas para as residências do município), o que significa que o reajuste no imposto foi ainda maior na cidade.

A lei de 2012 representou aumentos de até 2.000% nos boletos que chegaram aos munícipes. Foram registrados casos em que um IPTU passou de R$ 134 para R$ 2.434 – já considerado o desconto de 10% para o pagamento à vista. Houve reclamações também quanto à avaliação da metragem das residências, comércios e indústrias, além do valor venal em áreas de periferia, o que levou a população a lotar e esperar horas nas unidades da Rede Fácil de Atendimento ao Cidadão para reavaliar o valor a ser pago.

Próximo mandato

A constante valorização dos imóveis em Guarulhos, entretanto, obrigará quem assumir a Prefeitura no próximo mandato (2025/2028), seja quem for, a promover a atualização da Planta Genérica de Valores, pois está claramente defasada. Isso fatalmente implicará em aumento no IPTU, ainda que não seja aplicado nenhum índice de reajuste pela inflação.

Compartilhe

Veja também

PUBLICIDADE
Redes Sociais
28,870FãsCurtir
3,337SeguidoresSeguir
1,683SeguidoresSeguir
358InscritosInscrever
PUBLICIDADE

Últimas publicações

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE