A cidade de Guarulhos é uma das mais importantes cidades do Brasil. Tendo o 4ª maior PIB do Estado de São Paulo e o 13º maior do País, o município desfruta de uma localização estratégica que privilegia a indústria, principalmente às que pertencem ao setor de logística. Com 17 km de distância da capital paulista, Guarulhos está ligada com as principais rodovias nacionais: Dutra e Fernão Dias, além de ter o maior aeroporto da América do Sul e estar a 108 km do Porto de Santos.

Tamanha importância não pode ser desconsiderada pelo próximo governante do Estado. O Click Guarulhos abriu espaço para os principais postulantes ao Palácio dos Bandeirantes exporem as propostas voltadas à cidade de Guarulhos. Todas as perguntas foram encaminhadas de igual forma aos candidatos, os quais tiveram a liberdade de responderem como bem achassem melhor. Confira a seguir o posicionamento de cada um sobre temas específicos e gerais.

O que representará Guarulhos em seu governo?

João Dória (PSDB)

A cidade de Guarulhos é a 4ª maior economia do Estado e a 12ª no ranking nacional (IBGE e Prefeitura), com um setor industrial fortíssimo.  Ela tem uma importância peculiar na economia do nosso Estado, orgulho para nós paulistas. É a porta de entrada por meio Aeroporto Internacional de Cumbica. Trata-se de uma cidade importantíssima do estado de São Paulo, que receberá muita atenção do governo tanto para o âmbito social, quanto de infraestrutura, segurança e melhorias na saúde com foco, sobretudo no Hospital Geral de Guarulhos, que será modernizado.

Luiz Marinho (PT)

Primeiro, é importante expressar que os 645 municípios paulistas sofrem da letargia causada pelos governos do PSDB no Estado há 24 anos. O Orçamento está enferrujado. As políticas sociais estão em segundo plano. Não houve por parte desses governos uma preocupação em governar junto com os prefeitos paulistas.

Por isso, eleito governador, iremos priorizar as demandas do Estado pelo princípio da territorialidade. Ou seja, por região, reunir os prefeitos num grande esforço para apontar as prioridades e incluí-las no Orçamento. O Plano Plurianual, por exemplo, deve deixar de ser uma peça de ficção e, efetivamente, contribuir para levar desenvolvimento aos municípios e a seus moradores.

Nesse sentido, Guarulhos tem uma importância estratégica em meu plano de governo. Não concebo que Guarulhos, uma das principais cidades do país em produção de riquezas, ainda careça de políticas públicas para saneamento, saúde, educação, geração de empregos, sem que os governos estaduais, ao longo desses anos, tivessem uma visão de gerar desenvolvimento e bem-estar para o município.

Guarulhos abriga o maior aeroporto internacional da América do Sul. Duas grandes rodovias federais cortam a cidade, além da importante Ayrton Senna.  É preciso aproveitar o potencial estratégico do município e criar políticas de fomento e desenvolvimento para atrair mais empresas, principalmente do setor de logística, para que aproveitem esse potencial e, com isso, gerem mais empregos.

Márcio França (PSB)

A cidade de Guarulhos representa, para além de um enorme desafio, um rol de grandes possibilidades e de progresso para todo estado. Trata-se da segunda cidade mais populosa de São Paulo e um dos principais PIBs do país. Por isso, já demos início a um trabalho de parceria importante com o município, um acordo que intermediei entre a Sabesp e o prefeito Guti que vai acabar com o rodízio de água nos próximos meses. É um momento histórico para a cidade. A Sabesp passa a assumir o fornecimento de água e o esgoto da cidade, num investimento total de 7 bilhões de reais.

Vamos acabar com o transtorno da população e liberar o caixa da cidade para investir em áreas essenciais para população, com foco na segurança, na saúde e na educação. Fui prefeito de São Vicente, cargo para o qual fui reeleito com 93% dos votos, e sei como essa parceria entre estado e municípios é importante para a viabilização dos projetos. Palavra, pra mim, tem valor. E já me comprometi a ser o melhor parceiro que os prefeitos já tiveram.

Paulo Skaf (MDB)

A cidade de Guarulhos é de crucial importância para o estado de São Paulo. É a segunda maior cidade em termos populacionais e é onde se encontra o maior aeroporto do Brasil. Além disso, Guarulhos é de extrema importância para a indústria paulista. O parque industrial de Guarulhos possui mais de quatro mil estabelecimentos industriais nos segmentos químico farmacêutico, metalúrgico, autopeças, construção civil, entre outros. Apesar da grande relevância de Guarulhos, a cidade é constantemente esquecida pelo governo do estado. Vamos realmente mudar esse quadro.

Como avalia a possibilidade de abertura de acessos de Guarulhos ao Rodoanel?

João Dória (PSDB)

Meu compromisso é retomar e concluir as obras do Rodoanel, o que irá beneficiar também a região de Guarulhos.

Luiz Marinho (PT)

Vejo como positiva qualquer intervenção que facilite a mobilidade dos moradores de Guarulhos. Sei que, recentemente, foi apresentada a proposta de se realizar mais um acesso, entre dois bairros da cidade. Porém preciso ressaltar que essas ações já deveriam ser previstas desde o início das obras, e não quando parte do projeto já está em andamento. Esse é o sinal mais claro de que os governos do PSDB não ouviram os prefeitos das cidades no entorno do Rodoanel, para entender suas especificidades e atender à população, sobretudo desses municípios. Volto a esclarecer que, em meu governo, atuarei em sintonia com as prefeituras, por meio do conceito de territórios, radiografando as demandas e decidindo com a comunidade e os prefeitos as prioridades de investimento.

Márcio França (PSB)

Estamos estudando alternativas e todo esforço será feito. Só não podemos interromper o que já está em curso, mas já me comprometi com o prefeito que faremos o que puder para ajudar o município com essa questão.

Paulo Skaf (MDB)

O Rodoanel foi concebido para ser uma via expressa, ligando as dez principais rodovias de acesso à Região Metropolitana de São Paulo, a fim de melhorar a mobilidade urbana em sua área de influência, ao desviar o tráfego de cargas e veículos de passeio para fora das cidades. Abrir diversos acessos, para as cidades que são tangenciadas pelo Rodoanel, acabaria por desfigurar o propósito do Rodoanel, misturando o trânsito local com o rodoviário, o que não é desejável para a mobilidade de nenhuma dessas cidades. Vale ressaltar que Guarulhos já contará com três saídas para o Rodoanel: pela Fernão Dias, pela Via Dutra e pelo Aeroporto Internacional. Esses acessos irão melhorar muito o trânsito na Dutra e na Fernão Dias, que diariamente afetam a vida de milhares de habitantes de Guarulhos que trafegam pelas rodovias. Para isso, é fundamental que o Trecho Norte seja concluído no menor prazo possível, o que será uma das prioridades do meu mandato como governador.

Sobre o trem em Guarulhos, pretende ampliar a sua extensão? Como?

João Dória (PSDB)

Em relação ao trem que chega ao aeroporto, um grande avanço para os passageiros e agora têm um acesso rápido desde a capital paulista, vamos estudar a possibilidade de estendê-lo.

Luiz Marinho (PT)

Toda obra de mobilidade que vise o bem-estar dos cidadãos de Guarulhos é bem-vinda. Novamente, é preciso citar como um investimento desse porte precisa ser amplamente debatido, com prefeito e comunidade, para evitar problemas após a sua inauguração.

A Linha 13- Jade, da CPTM, estava prevista para ser entregue antes da Copa do Mundo de 2014. Ao menos foi essa a previsão alardeada pelo governo do Estado na mídia. Ora, ela só foi entregue em março de 2018, e somente três estações, ou seja, quase quatro anos após a data inicial programada. Mais: quem vai ao Aeroporto Internacional de Guarulhos necessita utilizar transporte de ônibus complementar, oferecido pela concessionária do complexo, pois não houve acordo entre empresa e governo do Estado para que o cidadão pudesse se deslocar até os principais terminais de embarque.

Sobre como ampliar a extensão, novamente isso passa por um trabalho conjunto de governo, prefeito e comunidade, para que a linha chegue a bairros mais populosos de Guarulhos, como Bonsucesso, por exemplo. A partir do momento em que são mapeadas as prioridades de investimento, basta também priorizar as verbas que constam do Orçamento e que não se leve tanto tempo para melhorar a mobilidade.

Márcio França (PSB)

Eu vou levar o trem da CPTM que vai até o Aeroporto de Guarulhos até os bairros Bonsucesso e Pimentas. Não faz o menor sentido o trem chegar até o aeroporto e não ir até esses locais.

Paulo Skaf (MDB)

A Linha 13-Jade foi projetada para atender principalmente o aeroporto de Guarulhos. O objetivo era criar uma alternativa rápida de acesso aos terminais, diminuindo o tráfego de veículos nas rodovias da região. Todavia, por falta de planejamento do estado e falta de interlocução com a concessionária do aeroporto, hoje a linha não deixa os passageiros nos principais terminais de embarque de passageiros, diminuindo muito a atratividade do transporte. Vou trabalhar para solucionar essa questão, de forma a aumentar muito a utilização da linha até o aeroporto. A extensão da linha para outros locais carece de estudos mais aprofundados, que nós iremos desenvolver. Além disso, minha prioridade para a mobilidade urbana, será levar o metrô até Guarulhos, de forma a beneficiar o maior número possível de habitantes da cidade, com um serviço adequado e eficiente.

Planeja aumentar a oferta de cursos na Fatec?

João Dória (PSDB)

Guarulhos conta com uma Fatec e planejamos aumentar a oferta de cursos nas unidades em todo o Estado. No caso específico de Guarulhos, será implantada a primeira ETEC, no mesmo terreno da Fatec, inicialmente com dois cursos e início das obras previsto já no primeiro semestre de 2019.

Luiz Marinho (PT)

Antes de mais nada, lembro que os governos do PT na administração federal foram os que mais inauguraram universidades federais, institutos e escolas técnicas pelo país. É também das gestões petistas o ProUni (Programa Universidade para Todos), criado em 2004, no governo Lula, que possibilitou o ingresso de milhões de jovens no ensino superior, com bolsa de estudo parcial ou total, entre outros programas de acesso à educação.

No caso específico da Fatec de Guarulhos, sim, é uma possibilidade o aumento de oferta de novos cursos, além dos já existentes. Porém reitero a preocupação de discutir com prefeito e comunidade a prioridade na Fatec, pois é preciso adequá-la não apenas à demanda, bem como a necessidade de formação de profissionais que possam contribuir para o desenvolvimento do município. Outro aspecto, que inclusive faz parte de meu programa de governo, é tornar a nota do Enem como baliza fundamental para ingressar nas Fatecs e em todas as universidades públicas do Estado.

Márcio França (PSB)

Nossa prioridade é investir em educação pública e de qualidade. Fizemos a Univesp, a partir do ensino a distância, saltar de 3 mil para 55 mil alunos nos últimos meses. Queremos chegar a 200 mil vagas. É uma oportunidade de ter acesso a cursos da USP, Unicamp e Unesp de forma totalmente gratuita. É preciso que o jovem seja estimulado a continuar os estudos. Ouvimos de muitos alunos das Fatecs e Etecs que eles, muitas vezes, não têm condições financeiras para chegar até a escola, por isso encaminhamos para a Assembleia Legislativa um projeto de lei que cria uma bolsa permanência, que varia de 300 a 400 reais para aqueles que precisam.

Paulo Skaf (MDB)

Sim, nosso plano de governo contempla propostas de expansão e especialização das escolas do Centro Paula Souza. Precisamos atualizar os equipamentos das FATECs e ETECs do estado e adequar os seus cursos para a realidade do mercado de trabalho em cada localidade. A FATEC de Guarulhos possui diversos cursos voltados para o setor logístico e aeroportuário, imprescindíveis para a economia local e para a operação do aeroporto. No entanto, a economia de Guarulhos é muito mais diversificada, contando com indústrias de diversos setores como alimentícias, farmacêuticas e metal-mecânica. Iremos ampliar o número de cursos oferecidos para que comtemplem também essas vocações do município, fornecendo mão de obra qualificada para essas empresas e formação de qualidade para que os jovens consigam se colocar no mercado de trabalho.

Existem propostas para a Saúde, Segurança, Educação e Mobilidade voltadas a Guarulhos?

João Dória (PSDB)

Um dos primeiros compromissos será de estender a linha 2 Verde do Metrô até Guarulhos, através de parcerias púbico-privadas (PPPs). A cidade também contará com investimentos na área da saúde, com programas como o Corujão da Saúde, o Corujão da Cirurgia, além do Remédio Rápido para não faltar medicamentos nas unidades da cidade. Outro compromisso é tirar do papel a construção do AME de Guarulhos. Na área da segurança, a população de Guarulhos sentirá a diferença com mais efetivo da PM nas ruas e com a chegada de novas bases comunitárias. No meu governo, a tolerância será zero com a violência, teremos viaturas blindadas e equipamentos modernos. Teremos como missão valorizar o salário dos policiais civis e militares.

A população de Guarulhos terá o Cheque Moradia, um incentivo direto por meio de carta de crédito para quem sonha com a casa própria. Queremos contemplar, já no primeiro ano de nosso governo, cinco mil famílias que terão até R$ 60 mil para comprar a sua casa própria. Uma casa da CDHU demora, em media, 30 meses para ficar pronta. O Cheque Moradia é transferência de recurso imediata, mais rápido.

Luiz Marinho (PT)

Em primeiro lugar, quero deixar claro que serei governador de todos os paulistas e, consequentemente, irei governar junto com os 645 prefeitos, independentemente da coloração partidária, e com a população dessas cidades. Costumo dizer que pretendo fazer um governo que cuide das pessoas.

Claro, no entanto, que na Saúde, na Segurança, na Educação e na Mobilidade, entre outras áreas estratégicas, Guarulhos fará parte do que já chamei anteriormente de governar por territórios. Precisamos realizar uma grande radiografia das necessidades da cidade e das demais dessa região, para então priorizar os investimentos.

Na Saúde, por exemplo, é preciso trabalhar com o conceito de que se trata de um direito universal. Vou priorizar a gestão solidária e compartilhada do SUS com todos os municípios e coordenar o Sistema Estadual de Saúde. Vou universalizar o Samu e UPAs em todas as regiões do Estado. São Paulo, infelizmente, é um dos dois únicos Estados que não compartilham os repasses para o Samu, que é 50% da União, 25% do governo estadual e 25% do município. Quem acaba assumindo boa parte desse gasto são as prefeituras. Li recentemente que metade das ambulâncias do Samu em Guarulhos estavam paradas por falta de manutenção. Isso não pode acontecer. Ainda na Saúde, é preciso checar a capacidade dos hospitais públicos. Há casos de unidades com mais de 50% de ociosidade, enquanto outras estão atendendo acima da capacidade. Esse setor, aliás, foi relegado também pelos governos do PSDB, que deixaram que a iniciativa privada tomasse conta de uma área que deve ser responsabilidade do Estado. Não quero dizer com isso que a iniciativa privada não deva atuar, por meio de organizações sociais, mas não como ocorre muitas vezes, em que a organização recebe os repasses, mas não executa as atividades conforme está previsto em contrato.

Na Segurança, farei uma reestruturação das polícias no Estado. Mas investir em segurança significa também reforçar a presença do Estado com políticas públicas, esporte cultural lazer e geração de empregos e renda. Vamos aumentar o efetivo policial nas ruas, por meio de novos concursos e retirando policiais do serviço administrativo, colocando-os para reforçar o policiamento na cidade. Mas é preciso também valorizar os policiais. O Estado mais rico da nação paga um dos piores salários para policiais militares e civis. Vamos recompor o salário dos agentes. É necessário também investimento em inteligência e dotar de estrutura moderna o efetivo para o combate ao crime. Vou criar uma força-tarefa, composta por Ministério Público, Judiciário e polícias, para combater o crime organizado, que, infelizmente, foi uma marca da gestão fracassada de 24 anos dos governos tucanos em São Paulo. Os direitos humanos devem ser para todos.

Na Educação, já citada anteriormente quando falei da Fatec, será necessário investir nos professores, que recebem um dos menores pisos salariais do país. Comprometo-me a elevar o piso, em quatro anos, para R$ 4.466,00. É preciso também trazer de volta para as escolas públicas mais de 298 mil jovens que estão fora delas. Há muitas razões. Uma delas é o fato de os prédios das escolas parecerem verdadeiras prisões, deterioradas, necessitando de reforma de modernização.

Na questão da Mobilidade, vamos duplicar os investimentos e entregar linhas de metrô e monotrilho interrompidos e construir pelo menos duas linhas relevantes de trens intercidades (inclusive para evitar obras como a Linha 13-Jade, que, apesar da grande importância, não atende a população em sua plenitude). Vamos criar o Bilhete Único Mensal, que será válido para todos os modais que rodam na Grande São Paulo e nas demais regiões metropolitanas. Guarulhos está inserida nesse programa, pois um morador da cidade, que precisa se locomover para outro município ou para a Grande São Paulo, poderá ter uma economia no custo do transporte.

Márcio França (PSB)

Atuaremos forte em todas essas áreas. Guarulhos ganhará o maior AME (Ambulatório Médico de Especialidades) com centro cirúrgico do estado. Assim como os demais, seu atendimento será estendido para os finais de semana. Essa ação vai zerar, em seis meses, as filas de consultas e exames em todo estado. Na área da educação, faremos uma revolução no ensino médio, em que os alunos poderão concluir a escola com dois diplomas: o regular e o técnico.

Entregaremos uma escola mais moderna, mais condizente com a realidade dos alunos, que são digitais, mas convivem com salas de aula analógicas. Além disso, todos os estudantes terão a garantia de faculdade de graça e sem vestibular por meio do Univesp.

Na área da segurança é foco em tecnologia e na valorização dos policiais. Os índices de criminalidade caem mês a mês, mas temos de combater a sensação de insegurança, tão presente na vida dos paulistas. Quero parar de enxugar gelo e atuar para evitar que o jovem ingresse na criminalidade. Para isso, expandiremos para todo o estado o programa de Alistamento Civil Voluntário, que dará a meninas e meninos uma oportunidade de trabalho, com uma bolsa de 500 reais mensais, mediante à sua permanência na escola.

Paulo Skaf (MDB)

Sim. Vou começar pelo tema mobilidade. Não há conexão metro-ferroviária entre o centro de Guarulhos e a capital. Apenas este ano, a cidade passou a contar com uma linha da CPTM que não atende à maior parte da população, pois a última estação é no aeroporto. Minha proposta é levar duas linhas de metrô para a cidade. Vou tirar a Linha 2-Verde do papel, ligando a estação Vila Prudente à estação Dutra, na região do Internacional Shopping. A linha já tem projeto executivo avançado e pode ser feita rapidamente. Vou também concluir o projeto da Linha 19-Celeste, conectando as regiões centrais de São Paulo e Guarulhos.

Em relação à educação, saúde e segurança há ações específicas e outras gerais. Na educação, por exemplo, pretendo universalizar o ensino em tempo integral nos anos iniciais do Ensino Fundamental da rede estadual, nos mesmos moldes que fiz no Sesi. A implantação será gradual, mas resultará em educação de qualidade, alimentação balanceada, práticas esportivas e cultura. Na saúde, vou reorganizar os diversos entes que atendem a Rede SUS, entre UBSs, UPAs, AMEs, Hospitais Gerais, clínicas, entre outros.

Vou agir em três grandes frentes. Primeiro, vou equipar, modernizar e integrar o trabalho das nossas polícias. Ele deve estar voltado para a atividade-fim: a investigação e o patrulhamento. O nosso foco será a inteligência policial. Além disso, é urgente reassumir o controle dos nossos presídios. Hoje, eles estão nas mãos do crime organizado. Não é possível que o governo paulista se comporte como um refém. Pretendo também utilizar a minha força e liderança política como governador do estado de São Paulo para atualizar a lei penal no Congresso Nacional. Quero acabar com as “saidinhas”, as “visitinhas” e a redução de penas.

Mais alguma consideração?

João Dória (PSDB)

Vamos contar com o apoio de Guarulhos no projeto para despoluir os rios Tietê e Pinheiros através de uma Parceria Público-Privada (PPP). É um plano com duração de oito anos que concede a exploração dos rios ao setor privado em contrapartida da limpeza do Tietê e do Pinheiros e seus afluentes.

Luiz Marinho (PT)

Sim. Quero ser governador de São Paulo para implantar, em parceria com o governo federal, com Fernando Haddad como presidente, as políticas sociais vitoriosas criadas nos governos Lula e Dilma. Todos os outros candidatos, sem exceção, se comprometem a manter esse ou aquele programa e, de forma envergonhada, citam que foi uma criação das gestões petistas. E é aí que está a diferença. Sei como fazer.

Fui ministro do Trabalho do presidente Lula. Naquela época, quem queria trabalhar encontrava emprego. Criamos mais de 14 milhões de novas vagas de trabalho. Infelizmente, o governo Temer, após um golpe na presidenta Dilma, levou o país para o abismo. Hoje, são quase 13 milhões de brasileiros e brasileiras sem emprego.

Também fui ministro da Previdência Social do governo Lula. Conseguimos acabar com uma das situações mais vergonhosas que existiam nas agências do INSS, que eram as longas filas que se formavam desde a madrugada.

Os governos do PT se notabilizaram pela criação de inúmeros programas sociais que precisam ser resgatados e implantados com força no país e, é claro no Estado de São Paulo, pois, de fato, um governo, em qualquer instância, precisa cuidar das pessoas.

Márcio França (PSB)

Quero dizer para os moradores de Guarulhos que ao longo dessa minha caminhada pelo estado tenho demonstrado um jeito diferente de governar, próximo das pessoas e assumindo compromissos com responsabilidade e planejamento. São mais de 30 anos de vida pública. Fui vereador, prefeito, deputado, secretário estadual e vice-governador de São Paulo. Estou preparado para fazer o estado avançar. Não vou deixar ninguém pelo caminho.

Paulo Skaf (MDB)

Decidi encarar o desafio de ser governador de São Paulo porque acredito que já passou da hora de os problemas do estado serem enfrentados de uma vez. Chega do jogo de empurra. Além do mais, é preciso – e possível – fazer política de uma forma diferente, a partir de uma nova visão, pautada na seriedade e na honestidade, com competência, preparo e eficácia. Esse é o momento de transformar a nossa realidade, investindo de maneira eficiente em áreas cruciais como a educação, a segurança, a saúde, além de incentivar o desenvolvimento, gerar empregos e estimular o empreendedorismo. Eu sei como fazer isso. E se for da vontade de Deus e decisão do povo de São Paulo que eu seja eleito, garanto que a população não vai se arrepender. Quero começar a construir uma nova história no estado de São Paulo.

Plano de Governo dos candidatos ao governo do Estado:

João Dória (PSDB)

Luiz Marinho (PT)

Márcio França (PSB)

Paulo Skaf (MDB)

Candidatos de Guarulhos a deputado estadual

Candidatos de Guarulhos a deputado federal