Por Tamiris Monteiro
Fontes: Livros Guarulhos tem História e Signos e Significados em Guarulhos
Reprodução de fotos: Sincomerciários, Guarulhos tem História e AAPAH

Algumas partes da história da cidade já são bem conhecidas pelos guarulhenses,
mas existem fatos que tiveram importante contribuição para o desenvolvimento do município e muitas pessoas os desconhecem. Separamos algumas dessas curiosidades. Confira!

Padre Bento e o surgimento do bairro de Gopoúva

Inaugurado em junho de 1931, no bairro Gopoúva, o Hospital Padre Bento foi um sanatório referência no tratamento da hanseníase (conhecida na época como lepra). O modo escolhido pelo Estado de São Paulo para tratar os hansenianos foi a internação compulsória, oficializada por meio de medida decretada em 1933 por Getúlio Vargas. Os pacientes eram obrigados a ficar em lugares como o Padre Bento, construídos especialmente para abrigá-los, e só foram liberados desses locais a partir da década de 1960. Porém, boa parte dessas pessoas passou parte da vida em isolamento, o que dificultava a volta à sociedade.
Em entrevista concedida à RG de dezembro de 2013, Wallace Pereira, morador do Gopoúva e ex-paciente do Padre Bento, contou sua experiência. “Eu me internei em 1957 e tive alta em 1963. Visitava minha família no bairro de Santana, em São Paulo, mas preferi ficar por aqui”, relata. Segundo Wallace, os hansenianos tinham muita dificuldade de arrumar emprego quando saíam das colônias e inserir-se novamente na sociedade era quase impossível. “Na verdade, nem autoestima existia quando esses internos saíam, pois o preconceito era severo demais. Com a falta de estímulo, 80% dos pacientes que recebiam alta decidiam ficar. Eu, como muito outros, comprei um terreno próximo do Padre Bento, pois existia muita área desabitada. Havia um grande loteamento de uma imobiliária de São Paulo, que ajudava até com material; eles davam dez mil tijolos para iniciar a obra e os terrenos custavam muito pouco. Isso porque ninguém queria ser vizinho de leprosos. Dessa forma teve início e evolução do bairro”, conta.

Ouro em Guarulhos

Colonos, fidalgos e jesuítas instalaram-se na região e investiram no sistema de mineração de ouro no século XVI. De acordo com informações do livro “Guarulhos tem história”, as lavras tiveram as atividades interrompidas em 1812, devido a um desabamento que teria vitimado muitos escravos. Do inicio ao fim do século XIX, a população de Guarulhos diminuiu, fato atribuído em parte ao fim do ciclo do ouro.

Ciclo do Tijolo

A primeira atividade econômica significativa de Guarulhos está associada às fábricas de tijolos, conhecidas como olarias. A chegada das indústrias aconteceu no período de transição da escravidão, para a forma de trabalho assalariado. Com o aumento da demanda de compradores e o conhecimento técnico dos imigrantes europeus na área da construção civil, o sistema de produção, que inicialmente adotava método artesanal, sofreu alterações tanto na forma de fabricação dos tijolos como no sistema de transporte. Em 1915, Guarulhos recebeu a primeira indústria oleira oficial da cidade e também aconteceu a inauguração da estação do trenzinho da Cantareira, ambos os acontecimentos foram na Vila Galvão. A razão de olarias serem instaladas aqui se explica pela existência de grandes jazidas de argila na região. A argila é um dos principais elementos na produção de tijolos.

Mulheres de presença

Na década de 40, as mulheres já pegavam pesado no batente por aqui. Como a principal forma de sustento da região vinha das olarias, famílias inteiras eram obrigadas a trabalhar ajudando na fabricação de tijolos. As mulheres desse período, além de darem expediente na fábrica, ainda tinham os afazeres domésticos. O reconhecimento pelo trabalho feminino só começou a acontecer com as mulheres que eram professoras. A professora Nicolina Bispo, por exemplo, foi uma das primeiras educadoras da época a ter algum tipo de reconhecimento por causa do seu ofício. No campo da política, a primeira vereadora eleita foi Ernestina Del Buono Trama, em 1948. Segundo aponta o livro “Cronologia Guarulhense”, Ernestina tinha amplo conhecimento em Direito e boas relações e participação na política local. Depois disso, vieram ativistas como Francisca Luzanira Pinheiro Candêa e Adolfa Alexandrina Santos, fortes atuantes em causas políticas e sociais.

O lado verde de Guarulhos

Você já deve ter ouvido alguém dizer que Guarulhos é grande, e é mesmo: o município tem 320 km², divididos em 47 bairros e o mais bacana é que 33% dessa área sâo recobertos por remanescentes de Mata Atlântica. A cidade está inserida na Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo e a biodiversidade dessa área verde é bem expressiva. Segundo levantamento da Prefeitura, foram identificadas 190 espécies de animais silvestres, tais como suçuaranas, lontras, furões, gambás, entre outros.

Confira mais sobre essa história, contada pela Revista Guarulhos de dezembro de 2016:

Introdução: Guarulhos: 456 anos de muita história

O surgimento da cidade de Guarulhos

Antes e depois: as marcas de Guarulhos

Os dados de uma gigante