Número de alunos de origem haitiana cresce nas escolas estaduais de SP

Foto da internet para ilustração

A rede estadual de ensino de São Paulo fechou o primeiro semestre com a presença de 127 alunos de origem haitiana. Além do Haiti, a Secretaria da Educação do Estado também recebe crianças e jovens de outras 90 nacionalidades. Juntos eles somam cerca de 8 mil estudantes. O cadastro de novos alunos, incluindo estrangeiros, para o segundo semestre já está aberto.

Levantamento feito pela Secretaria revelou que o país com o maior número de representantes é a Bolívia, seguido por Japão e Paraguai. Nos últimos anos, porém, as escolas passaram a receber alunos de regiões de conflito ou tensão social. São estudantes vindos de regiões da África e Oriente Médio, como  Angola, Síria, Congo, Palestina e Israel.

Em São Paulo, eles frequentam classes do Ensino Fundamental e Médio e contam ao longo de todo o período letivo de apoio pedagógico de professores e diretores. A Secretaria também mantém um Núcleo de Inclusão Educacional (NINC), criado para definir diretrizes de recepção e adaptação destes alunos. Entre as crianças, a integração de brasileiros e estrangeiros geralmente começa já no pátio na hora das brincadeiras ou na contação de histórias.

Aulas retornam em agosto

As aulas do segundo semestre letivo de 2015 começam no próximo dia 3 de agosto. A data faz parte do calendário oficial da rede e foi divulgada no Diário Oficial do Estado e em todas 91 Diretorias de Ensino no início do ano.