Espalha Fatos – 05/08

Quer que desenhe?

Será que o prefeito Sebastião Almeida (PT) e seus asseclas ainda não entenderam que o único acordo possível para os professores encerrarem a greve é o pagamento imediato das pendências? Blá blá blá nessa altura do campeonato não cola, né? Enquanto isso quem está pagando pelo descaso são as crianças…

Desnecessário

Ao invés de pagar os professores, a Prefeitura, além de outros absurdos, resolveu espalhar pela cidade outdoors com fotografias de diversos tipos de orquídeas, tendo como texto somente o nome científico da planta. O argumento utilizado para tamanho desperdício foi o de que a Justiça Eleitoral não permite propaganda institucional neste período. Ora, se existe a lei, não seria mais barato ocupar os espaços somente com folhas em branco e utilizar esse dinheiro da impressão para ajudar a pagar os educadores? Parece que Almeida não tem noção das prioridades da cidade.

Viralizou

Com repercussão similar ao Pokémon Go, o clipe do carioca MC Faísca está bombando na internet. Sabe-se lá porque, os guarulhenses estão se destacando por serem os maiores fãs desta música embalada na batida do funk. Mais de 1 milhão e meio de pessoas já assistiram a “Dança do Pombo”. Vale a pena aprender o passinho que é a sensação do momento em Guarulhos. Busque o link no Google e divirta-se pra valer. Tchu, tcha, tcha, tcha tcha …

Dando a cara

Em reunião realizada na manhã de ontem, a Comissão Especial de Estudos criada na Câmara para avaliar denúncias de mau atendimento, superlotação, falta de medicamentos e de insumos no Hospital Geral de Guarulhos, além de índice alto de pacientes em óbito, ouviu as justificativas da equipe diretiva do equipamento estadual. Estavam presentes a médica Berenice Trotta, diretora do Complexo Regulador da Secretaria de Estado da Saúde; o médico Afonso Machado, diretor técnico do HGG, e representantes da comissão de óbito geral.

Explicações

O diretor Afonso Machado explicou que eventualmente podem acontecer alguns problemas, como superlotação ou falta de medicamentos, mas até o momento todas as pessoas estão sendo atendidas, respeitando-se a gravidade de cada caso. Da mesma forma, pode haver falta momentânea de algum medicamento ou insumo, que são imediatamente substituídos. Já a equipe da comissão de óbitos informou que as planilhas a respeito do número de pacientes que vieram a falecer no HGG não apontam para nenhuma curva fora da média ao longo do último ano.

Prioridade

Na oportunidade, o vereador Prof. Rômulo Ornelas (PT) questionou a falta de papel toalha em um banheiro durante uma visita que fez ao hospital recentemente. O diretor Machado justificou: “Falta de reposição não significa falta de materiais, ou seja, o papel pode ter acabado naquele momento, mas certamente foi logo reposto”.