A hora e a vez da juventude guarulhense na literatura

A primeira edição do Prêmio Guarulhos de Literatura, em 2017, contou com 53 obras inscritas. Dessas, 12 foram excluídas por não atender as exigências do edital; outras dez não passaram na avaliação inicial.

Neste ano, o 2º Prêmio Guarulhos de Literatura obteve nada menos de 98 inscrições de livros, com participantes de todas as regiões da cidade e de outras cidades do estado de São Paulo, o que mostra o acerto da iniciativa do escritor Auriel Filho, que resolveu instituir essa premiação sem contar com nenhum apoio ou incentivo do poder público.

Porém, um dado que deve ser mais comemorado ainda é a inscrição de 3.500 textos de estudantes de colégios públicos e particulares da cidade na categoria Jovens Escritores.
Auriel Filho explica que quando pensou nessa categoria tinha nítido em sua mente que não bastava encontrar centenas de escritores pela cidade se não tivesse um trabalho na base dessa estrutura. Segundo ele, a categoria Jovens Escritores tem como premissas, influenciar professores, coordenadores e diretores que possam criar oficinas literárias dentro das escolas, no intuito de fortalecer o ensino e, em segundo plano, trabalhar a escrita e a literatura. “As oficinas literárias não podem ser vistas apenas como ação cultural; na verdade elas são mais do que isso, porque quando trabalhamos na construção de textos, na sua interpretação e na parte escrita, estamos levando o aluno ao conhecimento e desenvolvimento de suas potencialidades educacionais”, explica.

Ele conta que deu para fazer um diagnóstico, com a categoria Jovens Escritores, de como os estudantes têm dificuldade na construção de textos e na escrita, seja na poesia, contos ou crônicas. Mas, apesar disso, viu que existem em muitos colégios professores, coordenadores e diretores comprometidos com o ensino e com o aluno.

Ressalta que teve surpresas muito agradáveis com as escolas estaduais Santa Lídia I, Alice Chuery e Milton Cernach. “Eles têm um comprometimento com a comunidade muito grande e as ações que realizam me contagiaram positivamente, mostrando que a escola pública tem excelentes profissionais que fazem a diferença na vida dos estudantes que desejam aprender”.

Essa categoria fez tanto sucesso que será um projeto fora do Prêmio Guarulhos de Literatura. “Notamos que ela deu muito certo, mas o período em que a iniciamos atrapalha um pouco aos colégios participarem mais ativamente, devido ao fechamento dos bimestres e por isso ela ganhará em 2019 um projeto solo para que mais colégios participem”, informa Auriel Filho.

LIVROS CONCORRENTES

1 – A carruagem de fogo (Editora Jangada)
Gustavo Rosseb;

2 – A fronteira (livro independente) – Guilherme Maia;

3 – A peregrinação das folhas secas
(Editora Telucazu ) – André Kondo;

4 – Ano Zero ( Independente ) – Marcelluz Bellezus;

5 – As trinta e uma noites ( Editora )
Antonio Cláudio;

6 – Carmim (Editora Partesã ) – Assis Furtado;

7 – Embrião ( Editora Reformatório)
Cesar M. Borges;

8 – Livres de vida e pensamento (Editora Nelpa)
Charles Dalan;

9 – Corpos de areia – Cintia Macena;

10 – Contos e recontos (Editora Soul)
Andrea Marques Melo;

11 – Cordéis dedicados – (Editora) – Mario Cabral;

12 – Divã de uma cabeleireira (Independente )
Simone D. Rodrigues;

13 – Política da editora (Editora ) – Eduardo Aleixo;

14 – Frugais transgressões (Editora Telucazu )
Gilson Yoshioka;

15 – Guardami – Danny Dennaro;

16 – Irmãos em todos os tempos (Editora Beco )
Plínio Marcos Basílio Garcia;
17 – To selfie or not to selfie (Editora )
Julia Antuerpem;

18 – Faz Sol, mas eu grito ( Editora Patuá)
Leandro Rodrigues;

19 – São tantas vozes (Editora Telecazu) – Lya Gram;

20 – Solidão faz a festa (Editora Patuá ) – Lygia Roncel;

21 – Elefantes têm medo de formigas
(Edições é da hora) – Marah Mendes;

22 – Vozes da primavera – (Editora Porto de lenha ) Maria A.S.Coquemala;

23 – Senhor de Valença ( Editora ) – Marlene Torrigo;

24 – Minha vida pela tua vida (Independente)
Cristiane Santos;

25 – Pequenas mortes cotidianas (Editora)
Paula Giannini;

26 – Por que ter filhos? (Editora ) – João Oliveira;

27 – Retratos Imateriais – Jean Narciso Bispo Moura;

28 – Diário da casa arruinada (Editora Penalux)
Tiago Feijó;

29 – Começa em Mar (Editora Penalux )
Vanessa Maranha;

30 – Visões de João Manoel
João Evangelista Rodrigues;

31- Corações Selvagens (Amazon) – J.F.Soram;

32 – Carnaval – (Editora Patuá) – Carolina Rieger;

33 – Fadas e copos no canto da casa – (Editora)
Mariana Salomão Carrara;

34 – Nébula (Amazon) – Roberta Grassi;

35 – Ganga (Editora Edith) – Sylvia Mello;

36 – O beijo do Sol (Editora Pandorga)
Lilian Sabião Bastidas;

37 -Como tudo começou (Plataforma digital)
Larissa Caroline Vicente;

38 – Manual dos Desajustados (Selo trevo)
Umero Card´osso;

39 – Adoção em um país chamado Brasil
(Editora Autografia) – Dayane Guedes;

40 – Amor em palavras – Yassuo Kimura;

41 – Cartas de amor e na Guerra (Amazon)
Antonio Sonsin;

42 – Poemas Acrósticos – (independente)
Antonio Tereza;

43 – Histórias do córrego – Daniel Neves;

44 – Vias e Versos – J.R.Jerônimo;

45 – Ironia de um processo criativo
Jose Armando da Costa;

46 – Meu mundo meu – Costa Waeny;

47- Playlist – Leandro Manzione;

48 – Diário de um jovem cão – Lucas Ramos;

49 – Memórias de um orfão – Sebastião Garcia;

51 – Pompoarismo – Stela Alves;

52 – Quase esquecidos – Hiran Murback;

53 – Crônicas para aquecer seu coração
Renan Silva Oliveira;

54 – Genes Letais – Rodrigo da Silva;

55 – Samurai Caolho Editora Telucazu)
Thoshio Katsurayama;

56 – Talabora Mirim – Mogenir Leite;

57 -Amor em Azul (Editora Telucazu);

58-A verdade é apenas uma versão dos fatos
Wisner Fraga;

59- Concisos e acidentais – Silvio Valentin;

60 – Corações Selvagens (J.F.Soram);

61- Carnaval (Editora Patuá) – Carolina Rieger;

62 – Como tudo começou (Independente)
Larissa Caroline;

63 – Fadas e copos no canto da casa
Mariana Salomão;

64 – Nebula – Roberta Grassi;

65 – Mono e poli – Adilson França;

66 – Hollywood uma história do Brasil
Antonio Sonsin;

67 – Ensaios – Pedro Franco;

70 – Das miudezas Marinhas – Aline Farfalla;

71 – Nous – Bruno Bossolan;

72 – Projeot 94 – Rodrigo Silva;

73 – Rebuliços Contemporâneos e panoramas da vida – Caroline Cristina;

74 – A menina que morava em mim
Claudinéia Marques;

75 – Setenta e sete sentimentos de amor e vida
Debora Santos;

76 – Retalhos de uma poeta – Edileuza Bezerra;

77 – Curtido na gaveta – Érico Marin;

78 – Pois é a… – Escobar Franelas;

79 – Corpo anônimo – Evandro Alves;

80 – Flechas ao Vento – Fabi Mees;

82 – Trechos de cartas que jamais chegaram
Fernando Ferrari;

83 – Escritos por alguém – Flávio Aoun Sapienza;

84 – Poesia desastrada – Gabriel Yukio Goto;

85 – No jardim dos meus pensamentos – Gislaine Lopes;

86 – Timoneiro – Ivo de Souza;
87 – Amor burgues no seculo XXI
Klaus Merschbacher;

88 – Arame farpado no umbigo do mundo
Leandro Rodrigues;

89 – Suspiros poéticos – Marcelo de Oliveira;

90 – Lamentos e memórias – Mario Cabral;

91- O mundo pegando fogo e eu surfando
Monahyr Gonçalves;

92- Poética e liberta – Monika Kikuti;

93 – Alma na Carne – Odenir Ferro;

94 – Os passarinhos da minha mente;
Paulo Gustavo;

95 – Suspiros Pendulares – Pedro Frizo;

96 – Os poetas também amam – Rafael Zimichut;

97 – Horizonte de poesia – Reginaldo Santos;

98 – Rescaldo dos oponentes – Suzana da Silva;

100 – Aprendi a voar quando fui empurrado
Tales Jaloretto;

101 – O amor tem olhos surrealistas
Vitor Miranda;

102 – Insensata – Úmero Card’osso.

Com a palavra, o criador do Prêmio

Como foi tocar mais esse evento?

Apesar da minha experiência em realizar projetos e eventos, cada um tem seus desafios. O segundo Prêmio Guarulhos de Literatura foi e está sendo prazeroso em realizar porque sinto que estou contribuindo com a literatura, com os escritores e com a educação da nossa cidade.

A categoria Jovens Escritores foi uma grande surpresa?

Sim! E devo dizer que as surpresas foram agradáveis. Ao andar por toda cidade divulgando percebi que há trabalhos maravilhosos, através de oficinas literárias e projetos de escrita e cultura. Mas devo aqui citar os colégios Profº Milton Cernach, Profª Alice Chuery, Santa Lidia I, Farias Brito e o Sarau do Mather Amabilis, que desenvolvem esses trabalhos com os estudantes.

Quais as maiores dificuldades que você tem ao começar um evento como esse?

Sempre as dificuldades estão em encontrar os patrocinadores certos. O prêmio não tem relação com governos e, portanto, todo ano saio com o portifólio, mostrando todos os dados publicitários e o que atingimos com o nosso trabalho. Felizmente há parceiros que acreditaram desde o início, que foi a família Ardis (Colégio Marconi, Cantinho da Alegria e Sky City), a Vera Novo (Espaço Novo Mundo, Nobel e Centro Britânico), Vanessa e Celso Amici (La Pergoletta), além dos demais parceiros que foram agregando.

Guarulhos já aguarda uma terceira edição do PLG. O que se pode esperar?

Eu espero encontrar mais parceiros, aumentar o valor do prêmio, divulgar e atingir toda a cidade, encontrar mais escritores e promover a literatura nos colégios.

Você tem embarcado em novos projetos também sobre literatura?

Sim! Eu não paro de pensar em projetos. Depois de ter criado o Prêmio Guarulhos de Literatura, acabei desenvolvendo uma ideia em conjunto com a Cia Bueiro Aberto e filmamos um documentário sobre a literatura de Guarulhos; lançaremos no ano que vem. Além disso, apresentei ao governo municipal, na pessoa do subsecretário Adalmir Abreu, o projeto Feira Literária de Bonsucesso. A ideia é transformar o bairro em um polo literário e que o evento aconteça todos os anos, próximo à Festa da Carpição. Eu espero que o governo cumpra a sua parte e o realize: quem ganha é a cidade.

Categorias deste ano:
Livro do Ano, Escritor do ano, Poesia e Jovens Escritores.

Escritores de Guarulhos representam 35 bairros de várias regiões

Vila Galvão, Vila Rosália, Vila Barros, Vila Fátima, Cecap, Inocoop, Cumbica, Vila Any, Jd. Angélica, Taboão, Paraíso, Cabuçu, Tranquilidade, Vila São Rafael, Vila Fátima, Macedo, Vila São Jorge, Jd. Bela Vista, Santa Lídia, Bom Clima, Vila Augusta, Ponte Grande e Vila Rio de Janeiro.

Escritores outras cidades (55 inscritos): Capital (Paulista, Vila Madalena, Perdizes, Pinheiros, Sumaré), São José dos Campos, Americana, Presidente Prudente, Rio Claro, Arujá, Itaquaquecetuba, Santo André, São Caetano, Botucatu, Jundiaí, Poá e Itapeva.
Categoria Jovens Escritores (82 escolas participantes, sendo 12 particulares e 70 estaduais, de vários bairros da cidade): Monte Carmelo, J. Munhoz, Vila Galvão, J. Paraiso, Parque Mikail, Ponte Alta, J. Maria Dirce, J. Santa Lídia, Vila Barros, Vila Fátima, Vila Flórida, Bom Clima, Macedo, Pinhal, Paraventi, Cabuçu, Vila Any, Parque Maria Helena, Parque Jurema, Bonsucesso, Cumbica, Inocoop, Água Azul, Vila Rio de Janeiro, Ponte Grande, Vila São Rafael, Taboão, Cidade Seródio, Santa Emília, Cecap, Piratininga, entre outros.