Aterro Sanitário de Guarulhos volta a ser discutido na Câmara

Mesa da Câmara na sessão de quinta-feira, 21 - Foto: Vera Jursys
 

O requerimento mais discutido na sessão de quinta-feira, 21, foi o de autoria dos vereadores Sandra Gileno (PSL), Thiago Surfista (PRTB) e Laércio Sandes (DEM), que cobra da Prefeitura informações sobre o aterro sanitário municipal. Vários vereadores utilizaram a Tribuna para falar sobre o assunto e demonstraram preocupação, inclusive sugerindo uma diligência parlamentar ao aterro.

Edmilson Lula Souza (PT) disse que a ideia é que todos os vereadores se dirijam ao aterro para verificar qual é a real situação e os riscos que se corre. “Mesmo não havendo casas próximas, nós temos trabalhadores que estão lá dentro. Qual a garantia desses trabalhadores que estão operando lá? Não se faz nada e o aterro vai continuar cedendo e isso pode atingir áreas fora, inclusive de manancial e de córrego, espalhando uma contaminação”, ressaltou.

O líder de governo, Eduardo Carneiro (PSB), afirmou que já foi três vezes avaliar o aterro. “O vereador tem prerrogativa de fazer visita em todos os estabelecimentos sob o comando do Executivo”, salientou. Carneiro falou ainda sobre a situação que encontrou no local: “Já foi feita uma contenção. Toda obra de urgência, inclusive para drenagem do chorume, já foi feita. Então, está sob controle. Claro que o Executivo jamais pode tomar a medida de qualquer obra maior antes de ter uma avaliação técnica, se não ele pode ser responsabilizado juridicamente lá na frente”. 

O deslizamento no aterro aconteceu no dia 28 de dezembro de 2018 e até agora, quase dois meses depois, não se sabe o que causou o acidente. Moradores do entorno continuam se queixando do mau cheiro que se espalhou pelos bairros vizinhos.