Concessão da Dutra terá audiência pública dia 6, no Ciesp Guarulhos

Vista aérea do Viaduto Cidade de Guarulhos, sobre a Via Dutra, na altura do Macedo - Foto: Márcio Lino/PMG
 

A Diretoria do Ciesp Guarulhos (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) obteve da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) a realização de uma audiência pública, na sede da entidade, dia 6 de fevereiro, quinta-feira, das 14h30 às 19h, para discutir e colher sugestões aos termos do edital relativo à nova concessão da rodovia Presidente Dutra, tendo em vista o término do período concedido à CCR/NovaDutra.

Quando da realização da terceira audiência pública, em São Paulo, o deputado federal Alencar Santana (PT-SP) levantou questão acerca da possibilidade prevista nos estudos da ANTT de criação de um pedágio na área urbana da via Dutra, o que fatalmente afetaria a população e as empresas de Guarulhos. Em visita ao portal Click, ele informou que iria pleitear que duas novas audiências públicas fossem feitas, uma das quais em Guarulhos.

No informe do Ciesp consta que o diretor titular da entidade local, Maurício Colin, contatou a ANTT no dia 20.1 para oficializar a discordância quanto à criação do novo pedágio. E que na ocasião pleiteou que uma audiência pública fosse realizada na sede do Ciesp Guarulhos, o que foi aceito no mesmo dia.

Diante da cogitação de criação do novo pedágio, o prefeito Guti conseguiu a garantia do presidente da República, Jair Bolsonaro, de que não permitirá que esse novo custo seja implantado. O prefeito divulgou um vídeo com essa afirmação, que foi posteriormente veiculado pelo próprio presidente.

Ainda assim, o deputado Alencar considera importante que haja forte participação na audiência pública, porque o site da ANTT continua divulgando os mesmos estudos, que incluem a implantação de cobrança ponto a ponto, pelo sistema Free Flow (fluxo livre), no trecho situado entre a praça de pedágio de Arujá e a Marginal do Tietê.

Observando documento encaminhado pelo parlamentar ao Click Guarulhos (fotos), nota-se que ali está mencionado que a pretensão da ANTT é de que a cobrança ponto a ponto se daria na pista expressa da rodovia, como forma de desincentivar que motoristas a utilizem e, assim, torná-la mais ágil para quem nela trafegar e se dispuser a pagar mais por isso.


Alencar Santana ressalta que no plano da nova concessão constam valores a serem gastos em passarelas que já existem ao longo da via Dutra. “Está considerado o valor de R$ 1,6 milhão em cada passarela. Como assim, se as passarelas que constam ali já existem?”, indaga. Ele diz que novos trechos de pista marginal que constam no plano também já existem. “A única diferença é o trecho entre o trevo de Bonsucesso e a avenida Carmela Dutra”, complementa.

Segundo ele, o plano da ANTT é implantar acessos da rodovia Hélio Smidt e da Fernão Dias à pista expressa da via Dutra. Isso aumentaria a demanda da pista expressa e geraria recursos que seriam arrecadados com o novo pedágio, o que, certamente, faria com que muitos outros motoristas preferissem usar as pistas locais, nas quais inevitavelmente aumentaria o tráfego e a possibilidade de congestionamentos ou, no mínimo, de trânsito lento.

Bolsonaro pode não conseguir cumprir promessa


Embora o presidente Bolsonaro tenha garantido que não permitirá a implantação de novos postos de pedágio e dito até que quer reduzir o custo das tarifas existentes, a vontade ele pode não ser suficiente para impedir que isso aconteça. Vale registrar que na recente questão levantada sobre a possibilidade de criar uma taxa sobre a captação de energia solar, Bolsonaro afirmou que era contra a cobrança, mas que não teria poder para impedir que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) a implantasse.

Por essas razões todas, é muito importante que seja significativa a participação popular na audiência pública no Ciesp Guarulhos. O evento é gratuito.

Serviço

Audiência pública no Ciesp Guarulhos
Rua Uruaçu, 100, Jardim Pinhal, Guarulhos
Dia 6 de fevereiro, quinta-feira, das 14h30 às 19h