Moradores reclamam de abandono do Pet Park do Jardim Flor da Montanha

Lixeiras cheias; galão de água e sacos plásticos armazenam lixo e fezes de animais há dias - Foto: Vc Repórter

Moradores do Jardim Flor da Montanha, nas redondezas do Pet Park instalado na av. Bartolomeu de Carlos, apontam que o espaço destinado para passeio com cães “não tem condições de ser frequentado”. Segundo uma delas, “falta água e abrigo de sol e chuva para os animais e os tutores, exceto pela presença de uma árvore que oferece sombra. Fora a sujeira. O lugar está horrível”, reclamou.

As fotos enviadas ao Click Guarulhos pelo canal VC Repórter mostram lixo acumulado, fezes em sacos plástico, coletores improvisados e muita mosca; lama, buracos, poças com água parada, oferecendo risco de queda, tanto aos tutores quanto aos cães.

Outra queixa é que não há fechadura de segurança nos portões de contenção, também improvisado com elásticos, o que aumenta o risco de fuga do animal e até atropelamento. Segunda uma das reclamantes, as fotos abaixo “falam por si só”:

Prefeitura ignora o estado do Pet Park

Emboras as fotos retratem a negligência com o Pet Park do Jardim Flor da Montanha, o Departamento de Proteção Animal (DPAN) da Secretaria de Meio Ambiente de Guarulhos alega que o espaço “conta com lixeiras e limpeza periódica, incluindo roçagem”.

Segundo a pasta, o horário de uso e o recolhimento dos dejetos dos cães são de responsabilidades dos tutores, assim como o fornecimento de água aos pets.

Quanto às poças d’água e lama, o DPAN afirma que, nos períodos de maior ocorrência de chuva, “é inevitável o acúmulo de água em alguns pontos, porém, a situação é periodicamente vistoriada”.

Sobre os portões, o departamento diz que o parque possui dois na área contenção, mas não se pronunciou sobre a fechadura improvisada.

Pet Park Bosque Maia

Segundo uma internauta, no Pet Park do Bosque Maia, por exemplo, a situação é diferente. “Tem torneira disponível para reabastecer as garrafinhas de água dos pets. Já no Pet Park da Bartolomeu, visivelmente, não há cuidado nenhum. Se a Prefeitura fizesse a vistoria periódica, não estaria no estado que está.”

Pet park na Bartolomeu de Carlos foi entregue em dezembro