Por decisão da Prefeitura de SP, EMTU elimina linhas de ônibus de Guarulhos e não avisa usuários

 

Por decisão da Prefeitura de São Paulo, cinco linhas de ônibus que partem de Guarulhos deixarão de operar a partir desta terça-feira, 26/5, de acordo com publicação da EMTU de sexta-feira, 22/5. A origem é a Portaria SMT.GAB no. 074/2020, de 02 de março, que definia que a EMTU deveria adequar os itinerários até 2 de maio.

Serão suprimidas as seguintes linhas:
016 – Terminal Urbano de Guarulhos (Parque Cecap) – Metrô Armênia
344 – Parque Alvorada – Metrô Penha
575 – Terminal Urbano de Guarulhos (Parque Cecap) – Metrô Armênia
577 – Jardim Ipanema – Metrô Armênia
595 – Terminal Taboão – Metrô Brás


Nos casos das linhas 016, 575 e 577, a EMTU sugere como alternativa utilizar como alternativa a linha 552 no trecho entre Guarulhos e SP (Metrô Armênia).

No caso da linha 344, a alternativa é a linha 342. No caso da 595, sugere como alternativa a linha 095 Guarulhos (Terminal Metropolitano Taboão) – São Paulo (Metrô Brás).



Histórico



Na sexta-feira, 22/5, recebemos informação de um internauta referente a portaria da Prefeitura de São Paulo, que alteraria o itinerário de linhas de ônibus intermunicipais de Guarulhos, a partir desta terça-feira, 26/5.

Pesquisamos no site da Secretaria de Mobilidade e Transportes da Prefeitura paulistana, acerca da Portaria SMT.GAB nº 074/2020 e nada constava. Enviamos pedido de informações à Assessoria de Imprensa, tanto da SMT, quanto da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), pedindo informações e não obtivemos resposta.

Na tarde desta segunda-feira, formos alertados pelo mesmo internauta, a quem agradecemos, que a EMTU havia publicado a alteração nas linhas intermunicipais, com data de 22/05.

Segundo site Via Trolebus, o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, postou no Twitter que buscou expor a importância das ligações, mas que não foi atendido:

“Primeiro quero esclarecer que a Constituição Federal prevê que as Prefeituras no Brasil tem a prerrogativa das políticas públicas do transporte público. Buscamos diálogo nestas medidas, demonstramos a importância de cada operação aos gestores municipais, mas não fomos atendidos.” –  disse o titular da pasta.

OPINIÃO

Causa muita estranheza o silêncio da EMTU em relação a essas alterações, que mexem com o cotidiano de inúmeras famílias que têm usuários dessas linhas. Se não bastasse a falta de comunicação, os termos da publicação que foi feita na sexta-feira mais desinforma do que informa. Linhas de várias outras cidades da região metropolitana de São Paulo foram alteradas. Transcrevemos:

Mudanças atendem determinações de portarias municipais

A Secretaria de Mobilidade e Transportes do município de São Paulo publicou a Portaria SMT.GAB nº 074/2020, revogando as portarias municipais que fixavam o itinerário e autorizavam a circulação das linhas 009, 016, 026, 029, 205, 282, 328, 344, 575 e 577 na capital paulista. Além disso, emitiu as Portarias SMT.GAB nº 071/2020, 072/2020 e 073/2020 de supressão de itinerário das linhas 044, 190 e 595.

Para circulação das linhas intermunicipais pelos diversos municípios da Grande São Paulo é necessária a aprovação de seus itinerários, que no caso do município de São Paulo, são fixados por meio de Portarias emitidas pela Secretaria de Mobilidade e Transportes.

O texto da portaria STM.GMB 074/2020 é também pouco claro. Cita simplesmente que o secretário Edson Caram resolve revogar autorizações concedidas para circulação de determinadas linhas.

Se a Prefeitura de São Paulo e o governo estadual tivessem administrações antagônicas, ainda se poderia atribuir a falta de entendimento a divergências políticas, o que também seria inaceitável, porque o povo não tem culpa das diatribes entre autoridades. Porém, o prefeito Bruno Covas e o governador João Dória estão bem entrosados. Nada justifica o descaso com os usuários dessas linhas de ônibus.

Valdir Carleto