Venda de carros: aumenta número de golpes digitais durante pandemia

Congestionamento de carros e ônibus na avenida Nove de Julho, na Capital - Rovena Rosa/Agência Brasil
 

Desde o início da pandemia da Covid-19, as plataformas digitais se tornaram grandes protagonistas de vendas para diversos produtos. Entre eles, o setor automotivo foi um dos que mais percebeu tais mudanças e precisou se adaptar rapidamente ao novo modelo de negócio para driblar a crise. Porém, em contrapartida, a falta de conhecimento desses meios, principalmente pela população, causa um alerta: os golpes online cresceram consideravelmente nos últimos meses.

A atuação mais frequente das empresas no universo digital aliado a desinformação trouxe consigo um ataque maior de golpistas que aguardam uma simples brecha de conhecimento para fazer vítimas. De acordo com a Associação Brasileira de Leiloaria, durante o período de pandemia, aumentou em mais de 900% o número de golpes online envolvendo falsas ofertas – a maioria referente a venda de automóveis. Enquanto isso, nas primeiras semanas de pandemia, a Polícia Civil emitiu um alerta sobre o crescimento dos golpes com automóveis realizados em aplicativos de compra e venda e também em empresas de fachada que sequer existem.

Flávio Maia, diretor de Planejamento e Marketing da Associação dos Revendedores de Veículos de Minas Gerais (ASSOVEMG), comenta que a segurança se tornou um dos principais desafios desse período. “Assim como as empresas passam por um processo de readaptação para os meios online, a população em geral também precisa se adequar. O problema é que a falta de informação – ou excesso dela – pode confundir ainda mais o consumidor que não possui experiência nesse meio”, diz.

Portanto, ele afirma que é preciso levar essa informação de forma segura e eficaz. “É aí que atuação dos lojistas se torna também importante, pois em nossos canais podemos expor o que é seguro e ensinar os principais cuidados que o cliente precisa ter. Além, é claro, de oferecer o nosso serviço de forma acessível para que o consumidor possa resolver tudo conosco sem precisar recorrer para ajuda de terceiros que podem ocasionar tais golpes”, acrescenta.

Como ter segurança?

Maia destaca que o primeiro passo é evitar a compra de carros em meios que podem oferecer algum tipo de dúvida. “A primeira coisa a se fazer é encontrar empresas sérias e credenciadas; buscar redes verificadas para tirar dúvida, caso necessário. Evite o uso de aplicativos ou grupos em redes sociais para esse tipo de transação. Nunca realize depósitos antes de pesquisar a empresa e ter a compra certificada”, orienta.

Mas como saber quais são esses órgãos, além da certeza se os canais de venda e atendimento são seguros e verificados? Flávio explica que o primeiro passo é sempre procurar comprar veículos em lojas, desta forma além de toda a segurança jurídica o cliente conta com 90 dias de garantia do bem. O 2º passo é buscar lojas que possuem o selo de credenciamento da ASSOVEMG, pois existe um rigoroso processo de qualidade para admitir as lojas – tais como tempo de abertura do CNPJ, pesquisas qualitativas de reclamações nos principais sites destinados a este fim, consulta junto aos órgãos de defesa do consumidor, entre outros”, completa.

Outro ponto importante é sempre exigir um Laudo Cautelar do veículo – que seria uma espécie de carta de procedência em que constam informações como possíveis passagens por leilão, se o motor é realmente o original ou se o veículo passou por algum sinistro.  “Caso tenha qualquer dúvida, não hesite em buscar os canais oficiais da ASSOVEMG ou dos nossos associados. Nunca passe informações pessoais por redes sociais ou telefone. E, ao receber informações através das redes sociais, sempre verifique a veracidade do conteúdo”, finaliza