Márcio Nakashima suspende candidatura a prefeito e ataca presidente do PDT

O deputado estadual Márcio Nakashima, no plenário da Assembleia Legislativa de SP - Foto: Divulgação
 

O deputado estadual Márcio Nakashima divulgou nota à Imprensa, na qual suspende a possibilidade de ser candidato a prefeito de Guarulhos, embora o presidente do PDT em Guarulhos, Armando Matos, tenha assinado nota na semana passada afirmando que o parlamentar disputaria a Prefeitura.

Na nota, que transcrevemos, Nakashima condiciona ser candidato à saída de Matos do cargo de presidente. Em síntese, acusa Matos de estar fazendo jogo duplo, embora sem explicitar a quais interesses o mandatário do partido buscaria beneficiar.


Nota divulgada por Márcio Nakashima:

“Tenho recebido inúmeras mensagens de apoio a uma eventual candidatura à prefeitura de Guarulhos, sobretudo, após circular na imprensa na última sexta-feira, 28, uma nota assinada pelo presidente do PDT, Armando Matos. No texto, ele anuncia meu nome como prefeiturável, mas ainda não está claro para mim de que lado ele realmente está e a quais interesses serve.

Por acreditar que é possível fazer política para quem, de fato, precisa, e por respeito a esta população que aposta em meu nome para promover a mudança que Guarulhos tanto necessita, informo que está SUSPENSA qualquer possibilidade de disputar as próximas eleições tendo à frente do diretório municipal um presidente que trata o partido como um balcão de negócios. Comigo isso não funciona. Estou farto de pessoas que fazem da política um jogo de cartas marcadas e vivem na condição de fantoches nas mãos de quem detém o poder.

Com poucos recursos, mas com muito trabalho fui eleito deputado estadual em 2018, cujo mandato luto diariamente para retribuir a população do estado de São Paulo que me confiou 38.081 votos. Sigo pautado na defesa dos interesses da população e reafirmo o meu compromisso de colocar meu nome à disposição de Guarulhos e de seu povo. Jamais a interesses políticos.”


Nota da Redação: o espaço está aberto para a manifestação de Armando Matos, se assim desejar.