Mutirão de testes de Covid-19 será nesta quinta e sexta no CEU Continental

 

Guarulhos promove até o final do mês a segunda edição do mutirão de testes rápidos para o diagnóstico da Covid-19. Nesta quinta e sexta-feira, dias 15 e 16, a testagem será das 9 às 15 h, no CEU Continental, localizado na avenida Maria Gebin de Morais nº 867, no Parque Continental II. Podem participar as pessoas assintomáticas (sem sintomas) e com idade superior a dois anos de idade, mediante a apresentação de documento identidade e cartão SUS. O exame é feito por meio de uma picada no dedo e o resultado fica pronto em aproximadamente 40 minutos.

Na semana passada, nos dois dias de testagem realizada no Bosque Maia, foram efetuados 3.987 exames, dos quais 689 apresentaram resultado positivo para o novo coronavírus (17,28%). Para a promoção desta segunda rodada do mutirão, Guarulhos recebeu 20 mil testes do Ministério da Saúde. Provenientes do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), da Fiocruz, eles identificam as imunoglobulinas IgG (que aponta se a pessoa já teve contato com o novo coronavírus) e também a IgM, que mostra a presença do vírus ativo no organismo no momento da coleta.

Das 3.987 pessoas testadas no Bosque Maia, 69 foram diagnosticadas com IgM reagente (vírus ativo no organismo, o que não significa, necessariamente, que o infectado irá desenvolver a doença, porque a maioria dos casos não apresenta sintomas), 468 tiveram IgG positivo (contato mais antigo com o vírus) e em outras 152 o exame apontou a presença das duas imunoglobulinas (IgG e IgM), o que significa dizer que a infecção está em período de transição, ou seja, deixando de ser ativa.

Nas próximas semanas, mais duas regiões da cidade serão contempladas com os mutirões. Nos dias 22 e 23 (quinta e sexta-feira), a testagem será realizada no CEU Bonsucesso, situado na avenida Paschoal Thomeo s/nº (Bonsucesso); e entre 29 e 30 de outubro (quinta e sexta-feira), acontece no CEU Paraíso/Alvorada, que fica na rua Dom Silvério, s/nº (Vila Paraíso). O horário é sempre o mesmo, ou seja, das 9 às 15 h.

Fotos: Fabio Nunes Teixeira

Testemunho

Estive no Bosque Maia, na quinta-feira, para submeter-me ao teste. Fui a última pessoa a entrar, às 15h. Fiquei surpreso com a quantidade de pessoas trabalhando e com a organização sob a tenda branca do Bosque. Rapidamente as pessoas que haviam entrado quase junto comigo foram sendo encaminhadas às mesas onde era feita a identificação e triagem. Em poucos minutos, chegou minha vez de fazer o teste. Uma atendente era experiente e estava treinando a que perfurou meu dedo e preparou o teste para a análise. Mínimo incômodo com a picada; rápida coagulação.
Se tivesse ficado insatisfeito, fatalmente eu publicaria. Então, é justo que divulgue que gostei do que presenciei.

Daí em diante, as pessoas que já aguardavam o resultado estavam espalhadas no espaço entre a tenda e o portal lateral, da avenida Papa João XXIII. Não notei aglomeração em nenhum momento e todas as pessoas estavam com máscaras.
Pelo alto-falante, um rapaz ia chamando os pacientes pelo nome.
Depois que cessou o trabalho de colher testes, houve um chamado para que os atendentes daquele serviço fossem reforçar o atendimento na entrega dos resultados. Em 40 minutos, chegou minha vez e deu Negativo, tanto no exame IgG quanto no IgM.
No resultado do teste, consta que o fato de dar dado “Não Reagente não exclui a possibilidade de exposição ou infecção por SARS-Cov-2, dado que uma resposta imunológica à infecção recente pode levar alguns dias para atingir níveis detectáveis”.
Valdir Carleto