Sandra Santos – PDT – 12

 

Perguntas comuns a todos os candidatos


1) Qual sua profissão ou seu meio de sobrevivência?

Sou pedagoga, formada em direito, pós-graduada em Políticas Públicas, História, Sociedade e Cultura e estudante de pós-graduação em Direito Previdenciário. Ao longo da minha trajetória profissional, já atuei no Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos, nas Secretarias do Trabalho e de Assistência Sociais aqui do município, no Conselho Municipal da Assistência Social, na Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, na Agência de Desenvolvimento e Inovação (AGENDE) e na Diretoria da Secretaria de Relações e Emprego do Estado de São Paulo.

Também fui por dois anos voluntária da extinta Associação Guarulhense de Deficientes Auditivos (AGDA). Além disso, tenho uma ampla experiência na gestão de programas sociais.

2) Qual a solução, em seu entendimento, para os moradores em situação de rua, que perambulam pelas praças, espalham detritos e passam uma imagem ruim da cidade?

Muitas pessoas vivem em situação de rua, obviamente, por conta da desigualdade na distribuição de renda. Quanto mais frágil estiver a nossa economia, mais intenso será o movimento dessas pessoas. Entretanto, também temos que ressaltar que a falta de políticas públicas é outro grande impulsionador desse problema.

Dessa forma, logo no início da minha gestão, vamos imediatamente discutir leis e criar ações de proteção para essas minorias. Também iremos executar um trabalho integrado com todas as secretarias para promover atividades, atendimentos e inclusão por todo o município, sem esquecer de oferecer ainda assistência social para ajudar quem precisa a colocar a vida nos eixos, lidando com questões como vício em drogas e desemprego.

3) Outras cidades ao longo da via Dutra têm diversas travessias de um lado para outro da rodovia e em Guarulhos não. Há como resolver isso?

Guarulhos precisa definitivamente de um projeto de cidade, melhorando o sistema de transporte e garantindo direitos do contribuinte. No caso da via Dutra, a gestão municipal precisa buscar uma negociação e, ao mesmo tempo, pressionar o governo federal para a construção de novas travessias em benefício do município. A questão não é nem a comparação com outras cidades. O fato é que Guarulhos precisa mesmo de obras viárias que possam melhorar a locomoção da nossa população. Não podemos esquecer também que em março de 2021, termina a concessão da Rodovia Presidente Dutra, que hoje é de responsabilidade da Concessionária CCR Nova Dutra. Vamos ficar de olho para que a possível mudança de gestão não traga malefícios ao município.

4) Todos criticam o excesso de cargos comissionados na Prefeitura, mas sucessivos prefeitos os utilizam para formar base de apoio no Legislativo. Como será sua posição quanto a isso, se for eleito (a)?

É preciso entender que Guarulhos vive uma situação orçamentária crítica. Nós temos que ter no quadro da prefeitura profissionais capacitados que possam, de alguma forma, contribuir para o benefício da população.

 O PDT Guarulhos tem isso em mente e por essa razão temos hoje um quadro de candidatos a vereadores que já estão cientes da importância de se respeitar os cofres do nosso município.

Todavia, não posso deixar de destacar também que, caso seja eleita, eu pretendo planejar ações que valorizem os atuais funcionários públicos, principalmente oferecendo um melhor plano de carreira. Isso é muito importante e precisa ser levado em consideração também. Temos que ter do nosso lado profissionais com vontade de transformar Guarulhos.

5) Enquanto há milhares de famílias sem uma moradia digna, há inúmeros imóveis desocupados sem cumprir função social e boa parte deles com dívidas de impostos. O que pretende fazer nesse sentido?

Esse é um problema que já se arrasta há anos em Guarulhos e nem nenhum governante tomou uma providência. É preciso promover aqui na cidade programas mais eficazes de moradia para a população de renda mínima e média, sobretudo, se comprometendo a trabalhar intensamente para solucionar os problemas em áreas de risco e de preservação ambiental, assim como a regularização fundiária. Ainda nesse sentido, é também uma das minhas idéias é implantar um imposto progressivo sobre especulação imobiliária, além de criar um modelo de anistia para os que mais necessitam.

Agora falando dos inúmeros imóveis desocupados sem cumprir função social, eu, como prefeita, avalio executar um mapeamento por todo o nosso município e partir disso criar um plano para utilização desses espaços. Esse trabalho será feito em conjunto com todas as secretarias do nosso município.

6) A população queixa-se de falta de médicos nas diversas unidades de Saúde. Sucessivos prefeitos atribuem que muitos médicos só aceitam trabalhar no serviço público enquanto não obtêm algo melhor. Como pretende resolver essa questão?

No meu plano de Governo, deixo claro qual ação deve ser tomada para a solução desse problema. É preciso buscar ações para a valorização desses profissionais da saúde. Não adianta apenas pagar ótimos salários. Temos que oferecer também uma estrutura adequada para o cumprimento de sua função. Além disso, não podemos esquecer que é de fundamental importância criar um suporte para que esses médicos possam superar os obstáculos de um cotidiano cheio de estresse e desgaste emocional.

Perguntas específicas para Sandra Santos – PDT -12

1) Tendo origem no sindicalismo laboral, como pretende se posicionar quando estiver do outro lado, exercendo, na administração, o papel de patrão?

Tenho muito orgulho de ter origem na magistratura e vasto conhecimento no sindicato de trabalhadores como assessora política. É importante ressaltar que, como prefeita, eu não vou fazer o papel de patrão, pois o bom gestor é aquele que trabalha em conjunto com todos, para obtenção de resultados efetivos para nossa cidade.

Com certeza através de uma administração humanizada os guarulhenses voltarão a sorrir e terão orgulho de falar que são moradores desta cidade.

2) Como será seu relacionamento com o Legislativo, tendo uma pequena bancada de seu partido, e como formará seu secretariado?

Minha gestão estará alicerçada na transparência e no diálogo. Por isso, acredito que meu relacionamento com o legislativo será o mais amistoso possível. Estarei sempre do lado de tudo que for bom para a população. Já em relação a formação do secretariado, eu vou buscar pessoas capacitadas dentro do funcionalismo público para ocuparem os cargos. Pessoas que, assim como eu, saibam realmente do que o povo precisa. Nosso governo será feito de gente da gente.



Quem é o candidato a vice


Luiz Pummer é advogado e empresário